Santa Cruz goleia Cruzeiro com dois de Grafite e assume liderança isolada do Brasileiro

Tricolor do Arruda realizou um excelente segundo tempo, o suficiente para derrotar o Cruzeiro em casa

Santa Cruz goleia Cruzeiro com dois de Grafite e assume liderança isolada do Brasileiro
(Foto: Ney Gusmão/VAVEL Brasil)
Santa Cruz
4 1
Cruzeiro
Santa Cruz: Tiago Cardoso; Léo Moura (Leandrinho, min. 82), Néris, Danny Morais e Tiago Costa; Alex Bolaño (Wallyson, min. 54), Uillian Correia e Fernando Gabriel (João Paulo, min. 25); Arthur, Grafite e Keno. Técnico: Milton Mendes.
Cruzeiro: Fábio; Lucas (Pisano, min. 78), Bruno Viana, Bruno Rodrigo e Sánchez Miño; Henrique, Bruno Ramires e Ariel Cabral (Alex, min. 66); Elber, Arrascaeta (Douglas Coutinho, min. 70) e Willian. Técnico: Paulo Bento.
Placar: 1-0, min. 19, Grafite, 1-1, min. 52, Arrascaeta, 2-1, min. 64, Grafite, 3-1, min. 76, Arthur e 4-1, min. 89, Keno.
ÁRBITRO: Anderson Daronco (RS). Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés e Élio Nepomuceno de Andrade Júnior.
INCIDENCIAS: Terceira rodada do Campeonato Brasileiiro. Partida disputada no Estádio Arruda, em Recife (PE). Público: 16.331. Renda: R$ 257.225,00

O Santa Cruz está impossível no Campeonato Brasileiro. Grafite nem fala. Empurrado pelo camisa 23, que marcou dois gols e se isolou na artilharia do Brasileirão, o time coral goleou o Cruzeiro por 4 a 1, no Estádio do Arruda, em Recife. 

Com o resultado, o Santa Cruz se consolidou na liderança do Campeonato Brasileiro com sete pontos ganhos. Já o Cruzeiro, que ainda não venceu no Brasileirão, está na zona de rebaixamento, em 18º, com apenas um ponto.

O Santa Cruz viaja até Chapecó e enfrenta a Chapecoense, sábado (28), às 21h, na Arena Condá. O Cruzeiro fará o clássico mineiro contra o América-MG, no mesmo dia, às 16h, no Estádio Mineirão.

Grafite comanda o time e Santa Cruz sai na frente

O Cruzeiro entrou em campo com uma formação mais ofensiva. O técnico Paulo Bento apostou em um esquema com três volantes, com Ariel Cabral mais a frente, municiando Elber e Arrascaeta pelas pontas, e Willian centralizado. O Santa Cruz repetiu a formação que vem dando certo, com três atacantes e Grafite segurando a defesa. 

Nos primeiros minutos, o Cruzeiro se apresentou melhor e de forma organizada, abrindo o jogo para tentar encontrar espaços na defesa do Santa Cruz, além de finalizar exaustivamente ao gol do goleiro Tiago Cardoso.  

Do outro lado, o time cobra coral era mais econômico, jogava em função do atacante Grafite e valorizando a posse de bola. O show do time pernambucano começou a acontecer aos 19 minutos, quando o camisa 23 do Santa Cruz sofreu penalidade máxima do goleiro Fábio. Na cobrança, o centroavante bateu no canto esquerdo, sem chances para o goleiro cruzeirense.

O gol do Santa Cruz não abateu o Cruzeiro, que seguiu jogando no ataque, buscando as finalizações. Willian, camisa nove celeste, teve boas oportunidades, mas errou o alvo. Tanta pressão celeste em cima do time pernambucano, fez com que os cruzeirenses merecessem a igualdade no placar, o que acabou não se confirmando.

Grafite dá show e o Santa Cruz goleia no Arrudão

Os times voltaram para a segunda etapa sem mudanças. A postura do Cruzeiro não se alterou em vista do que fez no primeiro tempo. Um time ofensivo, com suas linhas adiantadas e o Santa Cruz esperando o contra-ataque. 

Tanta pressão do Cruzeiro teve efeito aos sete minutos. Arrascaeta cobrou a falta com maestria, por cima da barreira, e o goleiro Tiago Cardoso nem sequer fez menção de fazer defesa. Com o gol, o Cruzeiro se empolgou mais, sentiu que a possibilidade da primeira vitória no Brasileirão era real. No entanto, os erros no último passe e nas finalizações não permitiram que os celestes alterassem o marcador. 

A partir da entrada de Wallyson em lugar de Alex Bolaño, o Santa Cruz conseguiu sair da defesa e pressionar o Cruzeiro. Aos 19 minutos, na bola lançada por Léo Moura, Grafite dominou, saiu da marcação de Bruno Rodrigo, e tocou por cima do goleiro Fábio, marcando um golaço.

Após o gol do Santa Cruz, o Cruzeiro não se achou mais em campo. Por sua vez, o Santinha apareceu mais no ataque, aproveitou os espaços deixado na defesa celeste. Aos 31 minutos, Keno fez o cruzamento e encontrou o atacante Arthur, na segunda trave, para fazer o terceiro gol. 

O técnico Paulo Bento não tinha muito que fazer. Tentou colocar mais ofensividade tirando o volante Ariel Cabral e colocando o meia Alex, mas sem surtir efeito. O Cruzeiro buscava os contra-ataques, sem a mesma organização de antes. 

O Santa Cruz se resguardava na defesa esperando os contra-ataques. Aos 44 minutos, Tiago Costa lançou Keno, que ganhou na corrida de toda a defesa do Cruzeiro, e tocou na saída do goleiro Fábio, que novamente buscou a bola no fundo das redes.