Náutico vence Tupi e decide acesso à Série A na última rodada

Pernambucanos cumprem o dever fora de casa e encostam no G-4, tendo agora que vencer o próximo jogo e torcer contra o Vasco para retornarem à elite

Náutico vence Tupi e decide acesso à Série A na última rodada
Foto: Felipe Couri/Tupi FC
Tupi
1 4
Náutico
Tupi: Rafael; Douglas (min.14, 2ºT, Vinicius Kiss), Gabriel, Bruno, Luiz Paulo, Marcel, Renan, Marcos, Hiroshi, Giancarlo (min. 29, 2ºT, Glaysson), e Sávio (min. 32, 2ºT, Ygor).
Náutico: Julio César; Joazi, Rafael, Igor, Gastón, João, Rodrigo Souza, Rony, Vinícius (min. 22, 2ºT, Léo Santos), Esquerdinha (min. 36, 2ºT, Eurico) e Bergson (min. 22, 2ºT, Renan).
Placar: 0-1, min.14, Rony | 0-2, min. 42, Bergson | 1-2, min. 55, Giancarlo | 1-3, min. 75, Rafael | 1-4, min. 94, Léo Santos.
ÁRBITRO: Francisco de Paula dos Santos (RS), auxiliado por Lúcio Beiersdorf Flor (RS) e Jorge Eduardo Bernardi (RS). Cartões amarelos: Vinícius, Rodrigo Souza, Bergson (NAU), Rafael Santos (2), Hiroshi (TUP)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 37ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, realizado no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora/MG, às 16h30 do dia 19 de novembro.

O Náutico foi até o Estádio Municipal, em Juiz de Fora, na tarde deste sábado (19), e derrotou o já rebaixado para a terceira divisão, Tupi, por 4 a 1. Com gols de Rony, Bergson, Rafael e Léo Santos, tendo Giancarlo descontado para o Galo, os pernambucanos chegaram aos 60 pontos, no quinto lugar, e jogam as contas para o acesso à elite do Brasileirão para a última rodada. Já o Tupi permaneceu em penúltimo na tabela da competição e, a oito pontos do primeiro time fora do Z-4, nada mais pode fazer pela sua permanência na Série B.

O técnico do Naútico, Givanildo Oliveira, já foi responsável por cinco acessos à Série A. Dentre eles, Santa Cruz e Sport, outros dois grandes clubes de Pernambuco, e com o Timbu, o treinador tem a chance de fazer história em mais um clube do estado. Para isso, o Náutico precisa vencer o Oeste na próxima rodada, que encerra esta edição da Série B, jogo que acontece na Arena Pernambuco, dia 26 de novembro, às 17h30. Os pernambucanos também precisam torcer por um empate ou uma derrota do Vasco para o Ceará, e assim concretizar a possível volta à elite do Brasileirão.

No caso do Tupi, as perspectivas já não existiam. Os mineiros entraram em campo com o rebaixamento já efetivado e vão jogar a Série C do Campeonato Brasileiro em 2017. Na última rodada, o Galo enfrenta o Paraná fora de casa, no Durival Britto, dia 25 de novembro, às 19h15. A equipe do Sul não tem mais chance de cair para a terceira divisão, já que na pior das combinações, empataria em mesmo número de pontos com o Joinville na próxima rodada, mas se sobressairia no número de vitórias.

O dono do apito do duelo que manteve acesa a esperança dos torcedores do Náutico foi o gaúcho Francisco de Paula dos Santos, que teve como auxiliares os assistentes Lúcio Beiersdorf Flor e Jorge Eduardo Bernardi.

Tupi começa melhor, mas cai de produção e Naútico faz dois

O Náutico precisava mais de uma vitória do que o Tupi, mas eram os mineiros quem detinham maior posse de bola no início do duelo. Aos 7 minutos, o volante Marcel limpou bem a jogada na intermediária e arriscou de longe, na primeira finalização do jogo. Em lance de falta para o Tupi, que resultou em cartão amarelo para Rodrigo Souza e a mesma punição, só que por reclamação, para Vinicius, Luiz Paulo cobrou direto na área de Julio César, mas o goleiro saiu bem e espanou o perigo.

