Náutico bate Salgueiro fora de casa e sai na frente pela vaga na Copa do Nordeste

Timbu voltou a vencer o Carcará em pleno Cornélio de Barros e conquistou vantagem para o jogo de volta

Náutico bate Salgueiro fora de casa e sai na frente pela vaga na Copa do Nordeste
Foto: Divulgação/Náutico
Salgueiro
0 1
Náutico
Salgueiro: Mondragon; Toty, Rogério, Ranieri, Daniel (Marlon, min. 62); Moreilândia, Rodolfo Potiguar, Cássio Ortega, Lucas Piauí (Anderson Lessa, min. 52), Jeferson Berger; Piauí (Paulinho Mossoró, intervalo). Técnico: Sérgio China
Náutico: Júlio César; Joazi, Rafael Pereira, Fabiano Eller, Henrique; Ygor, Rodrigo Souza, Caíque Valdívia, Esquerdinha (Matheus, min. 69), Roni (Gastón Filgueira, min. 87); Jefferson Nen (Rafael Coelho, intervalo). Técnico: Alexandre Gallo
Placar: 0-1, min. 48, Roni.
ÁRBITRO: Gleydson Leite (PE). Cartões Amarelos: Rodolfo Potiguar (min. 71), Fabiano Eller (min. 71), Caíque Valdívia (min. 78)
INCIDENCIAS: Partida válida pelo jogo de ida da disputa de terceiro lugar do Campeonato Pernambucano 2016, no Cornélio de Barros, em Salgueiro (PE)

Nesta quarta-feira (04), Salgueiro e Náutico se enfrentaram pelo jogo de ida da disputa de terceiro lugar do Campeonato Pernambucano 2016. A eliminatória vale vaga na Copa do Nordeste 2017 e o escrete de Conselheiro Rosa e Silva conseguiu a vantagem para o jogo de volta ao fazer 1 a 0, fora de casa. O gol da partida foi marcado pelo atacante Roni.

O confronto de volta acontece no próximo sábado (07), às 18h30, na Arena Pernambuco. A equipe comandada por Sérgio China precisa ir ao ataque e conseguir reverter o placar adverso. Os dois times terão três dias para trabalhar e montarem a estratégia para a partida.

No jogo de volta, o Náutico precisa apenas empatar que consegue a vaga na competição regional. Já o Salgueiro precisa vencer por um gol de diferença, que conquista a classificação. Se o jogo na Arena Pernambuco terminar 1 a 0 para os visitantes, o confronto vai para os pênaltis.

Ambas as equipes não conseguem produzir e primeiro tempo termina sem gols

O Carcará tentou fazer valer o mando de campo e o entrosamento, mas não conseguiu criar muitas oportunidades de gol. Já o Náutico, com um esquema de jogo diferente, bateu na marcação adversária e só deu um chute em gol, com Rodrigo Souza.

As duas equipes chegaram com mais perigo pelo lado direito de ataque. O Salgueiro tentou por diversas vezes com Cássio Ortega, que superou com facilidade a marcação de Henrique, e o Timbu teve como válvula de escape o atacante Roni. Porém, nenhuma chance clara de gol foi criada.

As duas melhores tentativas foram o chute fraco de fora da área de Rodrigo Souza pelo lado alvirrubro, e um escanteio que o zagueiro Ranieri completou, mas Júlio César defendeu com facilidade, pelo lado do time do sertão.

O primeiro tempo chegou ao fim e nenhuma das equipes conseguiu exigir uma grande defesa dos goleiros. Apenas marcação e um jogo bastante equilibrado no meio de campo. O Salgueiro até que tentou mais partir para o ataque, mas esbarrou na defesa alvirrubra. O time de Recife sentiu falta de um atacante de referência e não conseguiu transformar a mobilidade do seu meio de campo em poder ofensivo.

Náutico volta melhor e conquista a vitória

Depois de um primeiro tempo morno e fraco ofensivamente, os dois times voltaram para os últimos 45 minutos mais focados em buscar a vantagem. A equipe do Náutico conseguiu logo no começo abrir o placar. Roni recebeu bom lançamento de Caíque Valdívia e tocou na saída do goleiro, 1 a 0. 

Logo em seguida, após outro bom passe de Caíque, o mesmo Roni chutou, e o goleiro Mondragon fez a defesa. A equipe de casa partiu para cima e o técnico Sérgio China colocou o atacante Anderson Lessa. A substituição fez efeito e logo na primeira chance, Lessa recebeu, dominou e chutou por cima, com perigo. Alexandre Gallo tentou responder e promooveu a entrada de Rafael Coelho no lugar de Jefferson Nen, mas o atacante não teve nenhuma chance de perigo, apesar de entrado bem, abrindo espaços para a velocidade de Roni.

Querendo ampliar a vantagem, os comandados de Gallo foram ao ataque e em bela jogada quase marcaram o segundo. Caíque Valdívia abriu na direita para Ygor, que tocou para o meio e Roni, sozinho, bateu, mas Mondragon fez um milagre. 

No final da partida, Gastón Filgueira substituiu Roni para aumentar o poder de marcação do Timbu. Porém, quase que a equipe da casa conseguiu o empate. O lateral Henrique, que estava atuando mais adiantado pelo lado esquerdo, perdeu a bola no meio de campo e o Salgueiro quase marcou no contra-ataque. Anderson Lessa recebeu passe dentro da área, chutou forte, e Júlio César salvou o Náutico.