Grêmio valoriza vantagem, elimina Cruzeiro e volta à final da Copa do Brasil após 15 anos

Tricolor segurou a Raposa em jogo sem gols e avança para disputar o título com Atlético-MG

Grêmio valoriza vantagem, elimina Cruzeiro e volta à final da Copa do Brasil após 15 anos
Cruzeiro esbarrou na forte marcação do Grêmio (Foto: Bruno Alencastro)
Grêmio
0 0
Cruzeiro
Grêmio: Marcelo Grohe; Edílson, Kannemann, Geromel, Marcelo Oliveira; Maicon, Walace, Ramiro (Jaílson), Douglas (Thyere); Luan e Pedro Rocha (Éverton) Técnico Renato Gaúcho
Cruzeiro: Rafael; Lucas Romero, Léo, Bruno Rodrigo, Edimar; Henrique, Ariel Cabral, Robinho (Ábila), Arrascaeta (Rafael Sóbis); Willian (Alex) e Alisson Técnico Mano Menezes
ÁRBITRO: Thiago Duarte Peixoto, auxiliado por Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo e Danilo Ricardo Simon Manis (todos de São Paulo).
INCIDENCIAS: Partida válida pelo jogo de volta da segunda semifinal da Copa do Brasil

Enfim, uma final. Após quinze anos, o Grêmio está novamente na final da Copa do Brasil. O jogo contra o Cruzeiro, na Arena do Grêmio, em noite de grande público, foi de pouca emoção. Mas mesmo assim, o placar zerado (combinado com o 0x2 na ida) foi motivo de grande festa para toda a nação tricolor.

Agora, o time de Renato Portaluppi terá de encarar o Atlético Mineiro na grande final da competição. Os mineiros virão de vitória contra o Internacional, maior rival do Grêmio.

As atenções, no momento, voltarão-se agora para o Campeonato Brasileiro, onde o Cruzeiro (13°) encara o Fluminense (9°) no Mineirão, enquanto o Grêmio (8°) enfrenta o Sport (14°), em Porto Alegre.

Cruzeiro pressiona, mas Grêmio segura no toque de bola

Poucos minutos foram necessários para entender como seria o jogo. Com muita marcação no meio de campo, ambas as equipes tentavam botar a bola no chão, coisa que só o Grêmio conseguiu. Já o Cruzeiro parava na pressão dos atacantes tricolores e era forçado a fazer muitos lançamentos para o ataque, sem sucesso.

Porém, após alguns lances, Mano Menezes compactou o time, e então conseguiu desenvolver mais jogadas. Uma delas foi aos 13', quando Robinho bateu forte, da intermediária, para defesa tranquila de Grohe.

Na sequência do lance, o time da casa foi para o ataque, e quase marcou quando Marcelo Oliveira recebeu de Luan, na ponta da área e, quase sem ângulo para finalizar, bateu por cima da meta de Rafael.

Com 22' no cronômetro, veio a melhor chance do Cruzeiro. Com liberdade, o volante Ariel Cabral não pensou duas vezes e bateu de longe, acertando o travessão. Pouco depois, Arrascaeta cobrou falta e passou muito, mas muito perto do gol. 

Apertando a marcação e tocando bem a bola, o Grêmio conseguiu anular os visitantes pelo resto do primeiro tempo, aguardando apenas o apito para ir ao vestiário com o placar zerado.

Grêmio melhora, joga com segurança e vai à final

O segundo tempo dava ares de que seria muito diferente do primeiro. Com as equipes um pouco mais abertas, Renato Mano tentaram explorar o lado ofensivo, mas sem ir para o "tudo ou nada". 

Com seis minutos, um contra ataque do Cruzeiro caiu no pé de Alisson, que finalizou cruzado para grande defesa de Marcelo Grohe.

Na sequência do lance, Pedro Rocha recebeu, tabelou com Luan e saiu na cara de Rafael, chutando de direita para grande defesa do arqueiro cruzeirense. No escanteio resultante, Douglas ainda cobrou fechado, na trave dos visitantes.

Depois da entrada de Rafael Sóbis, a Raposa estava mais ofensiva e pronta para ir ao ataque com velocidade. No seu primeiro lance de jogo, ele dominou e bateu para boa defesa de Marcelo Grohe.

Após o lance, foi a vez de Rafael brilhar. Ele fez duas boas defesas, uma em conclusão de Ramiro e outra em cabeçada de Geromel. Apesar de assustar, o Grêmio recuou a partir da metade da segunda etapa, dando chances para os visitantes. 

Mesmo assim, o Cruzeiro não conseguiu aproveitar a posse de bola, e parava nas boas atuações de Geromel Kannemann. Com calma, o Grêmio só esperou o apito final e comemorou a oitava final de Copa do Brasil de sua história.