Mesmo com a vitória, Alexandre Gallo critica elenco alvirrubro: "Não gostei"

Treinador do Náutico não gostou da atuação do time na vitória sobre o Luverdense, na última terça (28), por 1 a 0

Mesmo com a vitória, Alexandre Gallo critica elenco alvirrubro: "Não gostei"
Mesmo com a vitória, Alexandre Gallo critica elenco alvirrubro: "Não gostei" (Foto: Divulgação/Náutico)

Apesar de terem conseguido a vitória contra o Luverdense, por 1 a 0, após quatro jogos sem vencer pela Série B, os jogadores do Timbu foram criticados pelo técnico Alexandre Gallo. Com uma atuação fraca na Arena Pernambuco, os comandados alvirrubros tiveram que ouvir a opinião sincera do treinador.

Gallo foi simples e direto sobre o desempenho do elenco: "Não gostei". Segundo ele, "o time ficou bastante inseguro no primeiro tempo. Criamos algumas chances, mas Mateus Muller não foi bem, o que causou uma insegurança e transferiu isso para a torcida. Isso durou até uns 20 minutos do primeiro tempo. Depois, nos equilibramos e melhoramos".

Continuando a entrevista, apontou sua insatisfação com o placar magro da partida: "As trocas que fiz no intervalo foram pertinentes. Gastón voltou bem à lateral-esquerda, Hugo e Ygor entraram bem", afirmou Gallo. "Nosso time criou seis ou sete chances de gol. Mas não fez. A situação ficou perigosa para nós. Faltou um pouco de tranquilidade para resolver o jogo."

Apesar das críticas negativas, o resultado não foi de todo ruim para o Timbu. Com os três pontos, a equipe colou no G4 e agora ocupa a quinta colocação, com 21 pontos, um atrás do CRB, quarto colocado. "Se fechasse os olhos, voltasse para o início do campeonato e olharmos para a 13ª rodada, na quinta colocação e com uma das melhores defesas, estaria muito satisfeito", disse Gallo.

"Nós ainda perdemos muito com algumas peças. O Eurico, o João Ananias ainda não estão prontos para jogar. Então, está muito bom. Entre o primeiro e o oitavo colocado é onde nós queremos ficar por enquanto para criar uma gordura.”, reforçou.

Por fim, o técnico do Náutico reclamou da falta de tempo para treinar entre os jogos. "Não temos condição de treinar. Nenhum time tem", apontou ele. "Conversamos com a comissão técnica do Ceará, Paysandu, Joinville, e todo mundo tá passando pelo mesmo problema. O único treino que a gente faz é de bola parada. Porque é jogo em cima de jogo. E 48h após a partida é o pico de cansaço do jogador. Não pode exigir muito para não lesionar os atletas", finalizou.

Na próxima rodada, o Náutico encara o Atlético-GO, atual vice-líder da competição, no Serra Dourada. A bola rola em Goiânia às 16h do próximo sábado, dia 2 de julho.