Cuca lamenta derrota no clássico e volta a assumir responsabilidade: "A culpa é de quem treina"

Com resultado, Palmeiras cai para sexta posição; Cuca diz que entende revolta do torcedor após o apito final

Cuca lamenta derrota no clássico e volta a assumir responsabilidade: "A culpa é de quem treina"
Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Nesta quarta-feira (12), o Palmeiras recebeu o Corinthians no Allianz Parque e perdeu por 2 a 0. Os gols de Jádson e de Guilherme Arana garantiram a vitória do Timão na décima terceira rodada do Campeonato Brasileiro, e, com isso, o Verdão sofre sua segunda derrota seguida na competição, se distanciando cada vez mais da liderança.

Em entrevista coletiva, o técnico Cuca lamentou o resultado e assumiu a responsabilidade pela derrota. Ele se mostrou compreensivo com a revolta da torcida, que só apareceu em raros momentos, como na substituição de Egídio e no fim da partida: "Quando as coisas não dão certo, eu sei que a responsabilidade é minha. Infelizmente, aconteceu depois de um ano jogando em casa, e o Corinthians está de parabéns por isso".

Um dos principais pontos fracos da equipe nesta temporada, as laterais também foram comentadas por Cuca, que negou problemas no setor e elogiou os jogadores: "A gente não pode ser covarde e culpar quem contratou. O time é bom, o elenco é bom, se não joga tudo o que pode a culpa é de quem treina, e sou eu. Não adianta jogar responsabilidade nos outros, é minha. Eu tinha o Mayke e o Zé Roberto para pôr. Quando você coloca 40 mil no estádio e o resultado não vem, o torcedor vai pegar no pé, como pegou do Egídio, no meu, no do Borja."

Cuca explicou também as opções que fez na partida, citando o avanço da linha de zagueiros e o excesso de cruzamentos - sendo 38 errados na partida -, mas que ele viu como necessários: "Tivemos um controle grande em termos de posse de bola, mas essa defesa consistente do Corinthians te dificulta entrar por dentro, e tem que ser pelo flanco. E aí temos que definir. Eles vivem um momento mágico, é mérito deles também. (...) O que vai ser dito é que o Palmeiras insistiu muito em cruzamentos, mas foi o que o jogo ofereceu, não o que quisemos".

O comandante palmeirense falou sobre o excesso de partidas, que impede que mais treinos ocorram e isso cansa os jogadores, prejudicando a definição de uma formação titular ideal: "Falta definir o time, mas ainda não encontrei aqueles que me dão confiança para dar sequência. Ano passado eu tinha, mas agora tenho que ir mudando. Neste momento, você dá uma descansadinha para jogar domingo de manhã. Será que eles vão estar nas mesmas condições até lá? O Bruno Henrique já não aguentou".

No final, Cuca também falou sobre as expectativas para os campeonatos que o Verdão ainda disputa, afastando as chances de título do Brasileiro e tendo que focar nas outras competições: "O Palmeiras tem que pensar em estar entre os seis primeiros, de preferência entre os quatro, e ter nos mata-matas o seu carro-chefe. Vamos tentar ganhar a Libertadores, Copa do Brasil ou até mesmo os dois".

O Palmeiras volta a campo no próximo domingo (16), às 11h, quando enfrentará o Vitória em casa pelo Campeonato Brasileiro. Agora, a equipe palestrina ocupa a sexta colocação, com 19 pontos - 16 a menos que o líder Corinthians.


Share on Facebook