Defesa colorada: Das críticas a cinco partidas sem ser sofrer gols

Inter soma 475 minutos sem sofrer gols; Sexto jogo sem ser vazada significa o título gaúcho

Defesa colorada: Das críticas a cinco partidas sem ser sofrer gols
Ernando e Paulão no Campeonato Gaúcho (Foto: Alexandre Lops / Internacional)

Chegamos aos últimos momentos do Campeonato Gaúcho de 2016 e a equipe do Internacional mais uma vez é finalista. No domingo, às 16h00, a bola rolará em mais uma final de Gauchão no estádio Beira-Rio em Porto Alegre. O Inter tem chance de somar a sua sexta partida seguida sem levar gol para levar o sexto título consecutivo.

O jogo de domingo é o 18° para Inter Juventude nesse campeonato. O time da capital tem apresentado dados de aproveitamento defensivo impressionantes. Das 17 partidas até aqui, o Internacional saiu de campo após o apito final dez vezes sem a meta do goleiro Alisson ser violada.

Trazendo para a matemática em 58,82% das partidas disputadas, o Internacional não sofreu se quer um gol. Os colorados que estão a cinco partidas sem sofrer gol também mostraram virtude durante a primeira fase do campeonato. O Inter teve a segunda melhor defesa, sofrendo dez gols, atrás apenas da defesa do São José que levou um total de sete.

O último jogo que o Inter sofreu gol foi no dia 31 de março, no estádio Beira-Rio, ante o Brasil de Pelotas, pela 12ª rodada do Gauchão. O jogo terminou em 4 a 1 para o Internacional. Desde então, se passaram cinco partidas, 475 minutos que, traduzindo para horas, dão um total de 7h e 55min de bola rolando sem ser vazado defensivamente.

O adeus do camisa 1

A final de domingo, marca também a despedida de um grande responsável para o sucesso do sistema defensivo colorado. Alisson Becker. O goleiro está de saída para a Roma da Itália, lugar onde outro ídolo colorado já brilhou. Falcão era ídolo em Roma assim como foi ídolo em Porto Alegre, Alisson pretende seguir o caminho de Falcão e se afirmar no futebol europeu também.

O camisa 1 colorado foi convocado para a Copa América dos EUA que marca o centenário do campeonato. O goleiro teve suas habilidades testadas nesse Gauchão e mostrou o porque de ser jogador de confiança do técnico Dunga na seleção. Alisson organiza a zaga e exerce muito bem a função de capitão colorado desde a saída de Andres D'Alessandro.

Em entrevista coletiva na semana passada, Alisson falou sobre o sonho de se despedir erguendo taça: "É o clube que me deu tudo e quero dar mais uma vez o título para o Inter. Ficarei muito feliz em levantar essa taça", afirmou o camisa 1.

Alisson lembrou também dos papéis dos volantes no processo que tem mostrado a defesa do Inter efetiva: " Temos jogadores novos na equipe, como o Bob e o Fabinho que estão contribuindo muito dentro de campo. Dourado se machucou, mas era protagonista". Ressaltou Alisson.

Mesmo com as críticas e problemas no início da temporada o Internacional de Argel cresceu e chegou a mais uma final e com muitos méritos conquistados, principalmente na regularidade do sistema defensivo, que não vazou em jogos importantes e, mesmo nos jogos que vazou, não sofreu mais do que dois gols em uma partida.