Visando título inédito, Paysandu e Gama iniciam disputa na Copa Verde

Paysandu busca voltar a uma competição continental, a última participação foi na Libertadores de 2003; Gama quer garantir calendário no segundo semestre

Visando título inédito, Paysandu e Gama iniciam disputa na Copa Verde
Foto: Fernando Torres/Paysandu
Paysandu
Gama
Paysandu: Emerson; Crystian, Fernando Lombardi, Gualberto, Lucas; Ricardo Capanema, Augusto Recife, Raí, e Celsinho; Fabinho Alves, Leandro Cearense.
Gama: Pereira; Dudu Gago, Pedrão, João Paulo e Makeka; Lucas Judvan, Héricles (Dudu), Fábio Gama, Michel Pires e Raoni; Rafael Grampola.
ÁRBITRO: Alisson Sidnei Furtado (TO). Assitentes: Bruno Raphael Pires e Eduardo Gonçalves.
INCIDENCIAS: Jogo de ida da final da Copa Verde 2016. A ser realizada no Estádio Estadual Jornalista Edgar Augusto Proença, o Mangueirão.

Nesta terça-feira (3), no Estádio Magueirão, acontecerá a primeira partida da final da Copa Verde 2016. O Paysandu receberá o Gama. Em três edições da competição regional, é a terceira vez que um clube do Pará chega à decisão. Invicto nesta temporada, o Papão encara o Alviverde do Centro-Oeste por uma vaga na Sul-Americana. A bola rola às 20h30.

Criada em outubro de 2013, a Copa Verde reúne equipes da região norte, centro-oeste e mais o estado do Espirito Santo. A primeira edição aconteceu em 2014, o Paysandu perdeu a final para o Brasília, e mesmo após uma batalha judicial, o título foi mantido com o time do Distrito Federal. Ano passado o Remo perdeu para o Cuiabá depois de uma virada épica. O bicolor terá mais uma chance de conquistar o título e quebrar o tabu das equipes paraenses no torneio.

Papão quer encerrar tabu de paraenses na Copa Verde

O Paysandu não sabe o que é perder nesta temporada. O time conquistou a Taça Cidade de Belém, foi eliminado sem derrota no segundo turno do Paraense, conseguiu a classificação na Copa do Brasil e está na final da Copa Verde. Após a saída de Yago Pikachu, o clube busca títulos e o acesso à Série A.

O volante Ricardo Capanema comentou a sua expectativa sobre a primeira partida da final: “Terça-feira o bicho vai pegar no Mangueirão. A gente sabe que o adversário é qualificado, assistimos a última partida, mas estamos preparados e creio que será difícil ganhar da gente dentro de casa. Vamos com tudo para não escapar esse título novamente.

Celsinho voltou de lesão recentemente. Após o jogo do fim de semana, ele comentou sobre a final: “De fato, quando você volta, você tem que adquirir o ritmo de jogo. Tem que se dedicar ao máximo para voltar. Voltei no clássico e agora tive atuação importante, não só pelo gol, mas também pela jogada do segundo. Temos alguns dias para dedicação total a final. Não podemos perder o foco e precisamos desse título da Copa Verde.

O Betinho e Pablo não treinaram e não vão jogar”, confirmou o técnico Dado Cavalcanti. Mas ele contará com os retornos de Lucas e Ricardo Capanema. Roniery, suspenso pelo acumulo de amarelos, também está fora.

Nesta edição da Copa Verde, o Papão da Curuzú venceu Fast Clube nas oitavas de final por 4 a 1 no agregado (1 a 1 na ida e 3 a 0 na volta). Nas quartas de final, o bicolor venceu o Rio Branco do Acre por 6 a 2 (1 a 0 na ida e 5 a 2 na volta). Na semifinal, a equipe venceu o maior rival, Remo, por 6 a 3 na soma das duas partidas (2 a 1 na ida e 4 a 2 na volta).

Com futuro indefinido na temporada, Gama busca mais um título para o Distrito Federal

O Gama caiu na semifinal do Campeonato Brasiliense. O time foi eliminado pelo Luziânia. Com a saída antes da final, o alviverde não disputará o Campeonato Brasileiro Série D neste ano, ficando sem competição para o segundo semestre até então. Além da Copa Verde, o time enfrenta o América de Natal na Copa do Brasil.

Para ter mais jogos durante o ano, o Gama precisa vencer a Copa Verde e seguir eliminando concorrentes na Copa do Brasil. Vendo a dificuldade e o dilema, a diretoria do clube resolveu dispensar cinco jogadores: Dodô, Michel Jardim, Abuda, Pedro Alves e Eric.

O grande desfalque da equipe é a ausência de Tiago Gaúcho, que fraturou o dedo no segundo jogo da semifinal contra o Luziânia. O jogador nem viajou a Belém. Héricles e Dudú disputam a vaga no time titular. A decisão será revelada pelo técnico Arthur Bernardes momentos antes do jogo.

Para chegar até a final, o Gama passou pelo Interporto, do Tocantins, após 4 a 1 no agregado (1 a 1 na ida e 3 a 0 na volta). O adversário nas oitavas foi o Vila Nova de Goiás. Após dois empates sem gols, o Gama levou a melhor nas penalidades por 4 a 3. A Aparecidense, também de Goiás, enfrentou o alviverde nas semis. A equipe do Distrito Federal venceu por 4 a 3 no agregado (3 a 1 na ida e derrota por 2 a 1 na volta).