Aranha relembra com tristeza racismo sofrido na Arena: "Vejo ódio na cara das pessoas"

Goleiro diz não conseguir olhar para arquibancada da Arena; Pai e filho homenageiam guarda-redes com cartaz

Aranha relembra com tristeza racismo sofrido na Arena: "Vejo ódio na cara das pessoas"
(Foto: Fabio Leoni / Ponte Press)

Na tarde deste domingo (16) o Grêmio venceu a Ponte Preta pelo placar de 3 a 1 na Arena, em Porto Alegre. O confronto ocorreu pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro 2017. A tarde chuvosa na capital dos gaúchos mostrava o atual momento da Macaca. Com esta derrota, o clube campinense empilha o quinto jogo sem vencer e a terceira derrota consecutiva e o mesmo números de jogos sem marcar gols, pois o gol da Ponte foi marcado por Rafael Thyere, zagueiro do Grêmio, contra.  

Porém, nem tudo foi desgraça para a Macaca. Com muita marcação e intensidade no primeiro tempo, o time paulistano saiu vitorioso. Aos 34 minutos, Lucca recebeu lançamento de Nino Paraíba na direita. O camisa 9 fez o passe para Sheik, mas o zagueiro Rafael Thyere, na tentativa de cortar, mandou contra a meta tricolor. Logo no inicio do segundo tempo, aos 11, o Grêmio empatou com Lucas Barrios. Em um erro na saída de bola da Ponte, Pedro Rocha tocou para o paraguaio que chutou para o gol. A bola ainda desviou no zagueiro Naldo, e morreu no fundo do gol. Aos 23 minutos, Fernando Bob segurou Fernandinho dentro da área. Pênalti. Lucas Barrios bateu, marcou a virada gremista e seu segundo gol na partida. No finalzinho, aos 42, Luan achou Ramiro na ponta direita da área. De cabeça, o meio-campo tocou para Éverton, que também de cabeça mandou para o fundo do gol.

Dois torcedores do Grêmio levaram um cartaz para o goleiro da Ponte Preta, Aranha que em 2014 foi vitima de racismo por uma torcedora do Grêmio, quando ainda vestia a camisa do Santos. A placa levada pela dupla era um pedido de desculpas ao goleiro: "Aranha!!! O tempo passa, mas a dor não! Novamente... PERDÃO POR TUDO!!! Somos a verdadeira torcida do Grêmio", dizia o cartaz. 

Ao terminar o primeiro tempo do jogo, o goleiro olhou para pai e filho que prestaram a homenagem e fez um sinal de positivo. Após a partida, o goleiro comentou sobre o tema, na saída de campo "Lógico que sempre tem as exceções, mas é triste o conceito que eles têm aqui. A mudança vem das crianças, mas se o pai passa isso para o filho, quando vai melhorar? Nunca! Venho aqui preocupado em jogar, não tenho nada contra o Grêmio. Mas a falta de educação é geral. Às vezes reclamamos do político, mas sempre dá o jeitinho brasileiro, que era engraçado antes. Esse jeitinho está tomando conta do país", disparou. 

O goleiro ainda destacou a homenagem de pai e filho na arquibancada: "Vi o cartaz na hora que eu estava saindo, ele faz o esforço dele, fico feliz mesmo porque tem que partir de alguém. Pode ter certeza que o pai, passando esse conceito para o filho, tem tudo pra ser uma pessoa melhor. No meio de tantas pessoas que me olham com ódio, tem gente de bom coração", enfatizou.

Aranha também disse não conseguir olhar para a torcida quando enfrenta o Grêmio em Porto Alegre: "Quando eu volto aqui, procuro não olhar para a arquibancada. Cada vez que eu olho, vejo ódio na cara das pessoas. Eles têm a certeza de que eu estou errado. É triste em um clube do tamanho do Grêmio, ainda há pessoas que vêm aqui atrapalhar, deixar feio o espetáculo", concluiu.

Com esta derrota, a Ponte cai para a 16ª posição, e fica com os mesmos 15 pontos. A Macaca volta a campo na  próxima quarta-feira (19), às 21 horas diante do Coritiba, no estádio Moisés Lucarelli, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro 2017. 


Share on Facebook