Ainda sonhando com acesso, Náutico tenta manter chances dependendo de resultados

Em misto de série invicta e irregularidade nas últimas rodadas, Timbu passa a torcer contra os adversários diretos para retornar ao G-4 e garantir vaga na elite

Ainda sonhando com acesso, Náutico tenta manter chances dependendo de resultados
Empate sem gols com o Bahia - rival direto - na estreia de Givanildo, somado às três derrotas em cinco jogos, fez a equipe deixar a zona classificatória (Foto: Léo Lemos/Náutico)

Na matemática, os números são infinitos, positivos ou negativos. Para o futebol, as possibilidades só se esgotam quando chegam a zero, pois é o ponto mínimo. Nem a derrota para o Avaí fez o Náutico deixar a oportunidade de ir à Série A, depois de atuar três anos na Série B do Campeonato Brasileiro. Na edição atual, o Timbu viveu muitos altos e baixos, mas sem desacreditar no objetivo tão almejado pelos times.

A troca de comando durante a competição, promovendo a entrada de Givanildo Oliveira na vaga de Alexandre Gallo, deu novo fôlego ao alvirrubro. Antes contestado pela série ruim de resultados, o clube da Rosa e Silva atingiu uma sequência invicta de oito jogos, que o deixou não apenas no G-4, também com uma gordura muito boa junto a seus rivais diretos, somando incríveis 83% de aproveitamento.

Nas últimas cinco partidas, contudo, os pernambucanos descuidaram e viram a vaga na elite ficar seriamente ameaçada e com apenas 40% de rendimento, vencendo apenas duas vezes e perdendo três. Se quer seguir sonhando com espaço entre as 20 melhores equipes do país, os representantes de Pernambuco na Segundona precisa não mais fazer sua parte, porém torcer contra os rivais diretos, como Bahia e justo o Leão catarinense.

Em 2011, o Sport venceu os últimos três jogos e contou com tropeço dos adversários para subir (Foto: Divulgação/Sport)
Em 2011, o Sport venceu os últimos três jogos e contou com tropeço dos adversários para subir (Foto: Divulgação/Sport)

Na 37ª rodada, o Timbu vai até Juiz de Fora encarar o rebaixado Tupi, já os baianos recebem o desesperado Bragantino e os avaianos vão a Londrina enfrentar o Tubarão. Na 38ª e última, os alvirrubros terão o fator casa ante o Oeste, os tricolores fecham com o campeão Atlético-GO, em Goiânia, e os alvi-celestes encerram contra o Bragantino, sem o apoio da torcida.

Com 15,1% de chance, os pernambucanos podem se apoiar nos rivais estaduais, em edições recentes, para ir à Primeira Divisão. Em 2011, o Sport precisou de três triunfos nos três últimos duelos, além de secar. Sua parte foi feita batendo Americana (4x0), Paraná (3x0) e Vila Nova (1x0), além de Vitória perdendo um e ganhando dois; enquanto que o Bragantino perdeu duas vezes e ganhou uma.

Já na temporada passada, o Santa Cruz atingiu uma sequência de oito compromissos sem ser derrotado justamente depois de ser superado pelo Timbu, por 3 a 1, no Arruda. Diferentemente dos rubro-negros, o Mais Querido conquistou a classificação à Série A ao derrotar o Mogi Mirim, no Novelli Júnior, em Itu.

Corais levaram a melhor sobre o Sapão por 3 a 0 e voltaram à elite (Foto: Antônio Melcop/Santa Cruz)
Corais levaram a melhor sobre o Sapão por 3 a 0 e voltaram à elite (Foto: Antônio Melcop/Santa Cruz)