Após reviravolta, Penalty continua como fornecedora de material do Santa Cruz

Contrato com empresa de material esportivo havia sido rescindido, porém as negociações com outros fornecedores não avançaram e o Tricolor acertou nova proposta

Após reviravolta, Penalty continua como fornecedora de material do Santa Cruz
Presidentes do Santa Cruz, Alírio Moraes, e da Penalty, César Ferreira, anunciam a renovação da parceria. Foto: Divulgação/Santa Cruz Futebol Clube

Parecia o fim prematuro de uma parceria que já durava sete anos. Outras três empresas chegaram a negociar e a torcida alimentou a expectativa de vestir o material de um novo fornecedor. Mas no fim a Penalty acertou a reformulação do contrato vigente até o fim de 2018 e continua como fornecedora de material esportivo do Santa Cruz. O acordo foi divulgado na manhã desta quinta-feira (16) pelo presidente Alírio Moraes em entrevista coletiva.

A novela teve início no dia 2 de fevereiro, quando o clube anunciou nas redes sociais a ruptura do contrato com a empresa paulista. A expectativa na época era que a canadense DryWorld arcasse com a multa rescisória, o que após quatro meses de negociações acabou não acontecendo. As empresas Umbro e Topper também aceitaram negociar com o Tricolor, mas o contrato mais vantajoso para o clube acabou sendo o da própria Penalty, como explicou Alírio.

"Estamos com um espírito renovado e acreditamos na fornecedora. Foi uma decisão madura. A empresa nos deu amplas garantias no atendimento do mercado consumidor e na quantidade e qualidade dos produtos para atender a nossa torcida. Finalmente nos sentimos confortáveis pelas garantias oferecidas e resolvemos abraçar a Penalty", afirmou o presidente coral.

O presidente da Penalty, César Ferreira, também esteve presente no anúncio da renovação. O Santa Cruz será o único clube com contrato de fornecimento com a empresa, e a promessa é de que terá maiores privilégios quanto à capacidade de distribuição e quanto à qualidade do material, questões que a partir de agora serão geridas pelo próprio clube, ao contrário do que ocorria nas gestões passadas.

A diretora de negócios do Santa Cruz, Priscila Ulbrich, explicou os pontos que foram cruciais na renovação do contrato. "O primeiro aspecto que consideramos foi a parte financeira. As propostas que recebemos foram praticamente igualadas, dentro de um valor de mercado. Além disso, pegamos as reclamações da torcida e transformamos isso em cláusulas no contrato. São novas gestões nas duas empresas e acreditamos que tudo vai funcionar", ponderou Priscila.