Kardec marca duas vezes e São Paulo bate lanterna América-MG

Sem uma grande atuação, mas suficiente para não dar qualquer chance ao América-MG, São Paulo vence e se aproxima do G-4

Kardec marca duas vezes e São Paulo bate lanterna América-MG
Tricolor atuou com equipe reserva e se sobressaiu sobre último colocado (Foto: Divulgação/São Paulo)
São Paulo
3 0
América-MG
São Paulo: Dênis; Auro, Maicon (Rodrigo Caio), Lyanco e Carlinhos; Hudson (Artur), Wesley e Cueva; Centurión (Ytalo), Alan Kardec e Luiz Araújo Técnico: José Daniel Di Leo
América-MG: João Ricardo; Pablo, Roger, Leandro Guerreiro e Bruno Teles; Juninho, Ernandes (Victor Rangel), Tony (Danilo) e Gilson (Alan Mineiro); Osman e Borges Técnico: Sérgio Vieira
Placar: 1-0, min. 36, Alan Kardec, 2-0, min. 42, Lyanco e 3-0, min. 59, Alan Kardec.
ÁRBITRO: Árbitro: Dewson Fernando Freitas (PA/ Fifa). Assistentes: Marcio Gleidson Correia Dias (CBF) e Helcio Araújo Neves (CBF)
INCIDENCIAS: 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Partida disputada no Estádio do Morumbi, em São Paulo.

Sem muita dificuldade e preocupado com a Libertadores, o São Paulo venceu o América-MG, com time reserva, por 3 a 0, no Morumbi, com dois gols de Alan Kardec e outro de Lyanco. A partida valeu pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O São Paulo entrou em campo com time reserva, pois terá um grande compromisso pela semifinal da Copa Libertadores da América contra o Atlético Nacional, em Medellín, na Colômbia. Os suplentes tricolores não apresentaram um grande futebol, mas foi o suficiente para dominar e vencer o América-MG durante os 90 minutos. O resultado deixou o São Paulo em sétimo lugar, com 21 pontos.

O América-MG, que infelizmente passa por um momento técnico bastante adverso no Brasileirão, acumulando dez derrotas em 14 jogos, e somando apenas oito pontos e amargando a lanterna, vai se complicando cada vez dentro do campeonato, tornando sua missão de permanecer na elite do futebol brasileiro cada vez mais difícil.

Na próxima rodada, o São Paulo terá o clássico contra o Corinthians, no próximo domingo, às 16h, na Arena Corinthians. No mesmo dia, às 11h, o América-MG receberá o Santa Cruz, no Independência.

Auxiliar de Bauza comanda reservas e domina o América-MG

No campo de jogo, o auxiliar José Daniel Di Leo comandou seus jogadores, deixando em campo apenas o goleiro Denis, o zagueiro Maicon - expulso no primeiro jogo contra o Atlético Nacional, no Morumbi -  e o meia Hudson. Já o técnico Sergio Vieira apostou em um setor de criação carregado de jogadores para municiarem o atacante Borges, militante solitário no meio da defesa são-paulina.

Durante todo o primeiro tempo, o São Paulo mostrou sua proposta de jogo e encarou o América-MG, no entanto, não converteu suas ações em gols, uma vez que a postura mineira em campo colocava todos os seus jogadores atrás de linha de meio-campo. 

Por sua vez, o Coelho buscava valorizar a posse de bola, e tentou encontrar a melhor hora para chegar ao gol, mas defesa tricolor não deu brechas e teve uma atuação segura, tanto que o goleiro Denis foi mero espectador dentro de campo.

Tanta pressão do São Paulo resultou em gol apenas aos 36 minutos. Após cruzamento de Centurión, na cobrança de falta, Alan Kardec subiu mais alto na defesa americana, e cabeceou a bola direto nas redes do goleiro João Ricardo. O gol são paulino era o que o tricolor precisava para abrir o setor defensivo do América-MG. 

O América-MG tentou não se abater com o gol sofrido, mas o resultado não foi o mais esperado. Após uma bola recuperada no meio de campo, o zagueiro Lyanco partiu em direção ao ataque. A marcação americana não cuidou do defensor, que entrou na área, e bateu para o gol, vencendo o goleiro João Ricardo.

América-MG tenta, mas São Paulo domina e amplia o placar

O técnico Sergio Vieira voltou para o segundo tempo com duas mudanças. Saíram Gilson e Ernandes, e colocou Alan Mineiro e Victor Rangel. A proposta do técnico português era dar mais força ofensiva ao Coelho com dois jogadores que atuam mais próximos da grande área adversária.

Mesmo com as mudanças, o jogo do São Paulo prevalecia. Independentemente de questões táticas, a qualidade técnica do tricolor era amplamente maior. Para piorar a situação do técnico americano, o meia Tony deixou o campo lesionado, e promoveu a entrada de Danilo.

No decorrer da partida, o São Paulo demonstrava muita segurança na defesa, favorecendo ao ataque tricolor que incomodava muito o time do América-MG. Tanta pressão deu resultado aos 14 minutos. Luiz Araújo considerado uma joia na base são paulina, fez a jogada pela direita e cruzou para Alan Kardec completar para as redes.

Sem forças para pressionar o América-MG tentava segurar a bola no ataque, mas perdia o lance com facilidade, deixando o tricolor em boas condições de ampliar o marcador, fato que não aconteceu. O goleiro Dênis não chegou a trabalhar, graças a segurança da defesa do São Paulo.