Eduardo Baptista lamenta atuação atípica, mas prega pés no chão para a sequência da competição

Treinador da Ponte Preta reconhece superioridade do Cruzeiro e afirma que ainda não pensa em classificação para a Libertadores

Eduardo Baptista lamenta atuação atípica, mas prega pés no chão para a sequência da competição
Eduardo Baptista reconhece derrota merecida diante do Cruzeiro (Foto: Divulgação / AA Ponte Preta)

A derrota na noite deste sábado (8), para o Cruzeiro, pelo placar de 2 a 0, foi a terceira consecutiva da Ponte Preta no Campeonato Brasileiro, o que segura a equipe campineira na décima colocação, com 39 pontos conquistados, distanciando a Macaca da briga pela classificação à Libertadores.

Questionado sobre as pretensões do clube na competição após a partida, o treinador Eduardo Baptista disse não pensar na briga pelo G6 no momento, colocando como foco principal de sua equipe atingir a marca de 46 pontos para se ver livre de qualquer possibilidade de rebaixamento à Série B.

"Hoje fomos derrotados pelo Cruzeiro, uma equipe que tem uma folha de pagamento de mais de dez milhões de reais e que saiu hoje da zona de rebaixamento. A folha de pagamento da Ponte Preta é de um milhão e meio (de reais), nosso objetivo principal é chegar aos 46 pontos. Antes de chegar aos 46 pontos não vou traçar metas de brigar por G4 ou G6", disse o treinador.

Sobre a derrota para o Cruzeiro o comandante alvinegro reconheceu a superioridade da equipe adversária, destacando a lentidão apresentada por seus comandados como fator determinante para o resultado final.

"Fizemos uma partida ruim, muito abaixo do que vinhamos apresentando. Fomos lentos, tivemos muita lentidão em campo e diante de uma equipe como o Cruzeiro essa lentidão tem um preço alto e hoje nos custou a derrota", complementou Baptista.

A Ponte Preta volta a campo na próxima quinta-feira (13), quando volta a atuar diante de sua torcida no Moisés Lucarelli, em Campinas. A Macaca recebe a equipe do Vitória, às 19h30.