Em ascensão na Série B, Paraná e Criciúma medem forças no Durival de Britto

Paranistas vêm de vitória sobre o Inter, enquanto catarinenses não perderam desde a chegada de novo técnico

Em ascensão na Série B, Paraná e Criciúma medem forças no Durival de Britto
Partida válida pela 29ª rodada será disputada nesta sexta-feira (13), às 20h30 | Foto: Felipe Dalke/Banda B
Paraná
Criciúma
Paraná: DOUGLAS BALDINI; CRISTOVAM, EDUARDO BROCK, IAGO MAIDANA E IGOR; VINÍCIUS KISS, GABRIEL DIAS; JOÃO PEDRO, RENATINHO E ROBSON; ALEMÃO | T: MATHEUS COSTA
Criciúma: LUIZ; MAICON SILVA, NINO, EDSON BORGES E DIEGO GIARETTA; BARRETO, RICARDINHO, CAÍQUE E ALEX MARANHÃO; SILVINHO E LUCÃO | T: BETO CAMPOS
ÁRBITRO: IGOR JUNIO BENEVENUTO (MG), COM AUXÍLIO DE MÁRCIO EUSTÁQUIO SANTIAGO (MG) E CELSO LUIZ DA SILVA (MG)
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 29ª RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE B, A SER REALIZADA NO ESTÁDIO DURIVAL DE BRITTO, EM CURITIBA (PR), A PARTIR DAS 20H30

Em crescimento no Campeonato Brasileiro da Série B e buscando uma das quatro vagas na primeira divisão nacional, Paraná e Criciúma se enfrentam nesta sexta-feira (13), a partir das 20h30, no estádio Durival de Brito, em partida válida pela 29ª rodada da competição. As duas equipes, que perderam um jogo cada no 2º turno do torneio, vêm de vitórias nos compromissos anteriores.

Os paranistas, comandados por Matheus Costa, bateram o Internacional por 1 a 0 na 28ª rodada e ocupam a 3ª colocação, com 49 pontos. O crescimento no rendimento é retratado no retrospecto recente: dos últimos dez jogos, venceu sete, perdeu dois e empatou um.

Já o Criciúma começou o returno tropeçando e, desde que trocou Luiz Carlos Winck por Beto Campos no comando técnico, não perdeu mais. Em quatro jogos com o novo treinador, venceu dois e empatou dois. A ascensão nas partidas recentes deixa o Tigre na 8ª posição, com 42 pontos, a seis de distância do G4.

Paraná mexe apenas no gol

O Paraná, que venceu o líder Internacional por 1 a 0 na rodada anterior, entra para uma série decisiva de jogos. Além de enfrentar o Criciúma, que almeja uma vaga na G4, a equipe treinada por Matheus Costa encontra até o fim de outubro Ceará (4º colocado), América Mineiro (2º), Vila Nova (6º) e Oeste (5º) em seguida.

Para este primeiro jogo, o objetivo é se manter no G4. Em 3º, com 49 pontos, o Paraná tem somente dois de vantagem para o Oeste, primeira equipe abaixo da zona de classificação para a elite. Em contrapartida, os paranistas podem virar a noite na vice-liderança com uma vitória, já que o América Mineiro, 2º colocado com 51 pontos, joga no dia seguinte.

O único problema para Costa é a ausência do goleiro Richard. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, ele não joga e será substituído por Douglas Baldini.

“O Douglas era o terceiro goleiro e, desde a lesão do Marcos, no início do campeonato, ele já era a segunda opção para a posição. Com trabalho e dedicação, é mérito dele esta oportunidade que está tendo com a suspensão do Richard”, comentou Costa

A troca no gol será a única em comparação a vitória sobre o Inter, na rodada anterior, e a base do time será mantida. “Nós temos o nosso fator casa e da nossa força aqui, mas temos que estar atentos a todos os detalhes. O jogo é importante para eles, pois uma vitória pode recolocá-los na expectativa de voltar a brigar pelo G4”, projetou o técnico paranista.

Beto Campos repete formação

Desde que assumiu o Criciúma, Beto Campos vem prezando pela repetição na escalação inicial. A partida no Durival de Britto será a quinta no comando do time catarinense e a quarta em que repetirá a escalação com quatro homens no meio de campo.

O treinador, que está invicto desde que assumiu o Tigre (duas vitórias e dois empates), considera a partida no Paraná como de fundamental importância para as ambições na competição, isso porque o Criciúma embarca para semana com três confrontos contra equipes da parte de cima da classificação. Depois do duelo fora de casa, serão duas partidas como mandante, contra Vila Nova, 6º colocado, na terça (17), e Internacional, líder da Série B, no sábado (21).

A principal aposta do treinador está no meia Alex Maranhão. Na vitória por 2 a 1 sobre o Londrina, no último sábado (7), o atleta de 32 anos marcou um gol e deu uma assistência. “É um jogador que tem a característica que gosto, de ser um meia, com bola curta e longa. Ainda cobro muito a finalização de fora da área, precisamos disso. Com a sequência de jogos, o entrosamento vai ficando melhor e fará com que as jogadas saiam ao natural”, analisou Campos.

O único desfalque continua sendo o zagueiro Raphael Silva, que se recupera de problema muscular desde o mês de julho. Realizando trabalhos específicos com a equipe de preparação física, o defensor pode retornar em um dos dois jogos em casa na próxima semana.

Paraná