Com expectativa de grande público, São Paulo recebe Chapecoense visando chegar ao G-4

Equipe treinada por Edgardo Bauza contará com grande apoio de sua torcida para enfrentar os catarinenses, após a diretoria diminuir o preço de todos os setores - expectativa é de ao menos 45 mil torcedores

Com expectativa de grande público, São Paulo recebe Chapecoense visando chegar ao G-4
Imagem: Arte/Vavel Brasil
São Paulo
Chapecoense
São Paulo: Denis; Bruno, Lugano, Maicon e Carlinhos; Hudson, Thiago Mendes, Kelvin, Cueva e Michel Bastos; Centurión. Técnico: Edgardo Bauza.
Chapecoense: Marcelo Boeck; Gimenez, Thiego, Filipe Machado e Dener; Gil, Josimar e Cleber Santana; Hyoran, Martinuccio (Matheus Biteco) e Kempes. Técnico: Caio Júnior.
ÁRBITRO: Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes. Assistentes: Rodrigo Henrique Correa e Luiz Claudio Regazone.
INCIDENCIAS: Partida a ser realizada no Estádio do Morumbi, em São Paulo, às 11h de 31/07.

Na manhã deste domingo (31), o São Paulo recebe a Chapecoense, no Estádio do Morumbi, às 11h. Precisando vencer para se aproximar do G-4, a equipe, que está na 9ª colocação com 22 pontos  - assim como a Chape, que está em 10ª - deve buscar de todas as formas os 3 pontos, e para isso poderá contar com importantes reforços no time que deve iniciar a partida.

Hudson, que havia cumprido suspensão diante do Grêmio, volta à equipe, assim como Kélvin, que depois de cerca de 1 mês lesionados, voltou a figurar no banco na rodada passada. Entretanto, a equipe também não poderá contar com alguns de seus jogadores. Mena, expulso na partida contra o time gaúcho, será substituído por Carlinhos. Gilberto, com um entorse no tornozelo, também desfalca a equipe e deve ser substituído por Centurión. Outros jogadores também não poderão atuar diante da equipe catarinense, como Renan Ribeiro, Breno, Caramelo, Wellington e Lucas Fernandes, todos machucados, além de Rodrigo Caio, que está reunido com a Seleção Olímpica do Brasil, que iniciará em breve sua campanha nos Jogos Olímpicos, diante da África do Sul.

A Chapecoense também não poderá contar com alguns jogadores importantes. Lucas Gomes, Sérgio Manoel, Ananias, Arthur Maia, Alan Ruschel, Neto, Marcelo e Moisés não podrão entrar em campo diante do São Paulo. Muitos deles, como Lucas Gomes e Sérgio Manoel, vêm fazendo um grande Campeonato Brasileiro, e farão falta à equipe Alviverde.

Outro fator que deve influenciar a equipe tricolor é o retrospecto diante da Chapecoense. Em quatro partidas diante dos catarinenses, o São Paulo venceu apenas uma vez, em Chapecó. Já no Morumbi, o Tricolor nunca venceu, com uma derrota e um empate. Porém, se quiser continuar na busca pelo hepta, o time treinado por Edgardo Bauza precisará vencer a Chape.

REFORÇOS PARA SEGUIR NA BUSCA PELO HEPTA

Nesta semana, o São Paulo apresentou dois reforços para “encorpar” a equipe para este segundo semestre, em que disputará o Brasileirão e a Copa do Brasil: Chávez e Buffarini. O primeiro foi apresentado na quarta-feira, e já foi relacionado para a partida diante da Chapecoense.

Durante a semana, Chavez se destacou nos treinamentos, e pode ser uma boa peça para o decorrer da partida, já que deve começar no banco: “Fiz um lindo gol no primeiro treinamento. Me dá confiança para treinar sempre o máximo”, destacou o “Comandante”, maneira como era conhecido nos tempos de Boca Juniors.

Buffarini também foi apresentado, mas ainda não está regularizado e não pode enfrentar a equipe de Santa Catarina. Mesmo assim, o jogador lembrou o desafio que é jogar no São Paulo, e que espera estar à disposição o mais rápido possível.

“Estou muito contente de poder estar em um clube tão grande, com muita história como tem o São Paulo. Depois de tantas idas e vindas, pude ter a sorte de fechar e me apresentar a uma instituição muito, muito grande”, ressaltou o jogador, que pode atuar em diversas posições.

CONFIANÇA PARA ALCANÇAR GRANDES OBJETIVOS

O técnico Caio Júnior tem uma meta ambiciosa para esse final de primeiro turno. Ele deseja que a Chapecoense faça ao menos 4 pontos  nas três próximas partidas, diante de São Paulo, Palmeiras e Atlético-MG, equipes que devem brigar pelas primeiras posições. Tal número é considerado o “ideal” pois levaria a Chape aos 26 pontos, que é cerca de 50% do mínimo necessário para equipes que desejam permanecer na Série A. Mesmo assim, Caio almeja voos maiores para sua equipe.

“Acho que quatro pontos seria o ideal. Se conseguir mais, é excelente. Imagino terminar o turno com 26 pontos. Mais do que a metade que o ideal, que é de 45 pontos no fim. Mas eu quero mais, não apenas lutar para não cair. Se ir bem nesses últimos jogos, podemos ir longe”, ressaltou o treinador.