William minimiza revés para Fortaleza e destaca: "Meta era classificar"

Mesmo com derrota, meta colorada foi alcançada e Internacional está classificado às quartas de final da Copa do Brasil

William minimiza revés para Fortaleza e destaca: "Meta era classificar"
Willian minimiza revés para o Fortaleza e da ênfase para meta cumprida (Foto: Divulgação/Internacional)

Pela partida de volta das oitavas da Copa do Brasil, o Internanacional mais uma vez decepcionou ao sair derrotado diante do Fortaleza, no Castelão. Contudo, apesar do resultado, classificou-se para as quartas devido ao triunfo do primeiro embate, o qual foi disputado em seus domínios.

Com o término da partida, o lateral William mostrou-se satisfeito com a postura mostrada por seus companheiros dentro de campo. O atleta ainda revelou que o objetivo do Inter durante o jogo era se classificar e, no momento, não importava de que forma iriam alcançar tal feito.

“Não tem preocupação agora, a gente classificou. O objetivo era esse. Não importava como, a meta era classificar. Conseguimos um resultado muito bom em Porto Alegre, hoje perdemos, mas classificamos. A gente tomou o gol, mas seguiu com o controle do jogo. Foi um resultado bom, classificamos e esse era o nosso objetivo”, disse.

Em concordância, o experiente capitão desta noite, Alex, avaliou o desempenho da equipe modificada por Roth que, segundo ele, não pôde dar o seu melhor em campo muito por conta de sua falta de ritmo. Meia, assim como Willian, exaltou a classificação alcançada.

“A gente ficou com o time para ter um pouco mais de posse de bola. Não conseguimos colocar tudo que tínhamos para ter um controle maior. A equipe não vinha jogando tanto com frequência, no jogo você sente apesar de treinar junto. O importante foi passar”, afirmou.

No entanto, Alex procurou deixar claro que tal classificação não modifica a situação colorada no Brasileiro. Para ele, a pressão por resultados continua sendo a mesma: "São duas situações bem distintas. Não adianta ganhar a Copa do Brasil e ser rebaixado. A pressão segue. Temos conversado para tentar passar um pouco mais de confiança para o torcedor. É se juntar e se entregar em campo. Você tem que sangrar se tiver que sangrar. Essa camisa vale muito”, finalizou.