Depois de cobrança de escanteio, Rony pegou de primeira, quase de voleio, mas a finalização não saiu como esperava, e Rafael Santos ficou tranquilo para defender. Se essa tentativa do atacante falhou, o lance seguinte foi certeiro e no fundo da rede. Quando o relógio marcava 14 minutos, Rodrigo Souza roubou a bola no meio de campo e tocou para Esquerdinha, que avançou e fez um cruzamento perpassando toda a zaga mineira. Rony apareceu livre e só teve o trabalho de tocar para o gol, inaugurando o placar do jogo.

Aos 21 minutos, Luiz Paulo cobrou falta direto na pequena área alvirrubra, mas Julio Cesar mergulhou no lance e ficou com a bola. Em resposta, Joazi fez um cruzamento mirando Bergson, mas o atacante errou no domínio e o goleiro Rafael Santos se antecipou para a defesa. Os pernambucanos voltaram a assustar depois de boa troca de passes entre Vinicius e Rony. O autor do gol chegou bem na pequena área, mas mandou a bola para fora em um chute cruzado.

O Tupi chegou a pedir um pênalti depois que Bruno cabeceou em direção ao gol, e a bola acabou resvalando no braço do volante Rodrigo Souza na pequena área, mas o juiz não deu. Em lance seguinte, com a reposição do goleiro Julio César, Vinicius recebeu um longo passe cruzado, invadiu a área do Tupi e cruzou para Esquerdinha, que exigiu uma bela defesa de Rafael Santos.

Em outro lance de reclamação por parte dos mineiros, aos 42 minutos, o Náutico ampliou o placar. Esquerdinha escorou a bola de cabeça para Bergson, que dominou a bola com o braço esquerdo e, no meio da zaga do Galo, chutou para o gol. A bola ainda desviou em Douglas e acabou pegando o goleiro Rafael Santos no contra-pé.

Tupi até esboça uma reação, mas Náutico é incisivo e vence a partida

Na volta para a etapa  decisiva do jogo, o Tupi não abaixou o ânimo com o placar desfavorável em casa. Aos 7 minutos, Sávio apareceu bem entre os zagueiros alvirrubros e cabeceou com perigo contra a meta de Julio César, que só conseguiu ver a bola passando bem perto do seu gol. As investidas do Tupi eram mais recorrentes no início do segundo tempo, até que uma falha da zaga do Náutico não ficou impune.

Aos 10 minutos, a bola surgiu com perigo na área pernambucana, e o lateral Gáston pegou muito mal no corte, deixando o domínio do lance para Marcos Serrato. O volante cruzou bem para Giancarlo, que finalizou para o gol e diminuiu o placar para os mineiros.  Três minutos depois, foi a vez do Náutico levar perigo, depois que Rony ajeitou a bola para Vinícius soltar um belo chute, mas Rafael conseguiu desviar a bola com sutileza e impedir o terceiro gol dos visitantes.

Em grande lance para os mineiros e brilhantismo do goleiro alvirrubro, Giancarlo subiu mais alto que a zaga adversária e cabeceou bem no canto esquerdo, mas Julio César apareceu para fazer uma belíssima defesa e evitar o empate. Aos 24 minutos, Renan recebeu cruzamento da direita, estando totalmente livre de marcação na área do Galo, e finalizou, mas a bola foi abafada pelo goleiro Rafael Santos.

O Tupi esboçava alguma pressão contra os visitantes, mas em lances pontuais o Náutico também tentava suas jogadas ofensivas. Em uma delas, aos 27 minutos, Rony recebeu passe pelo meio da área, se livrou do marcador, e quando se preparou para chutar, o goleiro Rafael Santos entrou com um carrinho desleal e cometeu pênalti. Como já tinha um cartão amarelo no jogo, recebeu o segundo e foi expulso, dando lugar a Glaysson e chance aos visitantes de ampliarem o placar. O zagueiro Rafael foi para a cobrança do penal e com um chute forte no meio do gol, fez o terceiro para os pernambucanos.

O ritmo do jogo diminuiu, e o Tupi já não ameaçava mais o gol do Timbu, que tinha todo o contexto da partida a seu favor. O placar caminhava para terminar marcando 3 a 1 para o Náutico, até que no último lance do jogo, Léo Santos partiu em contra-ataque e com velocidade entrou na área do Tupi, tocando na saída do goleiro Glaysson. O atacante marcou o quarto dos pernambucanos e fechou a conta no Estádio Municipal em 4 a 1 para os visitantes.