Cuca ainda acredita em título brasileiro: "Estamos no caminho certo"

Palmeiras se mantém na zona de classificação para a Libertadores e cola no Santos após vitória sobre o coxa

Cuca ainda acredita em título brasileiro: "Estamos no caminho certo"
Cuca na beira do gramado em jogo contra o Coritiba (Foto: Divulgação/SE Palmeiras)

Após empate contra o Atlético-MG, o Palmeiras voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. No Pacaembu, o time fez um resultado simples contra o ameaçado Coritiba, vencendo por 1 a 0, com gol do camisa 2 do time, Jean, após boa jogada de Dudu pela esquerda do ataque alviverde.

Depois do jogo, em entrevista coletiva, Cuca aprovou o desempenho de sua equipe. Segundo ele, o time controlou o jogo, criou chances e não deixou o Coritiba assustar.

"Tenho certeza que o Palmeiras fez um grande jogo, estas partidas são perigosíssimas, contra um time fechado, que busca a velocidade dos lados e sem cuidado você no contra-ataque que cede sai atrás e fica muito mais difícil. Penso que uma equipe com 20 conclusões a gol, cinco, seis, sete claríssimas, contra duas ou três do adversário é uma equipe que jogou bem, que poderia ter feito 2 a 0, 3 a 0 e um grande jogo. Mesmo com 1 a 0 correu-se poucos riscos, estava controlado e em alguns momentos a gente poderia ter cadenciado mais, mas os contra-ataques abriram muito, e pecamos na escolha final, ou então poderíamos ter um jogo com mais tranquilidade. Está ótimo. Foi um jogo bem jogado".

O técnico alviverde explicou Keno e Dudu no time, ao invés de um articulador no meio de campo.

"O que eu falo a vocês: às vezes tem muito comentarista que vê jogo. Tem outros que não conseguem ver, então te cobram algumas situações em cima de resultados. Quando entra com uma escalação com Tchê Tchê, Jean e Moisés, o Dudu pela direita e Keno pela esquerda. A figura do Jean vai dar ao Dudu toda a liberdade do mundo para ele flutuar como meia. Ele vira um meia ao lado do Moisés. O Jean, com a profundidade, fez o gol, deu outra fora que acho que o Deyverson cruzou, o Moisés chega como meia, o Tchê Tchê chega como meia, e ouve as pessoas que não tem um articulador. Não, não tem. Tem três, quatro com o Dudu. A gente gosta quando a pessoa entende".

Cuca foi questionado sobre a chance de títulos de sua equipe e comparou a situação de chances com a vivida por ele mesmo no Fluminense em 2009, quando o time carioca quase caiu de divisão.

"Tinha uma vez 1% de chances no Fluminense de escapar, nos agarramos no 1% e a cada vez que vou ao RJ e vejo uma faixa da torcida do Fluminense que 99% não é 100%... temos de fazer nossa parte, temos de fazer nossa arrancada. Nos últimos três jogos estamos no caminho certo".

Cuca ressaltou também Fernando Prass, que voltou a ter grande atuação e Deyverson, que é seu titular, mesmo com os pedidos da torcida por Borja: "Fez duas grandes defesas , ele sabe que pressão existe para todos no Palmeiras, inclusive para ele. É o segundo capitão do time, um cara muito responsável que merece as coisas boas. Quando saiu do time seguiu trabalhando sério e está representando bem".

"Sempre vão questionar, o Deyverson está fazendo o papel dele bem feito e vai seguir como titular. Eu sou o primeiro a chegar, o último a sair no Palmeiras e tenho obrigação de saber o que é melhor tando bem", completou o técnico.

O comandante palmeirense falou também sobre não ter colocado o meia Guerra no time e sobre a entrada de Roger Guedes no segundo tempo: "Hoje você tem uma formação que se entra com dois volantes e o Guerra de meia, o Coritiba vai neutralizar, porque joga encaixado. Quando usa um jogador que pode fazer função dupla, você consegue criar um círculo de jogadas maior de criação do que ter propriamente o meia. O Jean nos deu isso e foi premiado com o gol. Quando temos jogada individual ficamos felizes, mas para ela acontecer teve uma roubada de bola, que é tão importante quanto. Eu acho que apesar da jogada individual do Dudu ter feito a definição com o Jean, o Tchê Tchê na roubada de bola foi importante".

"Depois que colocamos o Róger Guedes era para explorar a velocidade e ele entrou bem. Vamos usando o elenco, a estratégia em cada jogo e todos estão trabalhados. No próximo jogo o Guerra pode jogar, ele é importante para nós. Vamos trabalhando jogo a jogo", disse Cuca.

Por fim, Cuca comentou sobre a CBF colocar o árbitro de vídeo no meio do campeonato, medida tomada após polêmico gol de mão de , na vitória do Corinthians por 1 a 0 sobre o Vasco da Gama: "Vai ser a maior lambança, porque não estão preparados. Eu posso pedir? O meu capitão pode pedir? Só o juiz? Quantos pedidos? E qual o critério? Um árbitro de vídeo entrar faltando 15 rodadas por que teve um erro crasso na última? Espera para o ano que vem. Como vai fazer algo que não tem regra. E o tempo? Pode jogador pressionar o árbitro nessa hora ou vai dar cartão? Qual a regra? Tem tudo para ser uma lambança ainda pior. Vamos torcer para esclarecer as regras, porque cada um quer o que é seu de direito. O árbitro de vídeo vai ter só no jogo grande, da TV, ou no pequeno também, que é tão importante quanto. Isto custa caro, mas precisa ter nos 10 jogos, senão...".

O Palmeiras volta aos gramados no próximo domingo, quando viaja até o Rio de Janeiro para enfrentar o Fluminense, às 16h, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro.