Jogadores são-paulinos reclamam da arbitragem após eliminação da Libertadores

Hudson, Michel Bastos e Lugano, que foi expulso, não esconderam a insatisfação com a atuação do árbitro Patricio Polic

Jogadores são-paulinos reclamam da arbitragem após eliminação da Libertadores
Jogadores são-paulinos reclamando com o árbitro Patricio Polic (Foto: Mauricio Dueñas Castañeda/EFE)

O último brasileiro na Taça Libertadores 2016 caiu. O São Paulo foi eliminado na noite dessa quarta-feira (13) ao ser derrotado novamente pelo Atlético Nacional, dessa vez por 2 a 1 e em Medellín, no Estádio Atanasio Girardot. O time brasileiro abriu o placar aos 8 minutos de jogo com o argentino Calleri, enquanto Borja marcou duas vezes, novamente, primeiramente aos 15 do primeiro tempo e o que deu a vitória ao time colombiano aos 32 da segunda etapa.

O time brasileiro teve dois jogadores expulsos pelo árbitro Patricio Polic, após a cobrança do pênalti que a vitória ao Atlético. Patricio Polic mostrou cartão vermelho para Wesley e Lugano após longa confusão, quando o árbitro chileno mostrou-se claramente perdido. Os jogadores do São Paulo demonstraram muito insatisfação com a arbitragem do chileno e na saída de campo reclamaram das expulsões e de um possível pênalti não marcado em cima do volante Hudson, no último minuto do primeiro tempo.

Inicialmente, Hudson falou: “Claro que ele acabou com o jogo. Começando no primeiro tempo e depois com essa palhaçada, expulsando dois do nosso time”. Após o volante, Michel Bastos também declarou sua indignação com a arbitragem. “Não, não entendi, nem ele sabe o que ele fez, não entendi porque não fiz nada. Nós fomos perguntar para ele qual o critério, não ter dado um pênalti para nós. Não entendi, o bandeirinha que disse que o Wesley falou alguma coisa, não vi o Wesley falar nada. Hoje a arbitragem foi péssima”, disse o camisa 7 do time paulista.

O capitão na noite dessa quarta-feira e expulso, Diego Lugano, também foi um dos que falou sobre a arbitragem de Patricio Polic. O zagueiro afirmou que foi mal interpretado pelo árbitro, além de lamentar a interferência da ação do árbitro no resultado da partida: “Eu não fui mal interpretado pela arbitragem, ele procurou uma alegação para me expulsar. Foi um jogo que era para o São Paulo virar a série, foi um jogo aberto, infelizmente nos lances mais determinantes do jogo fomos prejudicados de novo. Uma série que poderia ser mais equilibrada foi vencida pelo Nacional com lances polêmicos contra nós”.

Lugano alegou que tentou conversar com o árbitro e deduziu que este estava sendo tendencioso. “Eu falei que o mínimo que ele tinha que fazer era consultar o quarto árbitro, para se orientar as expulsões. Mas isso não foi tão decisivo quanto o pênalti de Hudson. Um jogo que estava lindo, emocionante, mas é muito anormal que quatro ou cinco erros sejam apenas para um lado. Com 18 anos no futebol, eu sei quando um erro é tendencioso”, concluiu o uruguaio.