O caso Arthur: negociações travadas e saída adiada

Meia negocia termos com Barcelona em transferência que talvez aconteça apenas em 2019

O caso Arthur: negociações travadas e saída adiada
Arthur em reunião com representantes do Barcelona (Foto: Arquivo pessoal)

Destaque da Libertadores e revelação do BrasileirãoArthur é hoje o nome mais valioso do elenco do Grêmio. Desde o fim do ano negociando com o Barcelona, o meia, que voltou a treinar com bola no sábado (3) após lesão desde a final contra o Lanús, parece ter travado as tratativas, fato que pode lhe garantir no Tricolor Gaúcho até o fim da temporada.

O contrato com o Grêmio é até 2021, e prevê grande valor de multa rescisória: 50 milhões de euros (R$ 200,1 milhões). Os direitos econômicos, porém, não são apenas do tricolor. Empresário Jorge Machado e o investidor Celso Rigo possuem parte no contrato.

A oferta do Barcelona seria de R$ 120 milhões para toda a negociação. Detentor de 60% dos direitos do atleta, o Grêmio recusou-se a aceitar a oferta nestes termos. O valor seria exatamente o que o time gaúcho deveria receber, porém teria de dividir com os outros 40%.

Para esclarecer a situação, o presidente Romildo Bolzan falou sobre o assunto e deu o tom da provável permanência do atleta até o final do ano. 

"A negociação está parada. Na primeira janela já dizíamos que o Arthur não sairia, e na construção do negócio, o Arthur deverá ficar conosco por mais um ano. Mas o certo é que se os valores não forem contemplados, não tem a mínima possibilidade das negociações irem para frente."

Outros clubes já foram especulados com interesse, como Chelsea, Manchester e Paris Saint Germain, mas apenas o Monaco fez proposta, que foi rejeitada pelo Tricolor. 

Arthur não atua desde a final contra o Lanús. Foi um dos jogadores que brilharam no ano do futebol brasileiro e ficou de fora da disputa do Mundial de Clubes e da partida contra o Real Madrid, onde poderia ter exibido seu futebol ao mundo de maneira mais visada.