Vila Nova duela com pressionado Joinville visando encerrar jejum de vitórias

Descendo degraus na classificação e há três partidas sem triunfar, Tigrão precisa vencer diante de um JEC pressionado pelo fantasma do Z-4

Vila Nova duela com pressionado Joinville visando encerrar jejum de vitórias
Foto: José Carlos Fornér/JEC
Vila Nova
Joinville
Vila Nova: Saulo; Bruno Oliveira, Reniê, Guilherme Teixeira e Marcelo Cordeiro; Reginaldo, Caíque e Jean Carlos; Joãozinho, Fabinho e Moisés. Técnico: Guilherme Alves.
Joinville: Aranha; Reginaldo, Danrlei, Fabiano Eller (Ligger) e Fernandinho; Naldo e Paulinho Dias (Tinga); Everton Silva, Bruno Ribeiro e Juninho (Murilo); Jael. Técnico: Lisca.
ÁRBITRO: Nielson Nogueira Dias (PE). Auxiliares: Bruno César Chaves Vieira (PE) e Francisco Chaves Bezerra Júnior (PE).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 19ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, a ser realizada no estádio Onésio Brasileiro Alvarenga (OBA), em Goiânia/GO.

Encerrando o turno da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, Vila Nova e Joinville se enfrentam nesta terça-feira (2), à partir das 19h15 no estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, o OBA, em Goiânia/GO, pela 19ª rodada. Irregulares durante toda a competição, as duas equipes aparecem na segunda metade da tabela de classificação.

O Tigrão tem 22 pontos e ocupa a 14ª colocação. A equipe goiana não vence há três rodadas. Dos últimos nove pontos disputados, apenas dois foram conquistados, após empates diante de Brasil de Pelotas e Paysandu, ambos fora de casa. A derrota neste meio tempo foi em casa, diante do Ceará. Resultado: uma perda significativa de posições, saindo da região próxima ao G-4.

O JEC figura na zona de rebaixamento, na 18ª posição, com 17 pontos. O time catarinense tem um dos piores ataques da Série B, marcando apenas 11 gols. Perder dentro de casa para o Oeste na última, em termos de disputa para sair do Z-4, foi um desastre completo.

Entre cartões e lesões, Vila Nova tem mudanças para o confronto

Três suspensões devido ao terceiro cartão amarelo sofrido afetam a escalação do Tigrão para o duelo diante do Joinville. Victor Bolt, Jefferson Feijão e Maguinho estão fora da partida. Edson, Vinicius Simon e Jean Carlos estão pendurados. Além de estar pendurado e ameaçado por mais um cartão, Simon virou dúvida para o técnico Guilherme após sentir dores no joelho. Marcelo Cordeiro é o provável substituto.

Campeão da Série B em 2014 pelo adversário desta terça, o atacante Fabinho, hoje no Vila, reencontra seu ex-clube. No ano passado, o jogador esteve no Ceará, onde não foi tão bem. No começo desta temporada, estava no XV de Piracicaba. Vivendo bom momento no time goiano, o atleta relembrou sua passagem pela equipe catarinense, mas ressaltou que o foco do duelo de hoje à noite é a vitória.

"Minha passagem pelo Joinville foi muito bonita. Fui campeão da Série B, conquistei o catarinense e tive um carinho muito grande da torcida. Por tudo isso, tenho um respeito muito grande pelo JEC. Sinceramente, fico triste em ver o time na atual situação. Mas sou profissional e farei de tudo para buscar essa vitória. Queremos fechar o turno com 25 pontos", declarou.

A meta está traçada: 20 pontos; para alcançá-la, vencer é fundamental

A calculadora já está na mão do torcedor do JEC. Contas e mais contas, planejando sair da incômoda situação em que se encontra o tricolor. Superar o Vila Nova no duelo desta noite levaria o Joinville aos 20 pontos e, caso o Bragantino e o arquirrival Goiás tropecem, o time sairia do Z-4. Segundo Lisca, a meta até o final do turno era de 23 pontos, o que não será mais possível. Já pensando na pausa para os Jogos Olímpicos Rio 2016, o comandante afirma que o foco, na volta da Segundona, será evitar a queda para a Série C.

“Eu projeto jogo a jogo. Neste momento, na situação que temos, é partida a partida. Estávamos contando em tentar finalizar o turno com 21 ou 23 pontos. A meta atual é vencer a partida ou ao menos não perder. Nos 20 dias passaremos por reformulação do plantel e vamos atrás de, no mínimo, a pontuação para a permanência na Série B”, disse.

Também afetado por suspensões, o time catarinense tem as ausências de Bertotto, suspenso pelo terceiro cartão amarelo e Pereira, expulso na derrota contra o Oeste. A expectativa do técnico Lisca é de um jogo parelho, encarado como decisão pelas duas equipes.  “É uma decisão para nós e eles, como todos os jogos têm sido para nós. Espero um grande jogo, uma partida equilibrada e que nós podemos ter sucesso”, afirmou.