Retrospectiva VAVEL: Goiás encerra mais uma temporada sob pressão

28-11-2017 Luta contra o rebaixamento do time Esmeraldino marcou a temporada

Retrospectiva VAVEL: Goiás encerra mais uma temporada sob pressão
Foto: Divulgação / Goiás Esporte Clube

A temporada de 2017 para o Goiás finalmente chegou ao fim. Para o torcedor, foi um ano, em sua maioria, de muita aflição e angústia. Os goianos viram o time entrar em crise, que chegou a trocar o comando técnico seis vezes.

 O time iniciou com Silvio Criciúma no comando do campeonato estadual, que também assumiu o time por mais duas vezes no ano. Sérgio Soares começou a Série B, mas saiu depois de quatro partidas no comando, sem nenhuma vitória. Após isso, Argel Fucks foi o outro comandante sem sucesso, com apenas duas vitórias em sete partidas. A esperança veio com a chegada de Hélio dos Anjos, que, enfim salvou o time do rebaixamento para a Série C.

O ano de 2016 foi semelhante à deste ano, ganhando o campeonato estadual e fugindo do Z-4. Mas, no ano passado o time conseguiu a permanência mais cedo comparado a 2017. O torcedor esperava uma temporada melhor, com, pelo menos, uma luta ao acesso a Série A.

O Verdão encerrou a Série B do Campeonato Brasileiro 2017 na 14ª colocação com 45 pontos, a um ponto da zona de rebaixamento. Na Copa do Brasil foi eliminado na quarta fase pelo Fluminense. E no estadual, Goiás tornou-se tricampeão Goiano, o ponto alto deste ano.

Agora você confere, em ordem cronológica, a retrospectiva do Goiás pela VAVEL Brasil.

Tricampeão Goiano

O ano começou dando uma certa ilusão de uma boa temporada. O Goiás tornou-se tricampeão goiano de maneira inquestionável, vencendo as duas partidas da final. A primeira por 3 a 0, e no jogo de volta, 1 a 0, ambas no estádio Serra Dourada.

O gol do título esmeraldino foi marcado por Jean Carlos. Consagrando o 27º título Goiano do Goiás Esporte Clube, o time que mais venceu a competição, seguido por Vila Nova com 15 e Goiânia 14.


Foto: Divulgação / Goiás Esporte Clube

Luta constante contra o rebaixamento

A Série B do Goiás foi inteira fugindo da zona de rebaixamento, com protestos da torcida, seis trocas de técnico e até renúncia do presidente do clube. O sinal de tudo isso, talvez, veio na primeira rodada, sendo derrotado em casa pelo Figueirense. A primeira vitória apareceu somente na quinta rodada, após demissão de Sérgio Soares, com Silvio Criciúma assumindo, novamente após o estadual, por 11 partidas. Até a contratação de Argel Fucks, que seria a esperança, durou apenas sete partidas.

O pior veio na 24ª rodada, quando o Goiás perdeu para o Santa Cruz por 3 a 0, e a torcida vendo o time na 18ª colocação com 25 pontos. A salvação veio com a contratação de Hélio dos Anjos, que logo na primeira partida no comando, venceu por 2 a 1 o Paysandu tirando do time da zona de rebaixamento, sem voltar mais para ela. O técnico somou 20 pontos em 14 partidas com time que estava em crise.


Vitória do Goiás sobre o Paysandu. Foto: Divulgação / Goiás Esporte Clube

Melhor jogo: Goiás 4 x 1 Boa esporte, 7ª rodada da Série B

13 de junho, o Goiás goleava o Boa Esporte por 4 a 1, garantindo a terceira vitória seguida e flertava com o G-4. O jogo aconteceu no Estádio Serra Dourada, em Goiás. Os mandantes abriram 3 a 0 ainda no primeiro tempo, sofreu um gol, mas sem sustos, o Alviverde fez o quarto, culminando a goleada. Os gols, todos de chutes de fora da área, foram de Thiago Luiz, Victor Bolt, Pedro Bambu e Carlos Eduardo.

Pior jogo: Santa Cruz 3 x 0 Goiás, 24ª rodada da Série B

15 de setembro, o Alviverde foi goleado por 3 a 0 pelo Santa Cruz colocando o Goiás na zona de rebaixamento, somando a sétima partida sem vencer. Os goianos viram seu time ser atropelado pelo Santa, com dois gols de Bruno e um de João Paulo.

Destaque do ano: Carlos Eduardo

O natural de Nerópolis-GO, Carlos Eduardo de 21 anos, foi revelado nas categorias de base do Goiás. Ele está no elenco profissional desde 2015. Mas, 2017 foi seu melhor ano, mesmo com a baixa temporada do clube. O meia-atacante é o artilheiro da equipe com 9 gols na série B.

O jogador foi um grande personagem na luta contra o rebaixamento e além de marcar gols, mostra grandes números em dribles, tornando-se o maior driblador de todo o campeonato, com um total de 55 fintas sobre os adversários.

As grandes atuações chamaram atenção dos clubes da série A, sendo observado de perto pela direção do São Paulo, Atlético Mineiro, Flamengo e Palmeiras. O Goiás deseja receber cerca de R$ 23 milhões pela contratação de Carlos Eduardo, que tem contrato até o fim de 2020.


Carlos Eduardo fez dois gols na vitória sobre o Santa Cruz no Serra Dourada. Foto: Divulgação / Goiás Esporte Clube

O que esperar para 2018

A confiança deve ser renovada. A diretoria do Goiás, renovando com o Hélio dos Anjos fez com que a torcida apoiasse o treinador que salvou o rebaixamento após um ano conturbado. A renúncia de Sérgio Rassi que era esperada em 2016, veio à tona em agosto, no seu lugar ficou Marcelo Almeida, que deverá ser aclamado para mandato efetivo de três anos.

Apesar disso, se espera melhora e, inclusive, um pouco mais de humildade. É bem provável que o Goiás não entre na próxima Série B com um pensamento de “já subimos”, como aconteceu esse ano. Além do mais, se espera uma reformulação do elenco, são 23 jogadores em fim de contrato fora dos planos para 2018.

A lista de dispensa vai desde goleiros até atacantes. Assim como a idade também é variada. Há nomes experientes, como Andrezinho, Willians e Toró, até pratas da casa, caso dos jovens Jarlan e Murilo. A saída que mais chama atenção é a do veterano goleiro Renan, que se despede do Goiás após cinco temporadas.

“Tudo isso já foi discutido, já foi decidido. Naturalmente, as pessoas vão ficar sabendo. Logo as decisões serão tomadas”, disse o técnico Hélio dos Anjos sobre as mudanças no elenco.

Reforços serão aguardados, e chegarão aos poucos, todos com o aval do técnico. A primeira contratação já aconteceu, o zagueiro Eduardo Brock assina contrato de dois anos após se destacar pelo Paraná na campanha do acesso para a Série A. Nitidamente o elenco contêm deficiências e sem dúvidas a necessidade de uma limpa geral no clube é importante.


Hélio dos Anjos comanda a equipe em 2018. Foto: Divulgação / Goiás Esporte Clube