Paysandu mostra forças em casa, bate Gama no Mangueirão e sai com vantagem na Copa Verde

Papão faz valer fator casa, marca no fim e encaminha retorno à competição continental após 13 anos; alviverdes precisam reverter para garantir título inédito

Paysandu mostra forças em casa, bate Gama no Mangueirão e sai com vantagem na Copa Verde
Foto: Fernando Torres/Paysandu
Paysandu
2 0
Gama

A noite desta terça-feira (3), marcada por ser véspera das finais mais importantes dos Estaduais, foi destinada ao embate de ida da decisão da Copa Verde 2016. No jogo disputado dentro do Mangueirão, em Belém, o Paysandu fez valer o fator casa e venceu o Gama por 2 a 0, com gols de Celsinho, ainda no início do primeiro tempo, e Leandro Cearense, no último minuto.

As equipes decidem o certame, buscando uma vaga inédita na Copa Sul-Americana 2016, na próxima terça-feira (10) às 20h30. O jogo será disputado no Bezerrão, em Brasília, com os bicolores defendendo a vantagem ao jogar por qualquer empate e podendo perder por até um gol. Os alviverdes, entretanto, precisam vencer por três tentos ou mais para ficar com o troféu, enquanto a repetição do placar leva a definição aos pênaltis.

Abrindo a série dentro de seus domínios, o Paysandu fez valer o fator casa e pressionou bastante nos instantes iniciais. Mesmo com a blitz, o Gama se mostrou bem postado e segurou como pôde o momento do adversário. Apesar de ter trocado passes próximo à intermediária, foi através da bola parada que o Papão ficou em vantagem no placar. O meia Celsinho cobrou falta com perfeição e estufou o ângulo direito de Pereira.

Seguindo na pressão diante da torcida, os paraenses demonstraram disposição para ampliar o resultado, mas sem a eficiência esperada. Lucas tentou cruzar em direção à pequena área, porém a zaga cortou nos dois lances e evitou o segundo gol. Logo em sequência, Fernando Lombardi cabeceou com perigo em favor dos bicolores, no entanto a arbitragem impugnou ao marcar impedimento.

Nos minutos finais da etapa inicial, a partida caiu de ritmo e perdeu a movimentação intensa do início, com poucas chances sendo criadas pelos dois lados. Os anfitriões permaneceram mais presentes ao setor ofensivo, enquanto os visitantes visaram apenas se defender e ir ao intervalo com uma desvantagem mínima.

Com atraso de aproxidamente 20 minutos, a bola voltou a rolar no Mangueirão e seguiu pouco agitada, como no fim do primeiro tempo. Tentando surpreender e arrancar um importante empate, o Periquito não se acomodou em campo. Fábio Gama arrematou de fora da área, mas Emerson defendeu seguro em dois lances.

Apesar de ter começado a gostar do jogo, o alviverde não foi objetivo nas quatro linhas e desperdiçou bons momentos. Apesar do placar e da torcida a favor, os bicolores também não conseguiram ser eficazes nas finalizações. Em uma delas, o autor do único tento do jogo fez bom domínio e bateu de longe, com o goleiro botando para escanteio.

Apostando no contra-ataque, o Verdão chegou muito perto do empate e assustou o público presente. Raone recebeu sozinho na esquerda e disparou em velocidade, contudo chutou para fora e perdeu a chance de deixar tudo igual na capital paraense, a última de maneira clara da equipe.

Nos minutos finais, o Paysandu persistiu afim de ficar mais folgado na volta e foi recompensado através da insistência. Após cruzamento, o zagueiro Gualberto desviou de leve para dentro da pequena área e o atacante Leandro Cearense, sem marcadores por perto, tocou por cima de Pereira e deu números finais.