Joinville e Figueirense duelam buscando primeira vitória no Campeonato Catarinense

JEC e Furacão do Estreito não se deram bem na primeira rodada e querem a vitória nessa noite na Arena Joinville

Joinville e Figueirense duelam buscando primeira vitória no Campeonato Catarinense
Foto: Divulgação/JEC
Joinville
Figueirense
Joinville: Jhonatan; Caique, Henrique Matos, Max e Fernandinho; Roberto, Kadu, Fabinho Alves, Aldair e Lúcio Flávio; Ciro. Técnico: Fabinho Santos
Figueirense: Luis Carlos; Dudu, Dirceu, Bruno Alves e Henrique Trevisan, Juliano e Ferrugem; Everton, Aquino e Zé Love; Bill. Técnico: Marquinhos Santos.
ÁRBITRO: Héber Roberto Lopes. Assistentes: Kleber Lúcio Gil e Alex dos Santos.
INCIDENCIAS: Jogo válido pela segunda rodada do campeonato catarinense de 2017. A partida ocorrerá na Arena Joinville e tem o seu início marcado para as 21 horas e 45 minutos.

Seis finais já disputadas, três somente nesse milênio. Um jogo que sempre leva um clima quente ao gramado, com gols polêmicos, decisões judiciais que deram o que falar, ou seja, histórias bem peculiares ao confronto que vai acontecer nessa segunda rodada do Campeonato Catarinense 2017, na Arena Joinville, nesta quarta-feira (1º), a partir das 21h45.

Joinville e Figueirense é uma partida que leva mais de 30 títulos à campo. Dois clubes com muita história no estado de Santa Catarina, e há quem ouse dizer que “clássico é só um jogo com dois times da mesma cidade”.

Os times ainda vão em busca do primeiro triunfo na competição, já que tropeçaram na primeira rodada. O Joinville estreou com um empate melancólico frente ao Almirante Barroso, 2 a 2 tomando o gol nos minutos finais de partida. Enquanto isso, o Figueirense foi surpreendido em pleno Orlando Scarpelli, ao tomar a virada do Brusque e perdendo a partida por 2 a 1.

Com duas mudanças no time, JEC vai em busca dos primeiros três pontos

O empate contra o Almirante Barroso fez o professor Fabinho Santos rever alguns conceitos em relação ao time titular, e por isso, duas alterações serão feitas, porém, uma delas é por ordem médica, a outra por ordem técnica. A primeira é a troca de Bruno Batata por Ciro, pois o ‘legume’ tricolor fraturou a mão na última partida, assim, está sem condições de jogo. A outra mudança ocorre na meia cancha, quando Alex Ruan dará lugar a Aldair, natural até demais, pois o meia-atacante entrou no último domingo em campo e fez o primeiro gol tricolor na partida, o gol de número 3500 da história jequeana.

Analisando um pouco mais a entrada de Aldair no time titular, é fácil deduzir que o professor Fabinho quer mais poder de finalização, e isso quem diz é o próprio. “Nós temos jogadores que tem características muito interessantes. Nós não estamos usando o Aldair só por dentro. Com ele a gente ganha um jogador versátil na ponta com oportunidade de finalização”.

São duas tentativas de quebra: Uma é o tabu, a outra é a desconfiança

Lendo esse título acima, você pensa que esse texto é sobre tênis, mas não é, o Figueirense vai sim tentar quebrar o tabu e a desconfiança nessa partida contra o Joinville. O furacão não vence o JEC no norte do estado desde 2008, e isso de certa forma incomoda, por isso, o Figueira vai "babando" tentando quebrar essa escrita.

A desconfiança é outra coisa que vem pairando sobre o CT da Cambirela, mais especificamente com o professor Marquinhos, que tem um fraco aproveitamento de 22% desde que chegou ao Figueira. Um número negativo demais, que faz o comandante alvinegro já sentir a pressão de comandar, e a melhor forma de amenizar esse clima é conquistando os três, ainda mais por ser em uma partida com tanta história.

Com Everton, ex-JEC, no time titular e ciente da necessidade de vitória, Marquinhos já prepara a estreia de Zé Love, e ainda reforça que vai para Joinville em busca dos três pontos. “É uma remontagem do elenco, 12 contratações com a do João Paulo e é todo um processo. Mas não tem o que lamentar, vamos a Joinville para ganhar. Há a dificuldade de entrosamento e lesões, mas não cabe desculpas, temos que chegar lá para vencer”.