Relembrar é viver: Grêmio bateu Nacional de Medellín para conquistar o bi da América

Em 1995, equipe gaúcha levantou a taça da Libertadores da América pela segunda vez, ao vencer a primeira e empatar a segunda partida contra colombianos

Relembrar é viver: Grêmio bateu Nacional de Medellín para conquistar o bi da América
Foto: Rodrigo Rodrigues / Editoria de arte da VAVEL Brasil

Em agosto de 1995, o Grêmio pintava a América de azul pela segunda vez. Ao bater o Nacional de Medellín, com o placar agregado de 4 a 2, o Tricolor Gaúcho conquistou o bicampeonato da Libertadores da América.

A exemplo do que acontece na Libertadores deste ano, o Tricolor recebeu o adversário em casa para a primeira partida da final e disputou a decisão longe de sua torcida. Para a equipe gaúcha ficar com o título naquela oportunidade, bastou uma vitória no estádio Olímpico e um empate na Colômbia no histórico Atanásio Girardot.

Grêmio garante boa vantagem em casa

No dia 23 de agosto, quase 60 mil pessoas estiveram presentes no estádio Olímpico, em Porto Alegre, para ver a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari ficar muito perto do segundo título continental. No primeiro jogo da final, o time gremista saiu na frente na busca pela taça, fazendo uma grande partida e vencendo os colombianos pelo marcador final de 3 a 1.

O placar foi aberto por Marulanda, mas não foi para o Nacional. O atleta colombiano marcou contra, colocando o Grêmio em vantagem, que ainda ampliou com Jardel e Paulo Nunes. O adversário conseguiu descontar com Angel, mas o cenário continuou favorável para os gaúchos.

Jardel comemora segundo gol tricolor na partida. (Divulgação / Blog Libertadores 1995)
Jardel comemora segundo gol tricolor na partida. (Divulgação / Blog Libertadores 1995)

Apesar de empate, Tricolor ficou com o título

A partida de volta aconteceu no dia 30 de agosto, no estádio Atanásio Girardot, na Colômbia. Diferente do que foi visto em Porto Alegre, no segundo jogo o Grêmio foi pressionado. Empurrado pelos 50 mil torcedores presentes nas arquibancadas, o Nacional saiu na frente, com gol de Aristizábal.

Precisando ampliar o placar para ficar com o título, os colombianos passaram a pressionar ainda mais o clube gaúcho. O Grêmio, porém, estava focado em vencer a competição, e para a felicidade de sua torcida, nos minutos finais de partida, Dinho marcou de pênalti, garantindo a taça da Libertadores para o Tricolor.

Divulgação / Blog Libertadores 1995
Divulgação / Blog Libertadores 1995