Náutico bate Brasil de Pelotas, entra no G-4 e chega à quinta vitória consecutiva

Timbu explora superioridade numérica e supera Xavante em confronto direto, indo provisoriamente ao grupo classificatório à elite

Náutico bate Brasil de Pelotas, entra no G-4 e chega à quinta vitória consecutiva
Foto: Léo Lemos/Náutico
Náutico
1 0
Brasil de Pelotas
Náutico: Júlio César; Joazi, Rafael Pereira, Igor Rabello e Gastón Filgueira; Negretti, Rodrigo Souza (Renan Oliveira, intervalo), Marco Antônio (Eurico, min. 66) e Vinícius; Rony e Bérgson (Yuri Mamute, min. 83). Técnico: Givanildo Oliveira
Brasil de Pelotas: Eduardo Martini; Weldinho, Cirilo, Leandro Camilo e Brock; Leandro Leite, Washington, Diogo Oliveira (Marcão, intervalo) e Ramon (Jonatas Belusso, min. 65); Felipe Garcia e Elias (Nathan, min. 74). Técnico: Rogério Zimmermann
Placar: 1-0, min. 44, Bérgson; 2-0, min. 82, Marcão (contra)
ÁRBITRO: Edmar Campos Encarnação (AM). Cartões amarelos: Felipe Garcia (min. 37), Elias (min. 57) e Gastón Filgueira (min. 70). Cartão vermelho: Washington (min. 41)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 30ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, realizada na Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata

A noite desta sexta-feira (7), na Arena de Pernambuco, deu o pontapé inicial ao primeiro dos três duelos envolvendo os seis melhores times da Série B do Campeonato Brasileiro 2016. No embate realizado em São Lourenço da Mata, o Náutico foi superior desde o início e venceu o Brasil de Pelotas por 2 a 0, com gols de Bérgson Marcão, contra, sendo válido pela 29ª rodada do certame nacional.

Esse foi o quinto triunfo seguido do Timbu no torneio, que o levou ao G-4, mesmo de maneira provisória, chegando aos 48 pontos ganhos e na 3ª posição. Já o Xavante permanece fora do grupo classificatório à elite, mas indo para a 7ª colocação devido à vitória do Criciúma sobre o Vila Nova por 1 a 0, estacionando nos 45 pontos.

Os times voltam a campo, pela 31ª rodada da Segundona, no próximo fim de semana. Enquanto que os pernambucanos jogam de novo com o incentivo dos torcedores, contra o Ceará às 18h30 do sábado (15), os gaúchos vão fazer novo confronto para seguir lutando pelo acesso, ao visitar o Bahia, na sexta-feira (14), às 21h30.

Náutico fica com um a mais e abre o placar

A vitória era a única meta desde o apito inicial apontado pelo árbitro amazonense Edmar Campos Encarnação. Com isso, o embate teve um início bastante movimentado, mas muito equilibrado e sem lances no ataque. Os goleiros, experientes, apenas observaram os atletas pouco levarem perigo, além de procurarem espaços para ficar em vantagem no placar.

Procurando aproveitar o fator casa, o Náutico até teve maior volume, porém não era criativo e não assustou Eduardo Martini. Ainda assim, o Timbu criou a primeira boa oportunidade, quando Vinícius chutou de fora da área e a bola saiu rasteira pela linha de fundo, todavia sem direção.

Náutico explora superioridade numérica e sai em vantagem (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)
Náutico explora superioridade numérica e sai em vantagem (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)

Com mais posse e empurrado pela torcida, os pernambucanos saíram ao setor ofensivo com maior cautela tentando aproveitar as falhas do Xavante. Se já estava ruim aos gaúchos, agravou próximo aos últimos minutos, quando o meia Washington deu uma entrada dura em cima de Marco Antônio, já caído em campo, deixando a equipe com menos um.

Na base da persistência, os alvirrubros foram recompensados por ter uma apresentação superior ao adversário. Marco Antônio lançou em profundidade para Bérgson, que recebeu com liberdade e arrematou cruzado na saída do goleiro dos visitantes, vendo a pelota ir no fundo do gol.

Timbu explora vantagem e sacramenta triunfo no fim

Para a etapa final, Givanildo optou por tirar Rodrigo Souza, que antes estava cogitado de não iniciar a partida, com Renan Oliveira indo na sua vaga. Já Rogério Zimmermann decidiu priorizar a marcação, com o volante Marcão entrando no lugar do meia-atacante Diogo Oliveira, deixando o meio-campo mais consistente.

Apesar das mudanças, foi o Náutico quem explorou as vantagens que tinha, tanto na quantidade de jogadores como no placar. Antes dos 10 minutos, Rony arrancou bem em velocidade pelo lado direito e serviu Bérgson, que dominou e encheu o pé, todavia arrematou em cima de Cirilo, perdendo boa chance.

Com o domínio das ações ofensivas, o Timbu rodou a bola afim de ter maior liberdade para penetrar pelo sistema defensivo do Brasil, mas sem assustar. O Xavante, que não deu espaços, saiu no contra-ataque e fez com que Júlio César fizesse sua primeira defesa no jogo. Depois de cruzamento na pequena área, Ramon tocou de calcanhar e Felipe Garcia, atual artilheiro da Série B, bateu forte e rasteiro, obrigando o camisa 1 a fazer boa intervenção.

Mais cautelosos, os alvirrubros valorizaram o que já conquistaram e, com isso, conseguiram confirmar a vitória. Rony, que foi dedicado do início ao fim, entrou na pequena área pela esquerda e bateu cruzado, entretanto Marcão cortou mal e a bola morreu no fundo do gol, antes de que chegasse em Vinícius.