Retrospectiva VAVEL: análise individual do elenco do Santos em 2017

Vanderlei é o destaque positivo e Leandro Donizete é o negativo

Retrospectiva VAVEL: análise individual do elenco do Santos em 2017
Retrospectiva VAVEL: análise individual do elenco do Santos em 2017

O Alvinegro da Vila Belmiro teve um ano irregular. Com três eliminações nas quartas de final, o Santos acabou o ano sem levar nenhum título. Vanderlei, Bruno Henrique e Lucas Veríssimo foram os principais nomes. Leandro Donizete, Thiago Ribeiro e Kayke renderam menos do que esperado.

Goleiros

Vanderlei

Melhor jogador da equipe na temporada. Vanderlei foi muito regular no ano, sendo um paredão e salvando o Santos de várias derrotas, com grandes defesas. O goleiro foi eleito o melhor goleiro do Campeonato Brasileiro 2017 e teve a defesa mais bonita do campeonato nacional.

Foto: Ivan Storti / Santos FC

Vladimir

Quando precisou substituir o goleiro titular, Vladimir se saiu bem. O goleiro jogou apenas no Campeonato Paulista, quando Vanderlei se lesionou, e deu dor de cabeça no ex-treinador do Santos, Dorival Júnior, para decidir quem seria o goleiro titular quando o Vanderlei voltou.

João Paulo

O jovem goleiro de 22 anos, atuou apenas uma vez no ano. No empate por 0 a 0 contra o Vasco, o goleiro se saiu bem e garantiu um ponto do Peixe, fora de casa.

Laterais

Zeca

O jovem lateral começou o ano bem, mas sofreu com lesões e terminou o ano colocando o Santos na Justiça. Zeca foi bronca da torcida após a eliminação na Libertadores, sofrendo pressão de torcedores no aeroporto voltando da viagem do jogo contra o Sport, após isso, o lateral-esquerdo atuou apenas uma vez mais com a camisa do Santos e processou o clube pedindo sua rescisão. Zeca não deve mais atuar com a camisa do Santos.


Foto: Ivan Storti / Santos FC

Orinho

O lateral Orinho, subiu do Santos B para o profissional recentemente. O atleta recebeu oportunidades com Elano, mas ainda não se destacou.

Daniel Guedes

Daniel Guedes foi reserva de Victor Ferraz na temporada, mesmo a torcida o querendo de titular. O lateral chegou a ser titular várias vezes, e era o substituto imediato do lateral-direito titular. Guedes chegou a marcar aos 50 minutos, um gol de falta da vitória sobre o Atlético-MG.

Matheus Ribeiro

Matheus Ribeiro participou apenas de nove partidas na temporada. O lateral não ganhou sequência no Alvinegro, e não vai permanecer em 2018.

Caju

O lateral Caju atuou apenas quatro vezes na temporada. O jovem terminou o ano recebendo chances com Elano, indo bem contra o Atlético-MG mas não conseguindo repetir sua atuação contra o Vasco.

Zagueiros

Fabián Noguera

O zagueiro argentino esteve relacionado em muitas partidas no Campeonato Brasileiro. Criticado pela torcida, Noguera atuou apenas nove vezes no ano, saindo vencedor em quatro oportunidades.

Luiz Felipe

O jovem zagueiro se recuperou de lesão apenas em agosto, sendo relacionado pela primeira vez no ano dia 27 de agosto, em jogo contra o Cruzeiro. Luiz Felipe terminou o ano jogando bem e sendo o titular na zaga santista.

Lucas Veríssimo

Lucas Veríssimo foi o grande nome da zaga do Santos no ano. O zagueiro evoluiu ao longo do ano, e terminou sendo um dos melhores do Brasil. Veríssimo atuou em 59 partidas no ano de 2017, sempre sendo muito elogiado pela torcida do Santos.

David Braz

David Braz foi o xerife na zaga santista, o zagueiro sempre mostrou muita raça e dando 'sangue' com a camisa do Alvinegro. Braz jogou 46 partidas, marcando seis gols. Mesmo faltando um pouco de qualidade, o zagueiro foi muito elogiado pela torcida por sua raça e dedicação com a camisa do Alvinegro.

Meias

Alison

O volante atuou no Campeonato Paulista no Red Bull Brasil, emprestado pelo Santos. Voltando no Campeonato Brasileiro, Alison foi destaque da equipe após a saída de Thiago Maia. O volante substituiu bem a saída do atleta, mostrando muita raça e qualidade nos desarmes.

Renato

O volante atuou no Campeonato Paulista no Red Bull Brasil, emprestado pelo Santos. Voltando no Campeonato Brasileiro, Alison foi destaque da equipe após a saída de Thiago Maia. O volante substituiu bem a saída do atleta, mostrando muita raça e qualidade nos desarmes.

Vitor Bueno

Vitor Bueno era titular na equipe, até sofrer lesão em setembro, contra o Atlético-GO. O meia vinha fazendo uma boa temporada, mas a lesão deixou o jovem fora da temporada, e só volta no Paulistão 2018.

