Atlético-GO segura empate sem gols com Paraná e se mantém na vice-liderança

Rubro-negro de Goiás continua na 2ª posição após empate em 0 a 0 na Vila Capanema

Atlético-GO segura empate sem gols com Paraná e se mantém na vice-liderança
Foto: Divulgação/Paraná Clube
Paraná
0 0
Atlético-GO
Paraná: marcos; leandro silva, pitty, joão paulo, fernandes; lucas otávio (basso, min. 80), anderson uchoa (robert, min. 46), válber (murilo rangel, min. 46), diego tavares; marcelinho, lúcio flávio. técnico: claudinei oliveira
Atlético-GO: marcão; matheus ribeiro, marllon, lino, romário; william schuster, pedro bambu, magno (caion, min. 81), luiz fernando (bruno barra, min. 55); gilsinho (jorginho, min. 71), júnior viçosa. técnico: marcelo cabo
ÁRBITRO: igor benevenuto (MG). cartões amarelos: matheus ribeiro (min. 23), magno (min. 80), romário (min. 85), bruno barra (min. 86), marcelinho (min. 88), william schuster (min. 91)
INCIDENCIAS: jogo válido pela 7ª rodada da série b do campeonato brasileiro, realizado no durival britto, curitiba.

Paraná e Atlético-GO empataram por 0 a 0 na noite desta terça-feira (7), no estádio Durival Britto, em Curitiba. A partida, válida pela 7ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, foi destaque negativo no aspecto técnico, devendo ofensividade aos espectadores.

Os dois tempos tiveram muitas semelhanças. Muitos duelos no meio de campo, mas pouca ofensividade ou até mesmo presença nos últimos terços do campo. No segundo tempo, Lúcio Flávio teve excelente chance mas o goleiro do Atlético-GO, Marcão, fez linda defesa. Uma chance de Romário já no final de jogo, com a bola passando ao lado do goleiro Marcos, foi uma das poucas tentativas do time visitante.

O Paraná chegou ao seu quarto empate em sete jogos na competição, acumulando 10 pontos, na 13ª colocação. Na próxima rodada, os paranaenses visitam o Náutico, em Recife, no sábado (11). Já o Atlético-GO fica na 2ª posição, com 16 pontos. Na próxima rodada, visita o líder Vasco, em Cariacica, Espírito Santo, também no dia 11.

Pouco inspirados, times quase não finalizam na primeira etapa

A partida no Durival Britto prometia colocar frente a frente dois times que traziam estilos diferentes para essa Série B. O time da casa se valia de sua velocidade para conseguir as chegadas ao gol. O Atlético-GO, em grande campanha no campeonato, conservava um jogo de segurança, fechado e de poucos gols.

Os primeiros minutos evidenciaram esse choque de estilos. Pelos lados do campo, o Paraná tentava as jogadas mais agudas sem sucesso algum. O Atlético-GO tampouco conseguia concantenar boas investidas.

O jogo se arrastou por 26 minutos sem qualquer finalização à meta. Quem primeiro chegou ao gol adversário foi o Atlético-GO. Gilsinho avançou pela esquerda e cruzou a bola na área. Magno Cruz chegou batendo na rede pelo lado de fora, assustando os anfitriões.

A chance do meia foi praticamente a única na primeira etapa, que careceu de jogadas bem trabalhadas e refino maior com a bola nos pés. Júnior Viçosa quase chegou ao marcador inaugural cabeceando boa bola mas o goleiro Marcos deu tapa por cima para afastar.

Goleiro do Atlético-GO assegura empate sem gols

Após o primeiro tempo decepcionante, o técnico Claudinei Oliveira foi obrigado a mexer na equipe. Ainda no vestiário, foram constatadas as lesões de Anderson Uchoa,volante, e Válber, meia, que saíram para a entrada de Robert, centroavante, e Murilo Rangel, meia, respectivamente.

As mudanças, ainda que forçadas, prometiam melhorar o desempenho ofensivo da equipe paranaense. Logo aos cinco minutos, Diego Tavares apareceu na direita e cruzou na direção da marca do pênalti. O atacante Lúcio Flávio, bem posicionado, arrematou forte mas o goleiro Marcão salvou o Atlético-GO.

Se soltando mais no jogo, principalmente com a participação maior do atacante Lúcio Flávio, o Paraná parecia se aproximar do gol inaugural da partida. Porém, aos 12 minutos, William Schuster cabeceou com desvio e a bola passou ao lado do gol de Marcos.

Ao seu estilo, o Atlético-GO viria a assustar ainda aos 23 minutos, com Gilsinho, sumido na partida. O atacante recebeu a bola e tentou bater por cobertura. O goleiro Marcos, bem posicionado, deu um tapa por cima, fazendo a bola ainda bater no travessão.

O lance, porém, foi o último de perigo na partida. Recuados, os times passaram a travar um duelo mais físico no meio de campo, o que impossibilitou toda e qualquer chance de avanços. Mesmo a entrada de Jorginho no Atlético-GO não conseguiu colocar tempero numa partida que ficou devendo do aspecto técnico.