Léo Condé lamenta gols sofridos pelo Goiás em bolas aéreas: "Trabalhamos bastante isso"

Para o treinador esmeraldino, falhas em jogadas de bola parada foram determinantes para a derrota em Joinville

Léo Condé lamenta gols sofridos pelo Goiás em bolas aéreas: "Trabalhamos bastante isso"
Foto: Divulgação/Goiás Esporte Clube

O técnico Léo Condé saiu de campo na Arena Joinville na noite desta terça-feira (19) chateado com a atuação do Goiás frente à equipe do Joinville após a derrota alviverde por 2 a 1 pela Série B do Campeonato Brasileiro 2016, tendo sofrido dois gols ainda na primeira metade da etapa inicial. Segundo o comandante esmeraldino, os dois tentos levados de forma prematura pelo time goiano em jogadas de bola alçada na área fizeram seus comandados perderem o poder de reação.

"Infelizmente voltamos a sofrer gol no início da partida, com poucos minutos de jogo. O zagueiro deles, o Donato, leva muita vantagem nessa bola aérea. A gente continuou batalhando, mas acabamos perdendo muitas chances na primeira etapa. Arriscamos mais no segundo tempo, ficamos expostos, mas conseguimos descontar mesmo que de forma atabalhoada. Só que já era muito tarde. Se o nosso gol tivesse saído antes, com uns 35 minutos, acho que conseguiríamos pelo menos o empate aqui hoje", lamentou.

Condé ressaltou que as bolas aéreas eram um fundamento bastante trabalhado desde sua chegada no Goiás, e que não esperava novas falhas como as que ocasionaram os dois gols do JEC. "Sofremos dois gols de bola parada, algo que não acontecia há muito tempo. Quando eu cheguei aqui, trabalhamos bastante isso. Com o tempo, fomos soltando, mas agora infelizmente voltou a acontecer de termos essas falhas. Vamos tentar corrigir para não acontecer novamente", afirmou.

O meia Daniel Carvalho, autor do único gol esmeraldino já nos acréscimos da etapa final, também ressaltou a falta de atenção da equipe com o zagueiro Rafael Donato, que participou das jogadas dos dois gols do Tricolor. Daniel espera que os erros cometidos pela defesa verde não se repitam no próximo jogo do Goiás, contra o Luverdense no Serra Dourada, no qual uma vitória é essencial para fugir da zona do rebaixamento.

"Perdemos de uma equipe que é concorrente direto conosco na briga lá embaixo. Com essa vitória, eles acabaram encostando. No segundo tempo até tivemos uma postura bem melhor. Sabíamos da dificuldade da bola parada, pois tem um jogador deles que é muito alto (1,93 m). Infelizmente não conseguimos matar essa jogada deles e levamos dois gols. Agora o próximo jogo é só daqui a uma semana. A gente tem tempo de trabalhar e tentar recuperar esses pontos perdidos", comentou o meio-campista.