Atlético-PR aproveita erros do Palmeiras e vence a terceira seguida

Com gol de Thiago Heleno na primeira etapa, Furacão vence mais uma e sobe na tabela do Brasileirão

Atlético-PR aproveita erros do Palmeiras e vence a terceira seguida
Gol foi muito comemorado por todos os jogadores atleticanos (Foto: Divulgação / Atlético-PR)
Palmeiras
0 1
Atlético-PR
Palmeiras: FERNANDO PRASS; FABIANO, JUNINHO (ANTÔNIO CARLOS, MIN 33), EDU DRACENA E ZÉ ROBERTO; JEAN, TCHÊ TCHÊ, RAPHAEL VEIGA (MOISÉS, MIN 46) E MICHEL BASTOS; ERIK (DEYVERSON, MIN 69) E BORJA. TÉCNICO: CUCA.
Atlético-PR: WEVERTON; JONATHAN, PAULO ANDRE, THIAGO HELENO E FABRÍCIO; EDERSON (LUCAS FERNANDES, MIN 66), E. PAVEZ, SIDCLEY, LUCHO (EDUARDO HENRIQUE, MIN 52) E GUILHERME; PABLO (NIKÃO, MIN 80). TÉCNICO: FABIANO SOARES.
Placar: 0-1, THIAGO HELENO, MIN 17.
ÁRBITRO: RODRIGO BATISTA RAPOSO (DF), AUXILIADO POR JOSÉ REINALDO NASCIMENTO JUNIOR (DF) E DANIEL HENRIQUE DA SILVA ANDRADE (DF). CARTÕES AMARELOS: MICHEL BASTOS (PALMEIRAS); GUILHERME, PAULO ANDRÉ E FABRÍCIO.
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 19º RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO. JOGO FOI REALIZADO NESTE DOMINGO ÁS 16H00 NO ALLIANZ PARQUE EM SÃO PAULO.

A decisão de Cuca de poupar jogadores para o confronto desse domingo, contra o Atlético-PR, pelo Campeonato Brasileiro, custou caro ao Palmeiras. Os erros do primeiro tempo e o excesso de cruzamentos no segundo, não foram suficientes para conseguir um empate contra o Furacão, que venceu por 1 a 0, com gol de Thiago Heleno.

Com o resultado, o Atlético agora assume a oitava colocação na competição, somando 26 pontos, dois a menos que o Sport, último time do G6. Já o Palmeiras, perde a chance de se aproximar ainda mais dos líderes e por consequência, abrir vantagem no G-4. O Alviverde permanece com 32 pontos, dois abaixo do rival Santos.

Os dois times voltam agora suas atenções para a Libertadores da América. Pelas oitavas de final, o Palmeiras pega o Barcelona de Guayaquil, precisando reverter uma vantagem simples em casa. Já o Atlético-PR precisará de um triunfo mais difícil, pois pega o Santos na Vila, depois de ter perdido o primeiro jogo em casa por 3 a 2. Já pelo Campeonato Brasileiro, as equipes só voltam a ter compromissos no fim de semana,  sendo que o Verdão pega o Vasco  e o Atlético enfrenta o  Bahia.

Palmeiras joga mal e Furacão aproveita para sair na frente no primeiro tempo

Como de costume nos jogos em casa, o Palmeiras começou tentando pressionar o Furacão, trocando passes e logo no primeiro minuto de jogo, chegando perigosamente com Borja, que após cobrança de escanteio de Raphael Veiga, deu um voleio, que não ofereceu perigo, mas já mostrou as intenções do Alviverde. Enquanto isso, o Atlético tentava sair no contra-ataque, mas esbarrava nos erros de passe, muito por conta da forte marcação do time paulista.

Sem conseguir fazer as infiltrações, Palmeiras buscava outras alternativas. Aos 10 minutos, em cobrança de falta sofrida por Raphael Veiga, Jean bateu forte e mesmo de longe,  e assustou o goleiro Weverton. A improdutividade do Verdão no ataque não demorou muito pra ser castigada. Aos 17 minutos, Guilherme bateu o escanteio com categoria, Thiago Heleno subiu mais alto que Juninho e não perdoou. Colocou no fundo das redes de Fernando Prass, abrindo o placar pro time paranaense no Allianz Parque.

A falta de entrosamento do Palmeiras era notada com facilidade, devido ao grande número de passes errados. Isso fez com que o time pouco chegasse a frente, e quando chegava era por meio de cruzamentos. E foi em um deles, que Fabiano fez grande jogada e cruzou para Erik, que dominou e bateu em cima de Thiago Heleno. O atacante ainda chegou a pedir um toque de mão, mas o juiz nada marcou. Em novo cruzamento, Zé Roberto pegou o rebote e bateu pra fora, sem levar perigo. 

Como se não bastasse o futebol ruim do time da casa, o técnico Cuca ainda teve mais um problema no fim da primeira etapa. O zagueiro Juninho caiu sentindo dores no tornozelo e o comandante alviverde já teve que gastar sua primeira alteração de forma muito precoce, colocando Antônio Carlos em campo. O primeiro tempo só acabou com a vantagem mínima por causa de Fernando Prass, que fez grande defesa em chute de Ederson aos 47, salvando a pele palmeirense.

Palmeiras melhora, mas excesso de cruzamentos não permite o empate contra o Atlético-PR

A segunda etapa veio com novidade. Moisés, que voltou de contusão, entrou  no intervalo no lugar de Veiga. A mudança fez com que o jogo ficasse mais equilibrado. Tanto que o Palmeiras chegou primeiro, com cruzamento de Fabiano, que Moisés ajeitou de cabeça, mas Borja não conseguiu chegar. Na resposta, Guilherme recebeu bom passe na área e bateu forte, para um novo milagre de Prass.

O Palmeiras parecia outro time no segundo tempo e realmente era. A entrada de Moisés deu mais poder ofensivo ao time, que rondava a área atleticana com frequência. Aos 11 minutos, novamente Fabiano faz cruzamento e a bola sobra para Erik. Weverton sai nos pés do atacante e evita o gol de empate. Dois minutos depois, nova chance, dessa vez em cobrança de falta. Michel Bastos cruzou, Antônio Carlos desviou e novamente Weverton fez grande defesa, para desespero da torcida palmeirense.

Enquanto o Palmeiras vivia o seu melhor momento no jogo, o Furacão recuava muito e ao contrário do primeiro tempo, não conseguia produzir contra-ataques, fazendo com que sua defesa ficasse pressionada por muito tempo. O domínio do time da casa era evidente, mas as oportunidades continuavam sendo perdidas. Antônio Carlos, que recebeu de Borja na cara do gol, dominou  e bateu para fora, perdendo a melhor chance do jogo.

Com o passar do tempo, as jogadas claras de gol foram diminuindo e o Verdão, que já cruzava muito, aumentou a quantidade. Thiago Heleno e Paulo André agradeciam e ganhavam todas no alto. Nem os cinco minutos de acréscimos dados pelo árbitro foram suficientes para que o Palmeiras conseguisse o empate. Final de jogo com vitória do Furacão, que segue sua recuperação no campeonato.