Com arbitragem confusa, Flamengo vence Ponte Preta de virada

Com todos os gols marcados na etapa inicial, Fla se segura no segundo tempo e garante a segunda vitória no campeonato

Com arbitragem confusa, Flamengo vence Ponte Preta de virada
Foto: Divulgação/PontePress
Ponte Preta
1 2
Flamengo
Ponte Preta: João Carlos, Jeferson, Fábio Ferreira, Kadu e Reinaldo; João Vitor, Matheus Jesus (Thiago Galhardo, min. 21/2ºT) e Ravanelli (Cristian, intervalo); Felipe Azevedo, Wellington Paulista (William Pottker, intervalo) e Roger
Flamengo: Alex Muralha, Rodinei, Léo Duarte, César Martins, Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão, Alan Patrick (Cuellar, min. 22/2ºT); Marcelo Cirino (Ederson, min. 30/2ºT), Felipe Vizeu (Gabriel, min. 11/2ºT), Fernandinho.
Placar: 1-0, min. 11/1ºT - Wellington Paulista. 1-1, min. 20/1ºT - Felipe Azevedo (Contra). 1-2, min. 41/1ºT - Jorge
ÁRBITRO: Anderson Daronco (RS) - Advertidos: César Martins (min. 29/1ºT), João Vitor (min. 34/1ºT), Fernandinho (min. 04/2ºT e 16/2ºT), William Pottker (min. 47/2ºT) Expulso: Fernandinho (min. 16/2ºT)

Na manhã deste domingo (29), a Ponte Preta recebeu o Flamengo no Estádio Moisés Lucarelli, em partida válida pela 4ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Rubro-negro venceu o jogo de virada por 2 a 1, com gols de Felipe Azevedo (contra) e Jorge, enquanto Wellington Paulista descontou para a Macaca.

Com a derrota, a pressão sobre o treinador Eduardo Baptista segue grande e as chances de ele não permanecer no comando da equipe campineira crescem. A Ponte Preta foi para a 15ª posição, com quatro pontos conquistados. Agora, o time de Campinas entra em campo novamente pelo Brasileirão na próxima quinta-feira (2), contra o América-MG, na Arena Independência.

O resultado para o Flamengo, por sua vez, alivia um pouco a crise que paira sobre o clube: o time que foi comandado pelo treinador Zé Ricardo, alcançou os sete pontos e fica momentaneamente na 5ª colocação na tabela de classificação. O rubro-negro volta a campo pelo Campeonato Brasileiro na próxima quarta-feira (1º), recebendo o Vitória, no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

Arbitragem confunde times no primeiro tempo

A partida começou com a Ponte Preta melhor em campo que o Flamengo, o time paulista tinha mais posse de bola e fazia uma marcação no campo do adversário. A equipe  de Campinas abriu o placar aos 11 minutos, após o cruzamento de Reinaldo pelo lado esquerdo, Wellington Paulista subiu e marcou de cabeça para a Macaca. O gol foi anulado e depois assinalado pela árbitragem, gerando muita reclamação.

O gol marcado mostrava a superioridade da Ponte durante a partida. O Flamengo porém, reagiu, passando a buscar mais o jogo e conseguiu igualar o placar aos 20 minutos, após Alan Patrick bateu falta em direção área, o atacante da Macaca, Felipe Azevedo desviou contra o próprio patrimônio, enganando o goleiro João Carlos. Assim como o primeiro gol, este também foi anulado e depois validado pelo árbitro, criando mais confusão entre os jogadores.

Com o empate, o rubro-negro tentou aproveitar o embalo e pressionar o adversário, porém a Ponte Preta seguiu melhor no jogo, tendo mais posse de bola, articulando mais as jogadas e criando perigo para o goleiro Alex Muralha. O Flamengo, apesar de com menor volume de jogo também criou e obrigou o goleiro João Carlos a fazer boas defesas.

Na parte final do primeiro tempo, o time carioca criava mais, tendo Alan Patrick, como principal articulador de jogadas da equipe. O Flamengo virou o jogo aos 41 minutos, após o João Carlos afastar de soco o cruzamento, a bola sobrou para Jorge, que bateu forte de primeira, marcando um bonito gol. E com vantagem rubro-negra, encerrou-se a primeira etapa do jogo.

Flamengo se segura e garante vitória sobre a Ponte

No segundo tempo, o Flamengo voltou tendo a bola, porém com a vantagem no placar foi assumindo uma postura defensiva, buscando, sem sucesso, os contra-ataques, enquanto a Ponte tentava reverter o placar, criando jogadas principalmente pelas laterais, assustando o adversário, mas sem conseguir chegar ao gol.

O Flamengo que já estava recuado, se fechou ainda mais após a expulsão do meia-atacante Fenandinho, tomando o segundo amarelo. Se aproveitando da vantagem numérica, o time de Campinas avançou seus jogadores e passou a exercer pressão sobre o adversário em busca do gol, principalmete com Pottker e Galhardo livres pelas laterais.

Totalmente recuado, o time carioca praticamente abriu mão de atacar durante o restante da partida, jogando todos os jogadores atrás da linha da bola. A Ponte seguia pressionando, forçando lances pelas laterais, tentando furar o bloqueio rubro-negro e fazendo uso constante da bola alçada na área, porém sem sucesso em suas ações ofensivas.

Conforme o jogo se aproximava do final, ficava evidente o desespero da Ponte Preta na tentativa de pelo menos conseguir o empate, a Macaca até criou boas chances, mas parou nas mãos goleiro Alex Muralha. O Flamengo, todo fechado, se defendia como podia para segurar os três pontos e sempre que tinha a posse de bola, não fazia a mínima questão de acelerar o jogo, conseguindo a duras penas garantir a segunda vitória no Brasileirão.