Náutico defende manutenção no G-4 da Série B contra embalado Paraná

Há quatro jogos sem perder, Timbu aposta em invencibilidade na Arena Pernambuco como trunfo para seguir no grupo classificatório à elite, enquanto que o Tricolor visa encostar nas cabeças ao acumular série invicta de seis duelos

Náutico defende manutenção no G-4 da Série B contra embalado Paraná
Foto: Lucas Soares/Especial para o Náutico
Náutico
Paraná
Náutico: Júlio César; Joazi, Rafael Pereira, Eduardo e Henrique; Eurico, Maylson, Rony, Renan Oliveira e Jefferson Nem; Bérgson. Técnico: Alexandre Gallo
Paraná: Marcos; Leandro Silva, Pitty, João Paulo e Fernandes; Anderson Uchôa, Basso, Diego Tavares e Valber (Marcelinho ou Murilo Rangel); Robson e Lúcio Flávio (Robert). Técnico: Claudinei Oliveira
ÁRBITRO: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 8ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, realizada na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata

Vivendo momento fenomenal na Série B do Campeonato Brasileiro 2016Náutico Paraná medem forças na tarde deste sábado (11), às 16h, na Arena Pernambuco, em jogo pela 8ª rodada. As equipes, que defendem boas séries invictas, se enfrentam visando somente o G-4 da competição nacional.

Sem saber o que é ser derrotado há quatro partidas e já no grupo de classificação à elite, o Timbu vem de três vitórias consecutivas, que o deixaram na 4ª colocação, com os mesmos 13 pontos de Criciúma - que perdeu para o Sampaio Corrêa - e do Ceará, que duela contra o irregular Luverdense, atualmente na parte inferior da classificação. Na última terça-feira (7), mesmo longe de casa, os alvirrubros foram valentes e venceram o Paysandu por 3 a 1.

Já a Gralha perdeu apenas um compromisso, que foi na estreia para o Brasil de Pelotas. De lá para cá, dois triunfos e quatro empates, que o fizeram ficar no meio da tabela, porém bem próximo das cabeças do certame. Contra o vice-líder - à época - Atlético-GO, ficou somente na igualdade sem gols dentro de casa, estacionando na 11ª posição e chegando aos dez pontos ganhos.

A arbitragem do confronto é do paulista Flávio Rodrigues de Souza, aspirante à Fifa. Ele terá como auxiliares o sergipano Aílton Farias da Silva, do quadro da CBF, e o conterrâneo Ricardo Pavanelli Lanutto, também membro do escalão nacional. Esse é o primeiro embate na Segundona como árbitro principal de Flávio, que ficou como quarto em outras duas oportunidades, inclusive na última rodada.

Náutico aposta no fator casa para sair vitorioso

Apesar das coisas fluírem bem dentro de campo, o técnico Gallo tem alguns desfalques, promovendo ainda mais mistério no Náutico. Com quatro baixas, duas por lesão e duas por suspensão, o comandante do time alvirrubro já tem a base em mente, mas optou por não revelá-la antecipadamente.

Os volantes Rodrigo Souza e João Ananias vivem situação distinta no departamento médico, sem reunir condições de jogo contra o Paraná. Rodrigo segue se recuperando de uma contusão que o deixou de fora dos últimos dois duelos, enquanto João foi liberado para a transição, focando somente nos treinamentos com bola. Já os laterais-esquerdos Gastón Filgueira - improvisado na cabeça de área - e Mateus Müller, suspensos, não podem atuar. Por conta disso, a tendência é a entrada de Eurico no setor de marcação, contudo Henrique volta a ter chance na equipe na sua função de origem.

Por outro lado, quem volta a ter oportunidade de jogar é o zagueiro e capitão Ronaldo Alves, que se recuperou de uma luxação no ombro, podendo fazer a estreia nessa Série B. Eurico, que ganha a condição de estrear entre os 11, enaltece a confiança dada pelo comandante do Timbu.

"Estou preparado para fazer um ótimo trabalho em campo. Sempre que Gallo precisar contar comigo, espero que possa corresponder à altura e ajudar o Náutico a sair com mais uma vitória no campeonato. Vamos buscar isso (contra o Paraná) para que possamos continuar no G-4", destacou o marcador.

Paraná depende do DM para ter equipe definida

Assim como o Náutico, o Paraná também passa por problemas para a definição do time que entrará em campo. Diferentemente do Timbu, os tricolores, sofrem apenas com contusões, sem estar desfalcado por suspensão. Além de já ter três dúvidas, o treinador Claudinei Oliveira tem quatro ausências certas, todas pelo mesmo motivo.

O volante Anderson Uchôa, o meia Válber e o atacante Lúcio Flávio não terminaram a partida contra o Dragão, no meio de semana, e vão ser reavaliados pelo departamento médico momentos antes. De outro lado, o técnico da Gralha perde o lateral-esquerdo Rafael Carioca pela terceira vez seguida, mesmo tendo a expectativa de voltar. Outro que segue de fora é o cabeça de área Jean, ainda sem condições de atuar, assim como o seu companheiro de posição Lucas Otávio e o armador Nádson, finalizando a lista.

O centroavante Robson, após cumprir a automática contra os goianos e voltar a ficar à disposição do técnico, não sabe com quem formará a dupla de ataque. Caso Lúcio Flávio seja vetado, o experiente Robert é premiado com a vaga na frente. Indefinições à parte, Claudinei exalta a força do poder defensivo, declarando que os 11 iniciais não deverão ser modificados.

"Temos duas ou três opções para a escalação e sabemos com quem não vamos contar. Ainda assim, não deverei mudar o que já vinha fazendo, deixando a base mantida. Já há dois jogos que não sofremos gols com essa estrutura defensiva, então não posso alterar o que já vem dando certo", disse Oliveira.