Jean destaca força do Palmeiras na luta pelo título: "Somos o time a ser batido"

Com dois títulos brasileiros por outros clubes, jogador se disse surpreso por voltar à lateral-direita e espera nova chance na Seleção

Jean destaca força do Palmeiras na luta pelo título: "Somos o time a ser batido"
Jean esteve em campo em 44 jogos pelo Palmeiras em 2016 (Foto: Willian Pereira / VAVEL Brasil)

Dentro do elenco do Palmeiras, Jean é um dos poucos que já sentiu o gosto de ser campeão brasileiro. O jogador estava no elenco do São Paulo, campeão em 2008 e no Fluminense, em 2012. A chance de soltar o grito de campeão pela terceira vez contagia o camisa 17, que é peça fundamental no esquema do técnico Cuca. No ano, são 44 aparições – 26 delas pelo Campeonato Brasileiro.

Precisamos ganhar todos os jogos. Mas o bom é que estamos conseguindo manter o foco e a regularidade. As vitórias estão aparecendo e somos o time a ser batido. Nenhum time está dando brecha, e nós também não podemos dar. Por isso, acabamos sendo os mais visados”, declarou.

No Brasileirão, o lateral já balançou a rede quatro vezes e mesmo atuando em uma posição mais defensiva, ele não esconde a felicidade de fazer parte do time. O jogador chegou ao Palmeiras como volante, sua posição de origem. Mas no decorrer do campeonato, virou titular na lateral, posição que exerceu poucas vezes na carreira.

Me surpreendi, porque faziam quatro ou cinco anos que não atuava nessa posição. No Fluminense foi um jogo ou outro, pois atuava como um segundo volante mesmo. Mas ter uma sequência como lateral me surpreendeu e eu fico muito feliz pelos números. São importantíssimos pra minha carreira, fico feliz, mas procuro não parar por aqui. Quero continuar fazendo gols e dando assistências, mas o primordial é acertar a zaga e fazer a primeira função de um lateral, que é marcar”, disse.

Pensando na amarelinha

Os bons rendimentos na lateral fazem o jogador sonhar mais alto e pensar, inclusive, em voltar a vestir a camisa da Seleção Brasileira. Em novembro de 2012, o jogador chegou a ser convocado pelo técnico Mano Menezes e no ano seguinte, por Luis Felipe Scolari. Ao todo, foram seis partidas com a amarelinha, conquistando, inclusive, o título da Copa das Confederações em 2013.

É o sonho de todo jogador e Graças a Deus já consegui vestir e conquistar títulos. Mas se pintar essa oportunidade, vai ser como se fosse a primeira vez. Eu sinceramente penso a cada momento e a cada dia, porque na minha vinda sempre foi assim, surpreendente. E graças a Deus me preparei bastante para que quando essas oportunidades aparecessem, fossem aproveitadas por mim. Então, meu desejo é poder ter uma nova oportunidade”, admitiu Jean.

Motivação histórica

Questionado sobre a declaração do meio-campista Everton, do Flamengo, quando afirmou que “uma hora o Palmeiras teria de tropeçar”, Jean fugiu de debates e deu razões para os rubro-negros acreditarem em um resultado ruim do Verdão. Afirmou, também, que comentários assim não servem de motivação para o time, que tem “algo muito maior” como incentivo.

Esse momento cada um se motiva da maneira que pensa, e eles tem de se motivar, pois somos o time a ser batido. Mas a nossa motivação é muito maior que isso. Ela não pode vir de uma palavra de um, frase de outro ou pensamento de um adversário. Nossa motivação são 22 anos sem títulos, é por ser o maior clube do Brasil, então a nossa motivação é muito maior do que ficar pensando nesse tipo de situação”, disse.

A diferença do Palmeiras para o Flamengo, segundo colocado, é de três pontos. O Verdão entra em campo nesta quinta-feira (13), às 19h30, na Arena da Fonte, em Araraquara, contra o Cruzeiro. O time viaja nesta quarta-feira (12) para o interior, onde fará um treino na parte da tarde.