Givanildo lamenta erro nas finalizações, mas avalia positivamente atuação do Náutico

Técnico gostou da postura da equipe no seu primeiro jogo como comandante alvirrubro, mas fez uma cobrança por melhor aproveitamento do ataque

Givanildo lamenta erro nas finalizações, mas avalia positivamente atuação do Náutico
Foto: Divulgação/Náutico

A estreia do técnico Givanildo Oliveira no Náutico poderia acontecer da melhor maneira possível: com os três pontos garantidos. No entanto, a falta de qualidade nas finalizações impediu o triunfo do Timbu contra o Bahia nesta tarde sábado (10), na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, Pernambuco. Depois do confronto, o comandante alvirrubro lamentou a falta de pontaria do ataque, mas exaltou a postura de seus comandados durantes os 90 minutos.

O experiente técnico Givanildo Oliveira destacou a satisfação com a entrega demonstrada pelos jogadores durante a partida. Pontuando que teve pouco tempo para montar o time para o jogo, o comandante apontou uma certa evolução em relação as últimas atuações do alvirrubro de Rosa e Silva.

“Deixei o campo satisfeito com algumas situações apresentadas pela nossa equipe, mas também não aprovei outros momentos. Tivemos apenas três dias de trabalho, então, pela maneira como aconteceu e pelo o que soube através de Kuki e Levi Gomes, houve uma certa diferença na maneira como o time atuou em relação às últimas partidas. Pelo menos, houve uma entrega maior”, comentou o treinador, que destacou a eficiência do setor defensivo para controlar o forte sistema ofensivo do Bahia.

“Enfrentamos um time forte, que vem embalado na competição. O Bahia não perde há alguns jogos e trouxe certa dificuldade. Mostramos uma entrega e soubemos nos portar bem em campo, tendo o adversário chegado com perigo apenas uma vez”, continuou.

Todo torcedor alvirrubro se queixa desde o começo da temporada da falta de pontaria do ataque para conseguir as vitórias. Até o momento, ninguém conseguiu suprir a carência do setor ofensivo. Já no primeiro jogo, Givanildo Oliveira sentiu esse problema e avaliou os erros de finalizações como fundamental para não conseguiu vencer o adversário.

O ponto negativo neste confronto ficou por conta da falta de pontaria do nosso setor ofensivo. Era necessário ter mais precisão na hora de colocar a bola para o fundo das redes. Tivemos que colocar o Bergson como atacante e ele até lutou bastante para fazer o gol.

“O lado negativo foi que a gente tinha que ter mais precisão na hora de concluir. Chegamos à linha de fundo e não apareceu ninguém para colocar a bola para dentro. Tivemos que jogar com Bergson como atacante e ele lutou bastante”, avaliou.

Por fim, o técnico alvirrubro mostrou que acredita em uma recuperação de sua equipe para conseguir o acesso à elite do futebol brasileiro. De acordo com Givanildo, o Timbu não pode continuar tropeçando dentro de casa, como vem acontecendo há algumas rodadas, e ainda precisa recuperar os pontos perdidos vencendo fora dos seus domínios.

“Nessa competição é preciso fazer o dever de casa para conseguir o acesso. Estamos falhando nisso, mas temos chances ainda. Nem os matemáticos vão falar que não podemos subir. Claro que vai depender do resultado. Teremos um jogo fora agora e, se ganhar, já vai ficar melhor”, encerrou.