Renato Gaúcho projeta Grêmio mais forte em 2018: "O lema é ganhar sempre"

Treinador do Grêmio participou do Jogo das Estrelas, no Maracanã, organizado por Zico

Renato Gaúcho projeta Grêmio mais forte em 2018: "O lema é ganhar sempre"
Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Após conquistar o título da Libertadores e o vice do Mundial de Clubes, Renato Gaúcho marcou presença no 'Jogo das Estrelas', organizado por Zico, na noite desta quarta-feira (27). Um dos assuntos mais comentados com o treinador do Grêmio foi sobre a estátua, e ele aproveitou para revelar que já deu ideia sobre como quer que seja. 

"Nós vamos ver ainda, mas já dei uma ideia para o presidente e os conselheiros do Grêmio. Gostaria que a estátua fosse a comemoração do gol em Tóquio (final do Mundial de Clubes de 1983). Foi um dos gols mais bonitos e o mais importante da minha carreira", revelou Renato Gaúcho. 

Após conquistar o título da Copa do Brasil em 2016 e da Libertadores em 2017, Renato Gaúcho quer mais. Neste ano, o Grêmio teve bom desempenho nas duas principais competições nacionais e, segundo o treinador, o clube gaúcho continuará brigando por mais taças em 2018.

"O lema é ganhar sempre. Nem sempre a gente consegue, mas trabalhamos sempre para buscar os títulos e os melhores resultados. Foi muito bom esse ano. Quando a gente ganha uma vez, queremos ganhar mais. Jogamos três competições ao mesmo tempo e em alto nível, o que não é nada fácil. Acredito que o Grêmio poderia ter ido até um pouco mais longe e buscado outro grande título, mas é muito difícil, não apenas para o Grêmio, mas para qualquer outro clube. Nós escolhemos a Libertadores e ganhamos", afirmou. 

Renato Gaúcho preferiu não colocar o favoritismo sobre o Grêmio para a Libertadores de 2018. O treinador manteve os pés no chão ao comentar sobre o grupo do tricolor gaúcho e lembrou que os adversários jogarão com mais vontade para tentar vencer o atual campeão. 

"Não existe mais isso (de grupo fácil ou difícil). Hoje no futebol brasileiro ninguém tem um time como Real Madrid, Barcelona ou PSG. Esse ano mesmo alguns clubes não enfrentaram grandes adversários na fase de grupos e não passaram. Futebol se ganha dentro das quatro linhas e nós trabalhamos para ganhar a Libertadores. Pode ter certeza que em 2018 muita gente vai jogar com mais vontade contra o Grêmio, mas nós vamos nos reforçar até porque devemos perde um ou outro jogador", finalizou.