Santa Cruz busca reabilitação contra Figueirense em duelo direto na parte inferior da tabela

Sem vencer há quatro jogos, Mais Querido usa fator casa para se distanciar da zona de rebaixamento, já catarinenses visam surpreender e buscar primeira vitória fora

Santa Cruz busca reabilitação contra Figueirense em duelo direto na parte inferior da tabela
Foto: Antônio Melcop/Santa Cruz
Santa Cruz
Figueirense
Santa Cruz: Tiago Cardoso; Léo Moura, Néris, Danny Morais e Tiago Costa; Uillian Correia, João Paulo e Lelê; Arthur, Grafite (Bruno Moraes) e Wallyson. Técnico: Milton Mendes
Figueirense: Gatito Fernández; Jefferson, Jaime, Bruno Alves e Marquinhos Pedroso; Elicarlos, Ferrugem e Bady; Dudu, Ermel e Guillherme Queiroz. Técnico: Vinícius Eutrópio
ÁRBITRO: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, a ser disputada no Arruda, em Recife, Pernambuco

Com situação inconstante no Campeonato Brasileiro 2016, o Santa Cruz tem novo desafio pela frente na noite desta quarta-feira (15), no Arruda, em Recife. No duelo pela 8ª rodada, às 21h, a Cobra Coral vai receber o também irregular Figueirense, em confronto direto na luta contra a zona de rebaixamento.

Sem vencer há quatro jogos, depois de início positivo, o Mais Querido busca reconcialiação com a torcida e as vitórias. No último domingo (12), o tricolor teve má atuação e foi batido pelo Santos por 2 a 0. O revés fez os pernambucanos ficarem na 14ª posição, com oito pontos ganhos, um acima dos rivais da degola.

Já o Furacão, de altos e baixos nos últimos compromissos, visa vencer a primeira longe de Santa Catarina, pois os triunfos - até o momento - foram dentro do Orlando Scarpelli. O último, inclusive, foi no domingo (12), dia do aniversário de 95 anos do time catarinense, que superou o Flamengo por 1 a 0, com um golaço de Rafael Moura e em tarde inspirada do goleiro Gatito Fernández, deixando-o ausente do descenso.

O trio de arbitragem do embate será formada por paulistas. No apito, Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, da CBF. Ele tem os conterrâneos Anderson José de Moraes Coelho, que também é do quadro nacional, e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa, aspirante à Fifa. Esse já é a quarta partida do árbitro nessa Série A, a segunda que envolve uma equipe de Pernambuco.

Santa Cruz cheio de mistério e com dúvidas

Para a partida contra o Figueira, Milton Mendes adotou mistério total e, na terça-feira (14), proibiu quaisquer entrevistas e fez treinamento de portões fechados, sem dar visibilidade a um provável time titular. Apesar das indefinições, uma certeza é a volta de Uillian Correia, que estava suspenso no fim de semana diante do Santos.

As dúvidas, porém, seguem no setor ofensivo, já que os vetados Keno e Grafite ainda não estão com situação definida. O artilheiro figurou na lista de relacionados para o duelo com os catarinenses, enquanto que o companheiro de ataque não se reapresentou na segunda-feira (13), ficando sem saber se vai a campo.

Caso os jogadores não reúnam condições de jogo, o comandante coral deverá manter Bruno Moraes, na referência, e Wallyson, escolhidos para atuar diante do Peixe, mas Fernando Gabriel briga diretamente por um espaço na ponta. Keno, inclusive, renovou seu contrato até o fim de 2018 e teve 60% do passe comprado pelo tricolor. Fernando, cogitado para assumir um espaço, valoriza a importância de vencer o Figueirense.

"Perdemos em casa, mas sabemos que podemos apresentar um futebol melhor do que apresentamos contra o Santos. Esse jogo serviu como aprendizado para corrigirmos nossos erros. Agora temos o Figueirense pela frente, que vem de vitória sobre o Flamengo. Não vai ser fácil, mas precisaremos impor nosso ritmo e buscar a vitória", destacou o meia.

Eutrópio sofre com desfalques para definir Figueirense

O alto número de jogos em sequência se transformou em uma dor de cabeça no Figueirense. Do confronto diante do Flamengo, no final de semana, o treinador Vinícius Eutrópio perdeu quatro jogadores ditos titulares para o embate com o Mais Querido. O lateral-direito Ayrton, o zagueiro Marquinhos, o meia-atacante Carlos Alberto e o artilheiro no certame Rafael Moura sofreram com o desgaste físico e não vão atuar.

Para as respectivas funções, Eutrópio escolheu Jefferson, Jaime, Bady e Guilherme Queiroz, sendo os dois últimos os escolhidos também no duelo com os cariocas. De resto, o time-base deve ser mantido, com o goleiro Gatito na meta, ao lado de Bruno Alves e Marquinhos Pedroso fechando a defesa.

No meio-campo, Elicarlos e Ferrugem formam a cabeça de área, com Dudu e Ermel mais avançados na referência. O técnico do alvinegro lamentou a baixa de He-Man, usando a perda de qualidade no estilo de jogo a ser implantado, contudo exaltou o poder de liderança que o restante do grupo possui.

"Perdemos muito essa liderança técnica e pessoal. Tem outros líderes no time, mas sem o Rafael perdemos nosso modelo de jogo que estamos concretizando nos últimos jogos. Ele é nossa referência técnica e a fase que está nos é fundamental, pois foi a forma que o time encontrou para para encaixar o sistema", disse Vinícius.