Milton Mendes destaca importância de vencer Atlético-MG: "Pode ser peso três na moral"

Treinador coral se mostra confiante com resultado positivo diante do Galo, mesmo fora de casa e que quebraria tabu histórico

Milton Mendes destaca importância de vencer Atlético-MG: "Pode ser peso três na moral"
Técnico tricolor afirma que atmosfera criada pela torcida atleticana pode motivar os jogadores (Foto: Antônio Melcop/Santa Cruz)

A necessidade de vencer o Atlético-MG é perceptível não somente nos torcedores do Santa Cruz. E a manhã desta sexta-feira (29), data que marcou o encerramento da preparação, foi também de comemoração pelos quatro meses do técnico Milton Mendes à frente do time, onde conquistou o bicampeonato Pernambucano e o título inédito da Copa do Nordeste.

Diante de um tabu histórico de nunca ter derrotado o Galo em Minas Gerais, o Mais Querido tem a favor o otimismo de seu comandante na véspera do duelo. Visando também se afastar ainda mais da zona do rebaixamento, Milton ressalta a importância de sair vitorioso fora de casa.

"Uma vitória boa já foi contra o América, já que nos deu alento, força e a possibilidade de brigar por um lugar melhor, que não chegamos por incompetência nossa mesmo. Acho que diante do Galo será um jogo de peso três. Nós já estamos trabalhando para que a equipe tente ser ela própria", declarou Mendes, que exaltou ainda a atmosfera da torcida atleticana, apontando o fator como favorável a seus comandados.

"Lá têm uma atmosfera muito boa e gostam de jogar no Independência porque é pequeno, faz eco bem maior do torcedor. Vivem um momento bem melhor do que estavam quando fui lá assistir e até devem colocar mais torcedores. O jogador gosta desse clima maravilhoso e, apesar de ser contra nós, é o momento que todos querem estar presentes", disse.

O treinador tricolor enaltece a força da equipe alvinegra, não apenas nos seus domínios, entretanto garante que quem jogar vai estar com empenho máximo, dizendo que o confronto pode vir a ser favorável à Cobra Coral: "Os jogadores que entrarem em campo vão lutar e acho que esse é o momento. Momento de reta final de turno e não decidimos para onde queremos ir: para cima ou para baixo. Está mais para baixo que para cima, contudo é o momento de bater no peito e dizer que nós podemos", encerrou.