Palmeiras 2016: Dudu, a importância de decisão do capitão

Camisa 7 do Verdão foi o líder de assistências da equipe, escolhido como capitão e mostrou muita maturidade para ajudar o time rumo ao título

Palmeiras 2016: Dudu, a importância de decisão do capitão
Fotomontagem: Hugo Alves e Rodrigo Rodrigues/VAVEL Brasil

Na esperança de acabar com um jejum que dura 22 anos, o Palmeiras conta com um jogador essencial no elenco para, enfim, levantar o troféu do Campeonato Brasileiro em 2016: Eduardo Pereira Rodrigues, o Dudu. O jogador chegou ao clube depois do famoso chapéu em cima de Corinthians e São Paulo. Os quase R$ 20 milhões gastos fizeram que ele chegasse ao clube como a grande contratação do clube para a temporada de 2015 e por isso havia enorme pressão em cima do camisa 7 em campo.

Pode-se dizer que o jogador começou tímido sua trajetória na Academia e, para piorar, foi expulso na final do Campeonato Paulista diante do Santos, além de ser suspenso pelo STJD por agressão ao árbitro, o que resultou em seis partidas de suspensão. Mas após o ocorrido, ele mudou seu temperamento, mostrou todo seu potencial e terminou 2015 como artilheiro da equipe, com 16 gols, e sendo decisivo na final da Copa do Brasil marcando os dois gols que ajudaram o time a levantar a taça.

Já em 2016, o jogador continuou como titular absoluto e como destaque da equipe, e no Brasileirão marcou 6 gols e ajudou com 10 assistências. Jogando mais aberto pelas pontas, passou a ter uma importância ainda maior no ataque, correndo todo instante e brigando por todas as bolas, o que o fez receber o apelido de "guerreiro" - muito porque Dudu gosta de ser comparado com o ídolo palmeirense Edmundo -.

Com a mudança de temperamento e das atitudes dentro de campo, dois ocorridos marcaram o camisa 7 nesse campeonato: a oportunidade de ser capitão de uma equipe, fato que ele mesmo declarou ser importante para sua carreira - "Com os anos, a gente cresce profissionalmente. Hoje, sou um cara mais maduro e experiente. Gosto de responsabilidade e ter o privilégio de ser capitão do Palmeiras foi uma das maiores que eu já tive". Em segundo lugar, um lance inusitado na partida entre Corinthians e Palmeiras, na Arena Corinthians,  vencido pela equipe alviverde por 2 a 0, também chamou atenção. O árbitro Héber Roberto Lopes, em um momento de discussão com o capitão do Verdão, levou o braço à altura do peito e empurrou o jogador, enquanto o atacante manteve a calma e não revidou, mostrando um amadurecimento e uma mudança de comportamento comparado com aquela final do Paulistão de 2015.

E o "guerreiro" provou continuar sendo um jogador decisivo ao marcar o gol da vitória contra o Botafogo pela 36ª rodada. E com o resultado postitivo o time abriu 6 pontos de vantagem para o segundo colocado, o Santos, o que colocou o time ainda mais perto da conquista do título.

Com suas precisas assistências, gols importantes e liderança em campo, Dudu possui uma importância que nunca teve em nenhum outro clube, possuindo a melhor média de gols de sua carreira nesses dois anos que veste o verde e branco, e para coroar o grande ano do camisa 7, de maneira muito merecida ele merece levantar a taça que encerrará com uma seca que já dura 22 anos.