Roberto Fernandes destaca problemas do Náutico na construção de jogadas em empate

Timbu permanece líder do Campeonato Pernambucano mesmo com igualdade diante do Vitória

Roberto Fernandes destaca problemas do Náutico na construção de jogadas em empate
(Foto:Luís Francisco Prates/VAVEL Brasil)

Os torcedores alvirrubros que foram na Arena de Pernambuco na tarde deste domingo (28) não puderam acompanhar o mesmo bom futebol que a equipe da Conselheiro Rosa e Silva apresentou no Clássico dos Clássicos. Enfrentando o Vitória das Tabocas como visitante na arena, o Náutico voltou a mostrar problemas que já vinham acontecendo em alguns dos últimos seis jogos da equipe no ano.

Técnico Roberto Fernandes confessou que a estratégia inicial era a mesma, que deu certo, no jogo contra o Sport, deixar a bola com o adversário e sair nos contra ataques, mas decidiu mudar porque não estava satisfeito com a contrução do jogo.

"A proposta de jogo era a mesma mas o adversário era outro. Então com o jogo 0 a 0 eu não estava satisfeito com a contrução do jogo. O jogo estava de intermediária a intermediária. O Náutico já tinha chegado duas vezes mas sem ser num lance tão agudo", falou. Treinador também comentou alterações feitas por ele ainda no primeiro tempo.

"No momento que a gente sofreu o gol eu aguardei mais dez minutos e a postura da construção de jogada se mantinha a mesma. Então optamos pela modificação, tiramos um volante (Willian Gaúcho) e colocamos um meia (Junior Timbó), e tirando um lateral (Kevine colocando um atacante (Tharcysio) pra equiper ter uma postura um pouco mais pra frente", justificou.

Após as substituições, a proposta deveria ser outra. O Timbu precisou ficar com a bola, e sempre que os alvirrubros precisam propor o jogo sentem a dificuldade na construção das jogadas. A falta de criatividade, de novo, pesou contra o Náutico. Roberto destacou liderança de seu time na competição (agora com sete pontos), reconheceu ausência de inspiração e enxergou resultado final da partida como justo.

"O Náutico mantém-se na liderança, mas poderia estar na liderança de forma mais folgada. Coisa que o empate acaba espremendo a possibilidade de outras equipes encostarem. Eu acho que nós, em termos de construção de jogada, não tivemos uma tarde muito inspirada", disse. "Para o que produziu o Vitória e pelo que produziu o Náutico, o 1 a 1 está de bom tamanho", concluiu.

Alvirrubros voltam a atuar numa maratona de partidas e viagens já com decisão e muito dinheiro em jogo. Na quarta-feira (31) a equipe viaja para o estado do Maranhão para enfrentar o Cordino-MA pela Copa do Brasil, às 20h30, valendo 600mil reais. Timbu precisa apenas do empate para avançar de fase e conseguir a premiação. Três dias depois disso, voltam para Pernambuco e vão até o interior do estado para jogar contra o Pesqueira, em partida válida pelo Campeonato Pernambucano, às 20h.