Michel, Jailson e Ramiro encarregados de comandar meio campo gremista na final mundial

Sem o jovem e talentoso Arthur que não pode participar da competição devido a uma lesão no pé, o meio-campo não parece ser grande problema para o time gaúcho

Michel, Jailson e Ramiro encarregados de comandar meio campo gremista na final mundial
Foto: VAVEL Brasil

Apesar de não contar com um jogador importante na transição como é Arthur, Renato Portaluppi parece ter jogadores para suprir essa carência e até mesmo pode improvisar um deles para fazer a função que exerce o camisa 29 em jogo.

O volante Michel apesar de ser mais lento que Ramiro e Jailson, tem um grande físico e também é um ótimo recuperador de bolas. Quando o camisa 29 atua, ele fica um pouco mais recuado fazendo somente essa função de recuperar a posse de bola e organizar o meio campo.

Por outro lado, Jailson é mais habilidoso e sabe armar bons contra-ataques e também arrisca bons chutes de fora da área quando observa certa liberdade. Fazendo dupla com Michel nesse Mundial de Clubes, o camisa 25 faz a função que exercia Arthur na articulação do meio-campo, porém não é tão forte no desarme e também pode atuar um meia de ligação durante o decorrer da partida.

Pode-se dizer que Ramiro é considerado o motorzinho do time. Na maioria dos jogos, o camisa 17 atua tanto na meia-esquerda como pode atuar de volante, ajudando na marcação e no contra-ataque. Mesmo sem ter a habilidade individual de Arthur, o volante é o que mais se assemelha ao camisa 29 nessa função, pois desarma bem e sabe contra-atacar, mesmo que de uma forma mais limitada. 

No jogo contra os espanhóis, Michel e Jailson certamente farão o mesmo estilo de jogo que foi contra o Pachuca na semifinal, porém, Ramiro deve ajudar na defesa por conta do poder ofensivo que tem o time comandado por Zidane. A criação de jogada fica encarregada para o Jailson, deixando Michel mais encarregado na marcação pelo meio-campo e Ramiro livre para atuar nessa transição, já que possui bastante velocidade. Com isso, o time deve ter mais liberdade e pode também possuir mais apoio tanto no ataque quanto na defesa, criando um equilíbrio técnico e não desgastando tanto os três durante a partida.