São Paulo acaba com maldição e vence Atlético-MG pelas quartas da Libertadores

Tricolor Paulista foi derrotado pelo Galo por 2 a 1, mas conseguiu a classificação por ter vencido no Morumbi

São Paulo acaba com maldição e vence Atlético-MG pelas quartas da Libertadores
Foto: Érico Leonan / SPFC Divulgação
Atlético-MG
2 1
São Paulo
Atlético-MG: Victor; Marcos Rocha, L. Silva, Erazo, D. Santos; L. Donizete, Eduardo (Dátolo), Patric (Clayton), Cazares; Carlos (Carlos Eduardo), Lucas Pratto. Técnico: Diego Aguirre
São Paulo: Dênis; Bruno, Maicon, R. Caio, Mena; Hudson, Thiago Mendes (Wesley), Kelvin, PH Ganso, Michel Bastos (M. Reis), Calleri (A. Kardec). Técnico: Edgardo Bauza
Placar: 1-0, min. 7, Cazares. 2-0, min. 11, Carlos. 2-1, min. 14, Maicon.
ÁRBITRO: André Cunha (URU). Cartões amarelos: Michel Bastos (min. 25), Maicon (min. 38), Eduardo (min. 45), L. Donizete (min. 22/ 2ºT, 48/ 2ºT), L. Silva (min. 27/ 2ºT), Kelvin (min. 43/ 2ºT). Cartões vermelhos: L. Donizete (min. 48/ 2ºT)
INCIDENCIAS: Partida de volta das quartas de final da Copa Libertadores da América, disputada na Arena Independência, em Belo Horizonte (MG).

Um jogaço! Diferentemente da primeira partida, no Morumbi, São Paulo e Atlético-MG fizeram um grande duelo nesta quarta-feira (18), na Arena Independência, no jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores da América. Precisando do resultado após ser derrotado por 1 a 0 no primeiro confronto, o Galo começou arrasador e marcou duas vezes, com Cazares e Carlos. Entretanto, pouco tempo depois, o zagueiro Maicon apareceu na área atleticana para marcar e garantir o Tricolor na próxima fase da competição.

Desacreditado no início, por algumas atuações ruins e derrotas para times de menor expressão, o São Paulo agora é o único representante brasileiro na Libertadores. Agora, o clube espera para conhecer seu adversário. No chaveamento, o adversário sairia do vencedor entre Atlético Nacional-COL e Rosário Central-ARG, porém, casa Rosário e Boca Juniors-ARG se classifiquem, as duas equipes obrigatoriamente terão que se enfrentar na próxima fase, pois a CONMEBOL não permite que dois clubes do mesmo país disputem a final. Caso isso aconteça, o adversário do Tricolor sairá do confronto entre Del Valle-EQU e Pumas-MEX.

A competição terá uma pausa e voltará apenas em julho. Isso porque, com a disputa da Copa América, alguns times perderiam jogadores importantes e seriam prejudicados. Com isso, todos terão um bom tempo para trabalhar e ver a situação de seus atletas. O atacante Calleri, que tem contrato até o final de junho, ficará, pois há uma cláusula que aumenta seu vínculo com o clube do Morumbi até o fim de sua participação na Libertadores. Já o zagueiro Maicon, com contrato também até junho, é uma dor de cabeça para a diretoria são-paulina, que tenta desesperadamente comprar o jogador ou em último caso uma prorrogação de empréstimo, que não é bem vista pelo Porto-POR, dono de seus direitos.

Galo começa arrasador mas São Paulo diminui

A primeira etapa foi alucinante no Horto. Necessitando vencer para avançar à próxima fase da Libertadores, o Atlético pressionou desde o início e não demorou a marcar seu primeiro gol. Logo aos sete minutos, após grande defesa de Dênis em chute forte da equipe mineira, a bola sobrou para Cazares finalizar. A bola ainda tocou nas pernas do goleiro são-paulino antes de morrer no fundo das redes.

Ainda tentando se recuperar do golpe, o São Paulo sofreu o segundo gol. Douglas Santos cruzou da esquerda e encontrou Carlos livre, no meio da área, para cabecear firme e ampliar o marcador. Com apenas 11 minutos de jogo, o Galo já havia conseguido o resultado que garantiria sua classificação.

Entretanto, aos 14 minutos, quando o Atlético ainda seguia eufórico com o grande resultado, Kelvin cobrou escanteio do lado direito do ataque são-paulino e encontrou Maicon. O zagueiro tricolor subiu mais que toda a zaga atleticana, incluindo o goleiro Victor, e marcou o gol que colocou o São Paulo de volta no jogo.

Depois do começo alucinante, os argentinos deram um show à parte. Primeiro Lucas Pratto, aos 22 minutos, aproveitou o bom cruzamento de Marcos Rocha e, de cabeça, carimbou a trave esquerda de Dênis. Apenas três minutos depois, foi a vez de Calleri bater cruzado e obrigar Victor a fazer uma grande defesa. Na sobra, Michel Bastos ainda tentou aproveitar, mas Marcos Rocha chegou na hora certa para afastar o perigo.

Com o Galo ainda no ataque, mas sem o mesmo ímpeto do começo do jogo, a última oportunidade da primeira etapa foi do São Paulo. Em cobrança de falta, Ganso mandou a bola na área e Rodrigo Caio, de cabeça, acertou a trave de Victor. Calleri ainda tentou aproveitar o rebote, porém foi travado pela defesa atleticana e após o susto nos mandantes, o árbitro deu fim aos 45 minutos iniciais.

São Paulo segura pressão e garante classificação

No segundo tempo, o Galo seguiu pressionando muito, porém sem a efetividade vista na primeira etapa. Durante a maior parte dos 45 minutos finais da partida, os mandantes tiveram muita posse de bola porém não conseguiram chegar tantas vezes no gol de Dênis. O São Paulo, por outro lado, buscou marcar forte e, em um contra-ataque, matar o jogo.

A primeira chance foi do Atlético. Cazares, aos sete minutos, recebeu na esquerda, cortou para o meio, e bateu cruzado, levando muito perigo ao São Paulo. Pouco tempo depois, Eduardo chutou de longe e Dênis fez uma boa defesa. A resposta são-paulina não demorou a vir e, em um contra-ataque rápido, Ganso recebeu pela direita e chutou, mas a bola saiu fraca e Victor defendeu com facilidade.

Clayton, que entrou no lugar de Patric, teve a melhor chance da segunda etapa, mas não aproveitou. O atacante recebeu bom passe de Donizete, mas acabou chutando pra fora. O Galo ainda chegou a assustar duas vezes, com Pratto e Leonardo Silva. Primeiro o atacante recebeu pela direita e na hora do chute Rodrigo Caio apareceu bem para traver. Já o zagueiro subiu para cabecear, Dênis largou a bola mas na sequência se redimiu e fez a defesa. O São Paulo seguiu se defendendo e após uma falta batida por Pratto, para fora, o árbitro apitou e o Tricolor avançou de fase na Libertadores.