Em duelo de tricolores, Paraná e Bahia empatam sem gols pela Série B

Mesmo com duas bolas na trave por parte do tricolor baiano e uma dos paranaenses, jogo não foi bom na Vila Capanema

Em duelo de tricolores, Paraná e Bahia empatam sem gols pela Série B
Foto: Divulgação/ECBahia
Paraná
0 0
Bahia
Paraná: Marcos; Diego Tavares, Pitty, João Paulo, Fernandes; Jean (Marcelinho, min. 42) , Nadson, Robson, Uchoa (Basso, min. 78), Válber; Lucio Flávio (Robert, min. 45). Técnico: Claudinei Oliveira.
Bahia: Marcelo Lomba; Rhayner, Lucas Fonseca, Jackson, Moisés (Luisinho, min. 43); Feijão, Paulo Roberto (Juninho, min. 45), Danilo Pires, João Paulo; Zé Roberto, Thiago Ribeiro (Henrique, min. 59). Técnico: Doriva.
ÁRBITRO: Sávio Pereira Sampaio (DF). Auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade (DF) e Lehi Sousa Silva (DF). Amarelos: Paraná - Lúcio Flávio, Pitty. Bahia - Rhayner, Juninho, Zé Roberto, Luisinho.
INCIDENCIAS: Partida válida pela segunda rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, realizada no estádio Durival de Brito, em Curitiba/PR.

Na tarde deste sábado (21), pela segunda rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, no estádio Durival de Brito, em Curitiba/PR, Paraná e Bahia empataram sem gols, num jogo onde apenas o segundo tempo teve chances significativas. Com o resultado, o Tricolor da Vila Capanema conquistou seu primeiro ponto, ficando na zona de rebaixamento, na 17ª posição. Já o Esquadrão de Aço chegou ao seu quarto ponto, ocupando a quarta colocação.

Na próxima rodada da competição, o Paraná vai até São Luís, no Maranhão, enfrentar o Sampaio Corrêa, terça-feira (24) às 19h15. O Bahia, em jogo isolado na quarta-feira (25), recebe o Joinville na Arena Fonte Nova, em Salvador/BA, às 19h30.

Pouca bola rolando e excesso de faltas marcam o primeiro tempo

Falta. Mal o árbitro apitou o começo de jogo e logo veio a primeira infração. Primeira de muitas ocorridas ao longo da primeira etapa. Sendo times acostumados a mais defender que atacar, Paraná e Bahia pouco produziram nos primeiros minutos. O tricolor baiano foi o primeiro a chegar à área adversária, atráves de uma cobrança de falta onde Lucas Fonseca cabeceou sem perigo algum.

Os erros gritantes de passe impediam qualquer possibilidade de construção de jogadas perigosas. As ameaças seguiam através da bola parada. Em escanteio curto cobrado pelo Bahia por Thiago RibeiroJoão Paulo cruzou, Lucas Fonseca chutou cruzado e Moisés, tropeçando nas próprias pernas, tentou finalizar de letra, sem sucesso.

Depois das iniciativas dos baianos, o tricolor da Vila Capanema também aprontou das suas. Nadson, pela esquerda, ganhou do defensor na corrida e cruzou nas mãos de Marcelo Lomba. Novamente Nadson cobrou falta em direção a grande área, o arqueiro do Bahia saiu em falso e Pitty, na cabeçada, mandou pertinho do gol.

Naquela que foi a melhor chance do primeiro tempo, após cruzamento de RobsonVálber, em um mergulho sensacional, obrigou Marcelo Lomba a fazer uma grande defesa. Mas, gol que é bom, nada!

Ligeira melhorada na segunda etapa e três bolas na trave

O segundo tempo começou truncado, tal qual o primeiro, mas os times descobriram algo chamado "ataque". Mesmo em meio a dificuldade na troca de passes, jogadas perigosas começaram a surgir e a partida ganhou, se não em qualidade, pelo menos em emoção. O Bahia veio para cima e, após receber passe de Thiago Ribeiro, já dentro da área, Luisinho arrematou. A bola desviou na zaga paranista e foi à escanteio.

Dominando o jogo, o Esquadrão de Aço começou a empilhar chances perdidas. Thiago Ribeiro, ao receber com perigo, já dentro da área, finalizou para defesa do goleiro Marcos e ganhou escanteio. Na cobrança feita por Juninho, Luisinho dentro da pequena área completou de cabeça rente ao travessão. Danilo Pires, recebendo passe de Feijão pela direita, chutou forte, na rede pelo lado de fora.

Ainda pressionando, o Bahia perdia gols. João Paulo, em um cruzamento forte, achou Danilo Pires no segundo pau. Marcos fez uma grande defesa e impediu novamente o gol. Duas bolas no trave pareceram simbolizar que, realmente, não era tarde para vitória baiana. A primeira novamente com Luisinho, ao completar um cruzamento de Juninho e a segunda com Juninho, em cobrança de falta que deixou Marcos imóvel.

Esboçando reação ao fim do jogo, o Paraná teve a última chance da partida. Nadson recebeu pela esquerda e bateu colocado. A bola explodiu na trave e, no rebote, Robson não aproveitou. E tudo terminou como começou.