Luan fala sobre trajetória de superação no Palmeiras: "Queria dar a volta por cima"

Zagueiro afirma ter aproveitado oportunidades e se diz feliz no Verdão, apesar do início complicado

Luan fala sobre trajetória de superação no Palmeiras: "Queria dar a volta por cima"
Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Um dos destaques do Palmeiras na goleada sobre o Sport, marcando um gol, Luan concedeu coletiva na Academia nesta sexta-feira (17). O zagueiro falou sobre sua trajetória na equipe, desde a contratação até o momento atual.

"Vim de uma forma atípica, tinha uma lesão no pé e tive de operar. Fiquei muito motivado pela forma que o Palmeiras apostou em mim. No início fiz jogos muito bons, depois dei uma oscilada, assim como a equipe. Estava com muita vontade de dar a volta por cima, esperando minha oportunidade, e aproveitei bem os jogos contra Flamengo e Sport. Agora é dar sequência, estou motivado e feliz."

Quando perguntado sobre as diferentes escalações da dupla de zaga durante o ano, Luan afirmou que as diversas peças existentes no elenco permitem variação em todas as posições, facilitando a reposição quando necessária.

"Não só a zaga, mas o time todo foi mudando porque temos muitas opções de jogador. De tantas opções, muitas não deram certo naquele momento. Teve lesão, suspensão, seleção. Todos que estão aqui têm capacidade, vão dar a vida quando estiverem em campo."

O zagueiro também falou sobre a busca de reforços para a próxima temporada. Segundo Luan, a influência e força do Palmeiras no mercado deve servir como motivação para os atuais jogadores se entregarem em campo.

"É mais um motivo para quem está aqui dar a vida no fim de ano e se manter no grupo. Sabemos do nome do Palmeiras no mercado, cabe a diretoria ir atrás de quem eles quiserem. Temos de nos manter no grupo e conquistar títulos. Eles vão reforçar o elenco e quem está aqui precisa dar a vida para continuar"

+ Palmeiras anuncia contratação de lateral Diogo Barbosa, destaque do Cruzeiro

Luan também repudiou os protestos da torcida organizada no último fim de semana, negando que a melhora no desempenho da equipe nos últimos dois jogos tenham relação com isso. Para ele, as reclamações devem ser feitas no estádio, não na Academia.

"Nunca faltou união, companheirismo e bom ambiente. Não foi por causa do protesto que nos unimos. Podem pensar que o time passou a ganhar depois que a torcida veio e fez o que fez, mas isso não entra na minha cabeça. Repudio totalmente o acontecido, não é humano, não é do esporte. Se quiserem cobrar, tem que ir no estádio e não aqui."

O defensor também elogiou Alberto Valentim, mostrando-se favorável à permanência do técnico em 2018. Atualmente, nomes como Abel Braga e Jair Ventura tem sido especulados, mas não há nada oficial.

"Na minha opinião, ele tem que permanecer. Valentim é um cara totalmente moderno, aberto, estuda o futebol. Sempre me chamava para analisar alguns jogos e lances meus e de outros jogadores. Ele tem o grupo na mão, esperamos que fique, mas é assunto da diretoria. Espero que eles resolvam da melhor maneira possível", finalizou.

Valentim elogia mudança de postura do Palmeiras e almeja evolução: "Os jogadores compraram a ideia”