Maicon revela conversa e aborda caso de Bolaños no Grêmio: "Tem que se interessar"

Capitão deu entrevista e respondeu perguntas sobre dificuldade do equatoriano com adaptação

Maicon revela conversa e aborda caso de Bolaños no Grêmio: "Tem que se interessar"
(Foto: Divulgação/ Grêmio)

Neste domingo (24), o Grêmio recebe o São Paulo, na Arena, a fim de colar no líder, Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro 2016. Vindo de uma derrota para o Sport Recife, fora de casa, o Tricolor precisa demonstrar sua força como mandante, e para isso, precisará do atacante Miller Bolaños, recém envolvido em polêmicas com o clube. 

LEIA MAIS: Roger sinaliza trocas na defesa do Grêmio com volta de Wallace Reis e presença de Iago

Antes do jogo contra o Sport, o atacante alegou ter problemas pessoais e não treinou com o elenco nas vésperas da viagem à Recife - o que deixou-o fora da partida. Com isso, abriu-se uma discussão sobre o rendimento do equatoriano dentro do clube. Contratado com o intuito de ser o craque da equipe, ele ainda não rendeu o esperado, por conta de lesões e problemas extra-campo. São 11 jogos e 2 gols.  

Diante do São Paulo, ele terá a oportunidade de dar a volta por cima e calar os críticos, já que com Luan na Seleção Olímpica, a responsabilidade de marcar as redes ficou com o camisa 23. Nesta sexta-feira (22), o capitão do time, Maicon, concedeu entrevista, e falou sobre o assunto do atacante. 

Miller treinou entre os titulares e deverá ser o atacante do Grêmio diante do São Paulo (Foto: Divulgação/Grêmio)
Miller treinou entre os titulares e deverá ser o atacante do Grêmio diante do São Paulo (Foto: Divulgação/Grêmio)

O volante do Grêmio afirmou que Miller tem total apoio dos colegas no elenco, além de ter espaço para brincadeiras e se entrosar ainda mais com os companheiros. Mas, isso tem de partir do atleta, é preciso haver interesse:

"O jogador tem que se interessar. Joguei na Alemanha joguei dois anos e tem que se virar. Se ficar acanhado, torna as coisas mais difíceis. Temos um grupo muito bom, que se ajuda, um corre pelo outro, e o cara tem que se soltar. Saber que está em casa, que pode contar com cada um da gente. O Bolaños é calado, mas conversa, fala com a gente. Procuramos ajudar da melhor maneira", afirmou um dos líderes do grupo gremista. 

Sobre a adaptação e as lesões que o equatoriano teve no clube e na seleção, Maicon disse: 

"Sempre complicado quando vem de outro país, até conhecer, se adaptar. A gente aqui, não só eu, tem outros jogadores, conversamos bastante, todo mundo tem opinião. Procuramos este jogadores que vem, não só de outros países, mas outras equipes, se sintam em casa o mais rápido possível, para jogar da maneira que jogaram em outros clubes. Com o Miller, por ser de fora, procuramos estar sempre conversando, perguntando se precisava de alguma coisa, para conversar, se não com os jogadores, com comissão e diretores. Para que ele possa ter o trabalho facilitado. Vamos conversando", afirmou.

O jogo que pode marcar a volta por cima de Bolaños é no próximo domingo (24), diante do São Paulo, na Arena.