Após sequência ruim, Vasco almeja reabilitação contra Ponte Preta em Campinas

Equipes, que vem de resultados negativos, buscam melhorar na classificação do Campeonato Brasileiro

Após sequência ruim, Vasco almeja reabilitação contra Ponte Preta em Campinas
Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Ponte Preta
Vasco
Ponte Preta: Aranha; Jeferson, Marllon, Rodrigo, Danilo Barcelos; Elton, Naldo, Renato Cajá; Maranhão, Lucca, Emerson Sheik. Técnico: Gilson Kleina.
Vasco: Martín Silva; Gilberto, Breno, Lucas Rocha, Henrique; Bruno Paulista, Jean; Wagner, Mateus Vital (Wellington), Paulinho; Paulo Victor. Técnico: Milton Mendes.
ÁRBITRO: Sandro Meira Ricci (RJ), auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho (RJ) e Marcelo Carvalho Van Gasse (RJ).
INCIDENCIAS: Jogo entre Ponte Preta e Vasco, válido pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Estádio Moises Lucarelli.

Ponte Preta e Vasco farão, nesse domingo (6), um dos jogos da 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo, que será disputado no Moisés Lucarelli às 19h, será apitado por Sandro Meira Ricci, auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Carvalho Van Gasse, ambos árbitros FIFA do Rio de Janeiro.

As duas equipes, apesar de virem de derrotas, vivem situações diferentes na tabela: a Ponte, mesmo estando a dois pontos da zona de rebaixamento, tem um jogo a menos já que a partida contra o Fluminense foi adiada por contra da tragédia envolvendo o filho de Abel Braga. Se vencer, a Macaca, dependendo da combinação de resultados, pode terminar na nona colocação.

Já o Vasco, que, há algumas rodadas almejava até uma briga por vaga no G6, após duas derrotas seguidas, caiu para décimo colocado e está ladeira a baixo. Com muitos desfalques, o treinador Milton Mendes é obrigado a apostar nos jovens garotos vindo da base cruzmaltina. A estratégia, porém, não vem dando muito certo e a equipe vem de duas derrotas seguidas, perdendo três posições durante esse tempo.

Na última rodada, a Ponte não conseguiu segurar o Vitória no Barradão e perdeu por 3 a 1, dando fim a uma sequência de duas vitórias seguidas. O Vasco, por sua vez, teve uma das suas piores atuações no ano e perdeu, em Volta Redonda, para o Cruzeiro por 3 a 0.

Ao longo da história, os jogos entre Vasco e Ponte Preta por campeonatos brasileiros apresentam números equilibrados: oito vitórias para o time carioca, 11 empates e seis vitórias para o time do interior de São Paulo. Na última vez que se enfrentaram, pelo Brasileirão de 2015, o Cruzmaltino derrotou a Macaca por 1 a 0 no Moisés Lucarelli.

Ponte aposta em limitação defensiva do Vasco e presença do torcedor para conquistar a vitória

De um lado, o vice-artilheiro do campeonato, do outro, a terceira defesa mais vazada da competição. É, a partir disso, que a equipe do treinador Gilson Kleina espera conquistar três pontos. O atacante Lucca, vivendo ótima fase, é a grande esperança de gols da Macaca pra cima do Vasco, que saiu apenas de campo sem levar gols em apenas três ocasiões nessa edição do Campeonato Brasileiro.

A equipe, buscando uma maior interação com o torcedor, abriu o treino da última sexta (4) para a torcida. Além disso, o sócio-torcedor com a mensalidade em dia terá o direito de levar um acompanhante de graça e também haverá uma promoção de ingressos, que custarão R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). Na manhã de domingo, os jogadores estarão na loja oficial do clube para uma sessão de autógrafos, comemorando o lançamento da nova camisa 2 da equipe.

“Que o nosso torcedor invada o Moisés Lucarelli, que assim ele faz a diferença. Nossa torcida ajuda os jogadores e esse confronto é importantíssimo para nossas pretensões. Temos totais condições de fazer os três pontos, com todo respeito ao Vasco” – disse o treinador Gilson Kleina.

Renato Cajá e Aranha, que não treinaram na sexta, foram ao campo normalmente no último treino e estão confirmados para a partida. Desse jeito, a Ponte Preta irá com a sua força máxima – com exceção de Fernando Bob e João Vitor, que se recuperam de lesões. O jogo marcará o reencontro de Rodrigo com o Vasco, clube no qual foi capitão e titular absoluto nos últimos anos.

Ambiente não é dos melhores, mas Vasco aposta na base para reverter situação ruim

Vindo de duas derrotas consecutivas em Volta Redonda, já que cumpre punição e não pode jogar em São Januário, o ambiente do Vasco após a partida contra o Cruzeiro não foi dos melhores. Insatisfeitos com algumas atitudes do treinador Milton Mendes, os jogadores se reuniram no último sábado (5) sem a presença de nenhum membro da comissão técnica para conversarem sobre algumas atitudes do técnico.

Da equipe que esteve em campo no último compromisso da equipe, apenas uma mudança está confirmada: Rafael Marques, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, dará lugar a Breno, que voltará após ficar um tempo afastado por um problema muscular, e vai jogar ao lado de Lucas Rocha. Jomar, mesmo recuperado de lesão, não foi relacionado para a partida.

No último treino realizado antes da partida, Milton Mendes treinou duas variações da equipe. Sacando Escudero do time titular, o treinador treinou com Mateus Vital por uma parte do coletivo e Wellington na outra. Se caso escolha a primeira opção, o Vasco será um time mais ofensivo, com três jogadores atrás do atacante; Se for pela outra, entrará com uma equipe mais defensiva, com a presença de três volantes.

O meio campo Nenê continua fora por não chegar em um consenso com a diretoria do clube após uma polêmica envolvendo o jogador, que pediu para não jogar a partida contra o São Paulo. Além disso, o lateral Ramon não se recuperou de um estiramento na coxa e não jogará. Recém-contratado, o zagueiro Anderson Martins ainda não tem condições de jogo e deve estrear na próxima semana, no jogo contra o Palmeiras.

“Vivemos momentos bons há menos de um mês. O Vasco estava muito bem, estava em sexto, brigando por Libertadores. Éramos os melhores há duas, três semanas atrás. Hoje nós não somos os piores. É isso que o torcedor do Vasco tem que entender. Nossa mentalidade não está voltada para brigar contra o Z-4. Nem sequer passa por nossa cabeça. Estamos voltados à primeira metade da tabela. A partir do momento que começarmos a olhar para baixo, estaremos diminuindo isso que a gente está vestindo. E o que a gente está vestindo não merece que fiquemos olhando para baixo, merece estarmos olhando para cima” – disse o volante Jean em entrevista coletiva após o treino. 


Share on Facebook