Lucas Lima

A camisa 10 teve dois Lucas Lima diferente na temporada. O da Libertadores, foi fundamental na equipe, sendo o jogador que deu mais assistência e não perdendo nenhum jogo no campeonato continental. No Campeonato Brasileiro, Lucas Lima jogou abaixo do que pode, sendo criticado pela torcida e afastado do elenco antes do final do campeonato nacional. Lucas já acertou com o Palmeiras para 2018.


(Foto: Getty Images)

Léo Cittadini

Léo Cittadini atuou quinze vezes, apenas duas como titular. O meia não era uma das principais opções do elenco, e não ganhou sequência.

Matheus Jesus

O volante chegou da Ponte Preta no dia 23 de setembro, para subistituir Thiago Maia. Matheus Jesus estreou bem contra o Palmeiras, mas sofreu uma pequena lesão e ficou fora por 12 dias. Quando voltou, perdeu sua vaga para Alison. Matheus Jesus chegou a ser chamado de Pogba da Baixada.

Leandro Donizete

Donizete foi o principal alvo de criticas da torcida. O volante teve uma temporada ruim, Donizete substituiu Renato e jogou como titular na eliminação para o Barcelona-EQU, dentro da Vila Belmiro. O volante não seguirá no Santos em 2018.

Serginho

Serginho atuou no Campeonato Paulista pelo Santo André. O atleta teve apenas nove jogos no ano com a camisa do Santos, todos no Campeonato Brasileiro.

Yuri

Titular com Dorival Júnior, Yuri perdeu espaço após a saída do técnico. Com o ex-treinador do Santos, o volante chegou a ser improvisado como zagueiro.

Vladimir Hernández

O colombiano atuou 27 vezes com a camisa do Alvinegro, marcando apenas um gol. Hernández teve uma temporada razoável com a camisa do Santos.

Vecchio

Vecchio foi afastado por Dorival Júnior, estreando apenas em junho após a demissão do treinador. O volante começou bem até sofrer uma lesão, ficando de fora quase um mês. Vecchio virou armador na equipe na vaga de Lucas Lima, não se saindo bem na função.

Thiago Maia

O jovem volante saiu no meio do ano para o Lille-FRA. Thiago Maia foi destaque até sua saída, era um dos principais xodó da torcida do Peixe.

Jean Mota

Jean Mota chegou a ser improvisado de lateral-esquerdo. O meia teve uma boa temporada, tanto na armação como na lateral.

Atacantes

Bruno Henrique

O segundo melhor jogador da equipe no ano. Bruno Henrique foi destaque do Santos com gols e assistência, o atacante foi o segundo jogador com mais assistência no Campeonato Brasileiro, com 11 em 38 jogos. O jogador foi fundamental na equipe, com um ano muito regular. Em jogos que o atacante não esteve, o Santos caiu de rendimento.

Foto: Ivan Storti / Santos FC

Copete

Copete participou de 52 jogos, marcando 12 gols. O atacante chegou a marcar um hattrick no clássico contra o São Paulo, na Vila Belmiro. O colombiano foi fundamental na parte tática, ajudando Victor Ferraz na marcação.

Thiago Ribeiro

O atacante teve um ano ruim. Participando de poucos gols, e acabou sendo um dos mais criticado pela torcida.

Kayke

Kayke foi o substituto de Ricardo Oliveira, quando o atacante estava de fora. O atleta participou de 42 jogos, marcando apenas 9 gols, sendo o último no dia 5 de junho. Kayke não permanecerá no Santos em 2018.

Rodrygo Goes

O jovem atleta de 16 anos, jogou apenas dois jogos, participando apenas de 16 minutos em campo. Rodrygo subiu para o profissional após Elano assumir o comando na reta final do campeonato. O atacante ficou no banco de reserva e entrou nos minutos finais para ganhar experiência. O Menino da Vila deve ser um dos principais jogadores do Santos em 2018.

Yuri Alberto

Yuri tem a mesma situação de Rodrygo. Elano subiu o jovem atacante para o profissional, e o jogador atuou apenas em duas partidas para ganhar experiência. Em 2018, Yuri deve ser o reserva imediato de Ricardo Oliveira.

Ricardo Oliveira

O camisa 9 do Santos sofreu com doenças no inicio do ano, fazendo que ele jogasse em apenas seis partidas do Campeonato Paulista. Ricardo Oliveira foi decisivo na reta final enquanto o Santos ainda brigava pelo título, marcando gols em clássico fundamentais. O atacante participou de 40 jogos, marcando 12 gols.

Nilmar

O atacante foi contratado no final do ano, precisou se recuperar fisicamente, demorando dois meses para estrear pelo Santos. Nilmar jogou apenas duas partidas, atuando em 39 minutos. Até sofrer de depressão, e ser liberado pelo Peixe para se cuidar.

Arthur Gomes

O jovem atacante atuou em apenas 17 partidas, marcando três gols. Arthur terminou o ano sendo titular no lugar de Copete.