Luan, Arthur e Guerrero são finalistas no prêmio Rei da América

Vencedor do tradicional prêmio do jornal uruguaio "El Pais" será um jogador que atua no futebol brasileiro

Luan, Arthur e Guerrero são finalistas no prêmio Rei da América
Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Anualmente, o jornal uruguaio "El Pais" promove uma votação para escolher o Rei da América, como forma de premiar o melhor do continente sul-americado. Neste ano, os finalistas são Luan (Grêmio), Arthur (Grêmio) e Guerrero (Flamengo). A escolha dos três nomes aconteceu a partir de uma votação no diário com a participação de jornalistas de diferentes países da América. 

Luan e Arthur foram decisivos para o tricampeonato do Grêmio na Copa Libertadores. O atacante foi eleito o melhor jogador do campeonato e o meio-campista ganhou o prêmio pela grande atuação na final, contra o Lánus. Já Paolo Guerrero, atacante do Flamengo, se destacou na disputa pela ótima campanha para a classificação do Peru para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

No final da temporada 2017, o nome de Guerrero acabou envolvido em um caso de doping. O jogador foi pego pelo exame antidoping após a partida contra a Argentina, durante as eliminatórias para a Copa, no dia 5 de outubro. A Fifa condenou o jogador por um ano, mas a pena foi reduzida para seis meses e o atacante pode vir a participar do Mundial na Rússia.

Para Arthur, o futuro também está incerto, mas de uma forma positiva. Grande revelação do Grêmio em 2017, o jogador está sendo procurado por grandes times da Europa, como Chelsea, Real Madrid e Barcelona. Especula-se que representantes do time do Messi virão a Porto Alegre para negociar o meio-campista nas primeiras semanas de 2018. 

O prêmio de 2017 poderá ser o oitavo a ser conquistado por um jogador brasileiro. Bebeto (1989), Raí (1992), Cafu (1994), Romário (2000), Neymar (2011 e 2012) e Ronaldinho (2013) já levaram o "Rei da América" para casa. A Argentina é o país com mais vencedores do prêmio. 

Todos os vencedores: 

1987- Carlos Valderrama (Colômbia)

1988 - Ruben Paz (Uruguai)

1989 - Bebeto (Brasil)

1990 - Raúl Vicente Amarilla (Paraguai)

1991- Oscar Ruggeri (Argentina)

1992 - Raí (Brasil)

1993 - Carlos Valderrama (Colômbia)

1994 - Cafu (Brasil)

1995 - Enzo Francescoli (Uruguai)

1996 - José Luis Chilavert (Paraguai)

1997 - Marcelo Salas (Chile)

1998 - Martín Palermo (Argentina)

1999 - Javier Saviola (Argentina)

2000 - Romário (Brasil)

2001 - Riquelme (Argentina)

2002 - José Saturnino Cardozo (Paraguai)

2003 - Carlos Tévez (Argentina)

2004 - Carlos Tévez (Argentina)

2005 - Carlos Tévez (Argentina)

2006 - Matías Fernández (Chile)

2007 - Salvador Cabañas (Paraguai)

2008 - Juan Sebastián Verón (Argentina)

2009 - Juan Sebastián Verón (Argentina)

2010 - Andrés D’Alessandro (Argentina)

2011- Neymar (Brasil)

2012- Neymar (Brasil)

2013 - Ronaldinho (Brasil)

2014 - Teo Gutiérrez (Colômbia)

2015 - Carlos Sánchez (Uruguai)

2016 - Miguel Borja (Colômbia)