Jogando em casa, Ponte Preta supera Atlético-PR e encosta no G-4

Em jogo movimentado, o time da casa conseguiu superar os visitantes com uma vitória solida, e encosta no G4.

Jogando em casa, Ponte Preta supera Atlético-PR e encosta no G-4
Globoesporte.com
Ponte Preta
3 2
Atlético Paranaense
Ponte Preta: João Carlos; Jeferson, Fábio Ferreira, Kadu, Reinaldo; João Vitor, Renê Júnior (Matheus Jesus), Cristian (Thiago Galhardo); Felipe Azevedo, Roger, Clayson (William Pottker).
Atlético Paranaense: Weverton;Léo, Paulo André, Wanderson, Sidcley; Deivid, Hernani, Nikão (Giovanny); Pablo (Ewandro), Walter, André Lima (Vinícius).
Placar: 1-0, min. 02, Fábio Ferreira. 1-1, min. 10, Paulo André. 2-1, min. 16/2T, Reinaldo. 3-1, min. 23 2/T, Jeferson. 3-2, min. 47/2T, Walter.
ÁRBITRO: ELMO ALVES RESENDE CUNHA (GO), Cartões amarelo para: Pablo (min.26/1T),
INCIDENCIAS: Campeonato Brasileiro série A 2016. Jogo válido pela 7ª rodada foi disputado no estádio Moisés Lucarelli em Campinas (SP), às 19:30.

A Ponte Preta fez valer o fator casa e conquistou três pontos essênciais para acirrar a briga pelo G4. O time de Campinas superou o Atlético Paranense por 3-2 e deu um pulo na tabela para a 6ª colocação, brigando diretamente com o São Paulo pelo G4; já o Furacão cai pra 11º e se afasta da zona de classificação.

Na próxima rodada a Macaca enfrenta o Atlético-MG, às 11h (horário de Brasília) de domingo, na Arena Independência, em Belo Horizonte, pela oitava rodada. Já o Atlético-PR, que permanece com 10 pontos, vai buscar a reação diante do Santos, às 18h de sábado, na Arena da Baixada, em Curitiba.

Ponte saiu na frente, mas o Atlético buscou 

A Ponte tentou dominar as ações no primeiro tempo. Tinha mais posse de bola e o triplo de finalizações (9 a 3). Ela chegou a sair na frente com Fábio Ferreira logo aos dois minutos, aparentando uma suposta supremacia durante o prélio. O Atlético-PR, porém, mostrou eficácia e chegou ao empate com Paulo André aos 11. A partir daí, o jogo ficou equilibrado. A Macaca arriscava de fora, e o Furacão chegava pouco, mas, quando chegava, levava perigo à meta do goleiro João Carlos.

Com uma proposta bem definida, a Ponte ia ao ataque e trabalhava bem, principalmente pela esquerda com Clayson e Reinaldo. O Atlético se garantia na marcação e tentava através de jogadas esticadas no contra-ataque. 

O Furacão ensaiou uma recuperação, mas não teve força

O segundo tempo teve, no início, o mesmo roteiro do primeiro. A Ponte buscava dominar as ações atrás do segundo gol, e o Atlético-PR apostava nos contra-ataques. A estratégia da Macaca deu certo. Aos 16, Reinaldo marcou um golaço. Aos 23, Jeferson ampliou. A partir daí, o Furacão, com Vinícius e Giovanny, partiu para o ataque e descontou com Walter no fim; Deivid dividiu com Kadu, caiu no campo e, girando, conseguiu mandar a bola para Walter, que bateu de primeira e acerta o ângulo, um golaço. Mas o gol saiu muito tarde e não possibilitou o empate.

O Atlético Paranaense sofre com sua inconstância durante o campeonato e não consegue engatar uma boa sequência, por isso estaciona no meio da tabela.