Edgardo Bauza deixa São Paulo e assume Seleção Argentina

Patón, como é conhecido o treinador, assume a "Albiceleste" com pouco apoio popular, mas avalizado pela maioria dos presidentes dos clubes argentinos

Edgardo Bauza deixa São Paulo e assume Seleção Argentina
(Foto: Marcos Ruiz/STR/Getty Images)

Praticamente um mês após Tata Martino pedir demissão, a Seleção Argentina anunciou seu novo treinador: Edgardo Bauza. “Patón”, como é conhecido o treinador, deixa o cargo no seu clube atual, o São Paulo, para assumir a seleção de seu país até a Copa de 2018.

Bauza assumiu o São Paulo no início da temporada, com o objetivo de fazer uma boa campanha com a equipe na principal competição do ano, a Copa Libertadores da América. Com um estilo de jogo que pouco encantava mas de bons resultados, levou o Tricolor às semifinais da competição, quando foi derrotado pelo Atlético Nacional (COL), que seria campeão do torneio semanas depois. Patón deixa a equipe com um aproveitamento irregular: 46,5%, sendo 18 vitórias, 13 empates e 17 derrotas, mas com um imenso carinho da torcida e do corpo diretivo. Além da eliminação no torneio continental, Bauza também viu sua equipe ser eliminada pelo Audax nas quartas de final do Paulistão, e deixa a equipe na 10ª posição do Campeonato Brasileiro.

Carreira vitoriosa e seu maior desafio

Patón tem 58 anos de idade, e iniciou sua trajetória como treinador na equipe em que foi ídolo e onde se aposentou, Rosario Central (ARG), no ano de 1998. Foi vice-campeão da Copa Conmebol com os “Canallas” no mesmo ano, perdendo para o Santos na finalíssima. No torneio “apertura” de 99, foi novamente vice-campeão, ficando atrás do River Plate. Já em 2001, levou a equipe às semifinais da Libertadores, quando foi eliminado pelo Cruz Azul. Seu time era bastante conhecido pela postura ofensiva, característica que seria diferente na maioria dos times que treinaria dali em diante.

Após deixar os Canallas, treinou Vélez, Colón e Sporting Cristal, antes de assumir a LDU, equipe onde faria história entre os anos de 2006 e 2008. Conquistou a Libertadores em 2008, batendo o Fluminense na final. Também venceu o Campeonato Equatoriano de 2007. Em 2009, deixou o clube para assumir o Al-Nassr (SAU), tendo passagem apagada.

Em 2010, regressou à LDU, onde foi novamente vencedor. No mesmo ano, venceu a Recopa Sul-Americana em cima dos argentinos do Estudiantes, além do Campeonato Equatoriano. Deixou a equipe apenas em 2013, sendo considerado um dos maiores treinadores da história do clube.

Já em 2014, voltou a treinar uma equipe argentina, o San Lorenzo. No clube de Boedo, venceu o maior título da história do "Ciclón", a Libertadores da América de 2014 (a segunda na carreira do treinador), batendo o Nacional-PAR na final. Sua equipe era marcada também pelo futebol de resultados, e que tinha como principal virtude a entrega.

Agora, Bauza assume a Seleção Argentina com inúmeros desafios. O primeiro deles é convencer o atacante Lionel Messi a desistir de sua aposentadoria da equipe nacional. Além disso, Patón terá que conviver com uma confederação com muitos problemas internos. Também deve ter pouco tempo para treinar, já que os próximos compromissos da Albiceleste já estão marcados para o início de agosto, num clássico diante do Uruguai, que será disputado em casa, na cidade de Mendoza, além de uma partida fora de casa diante da Venezuela. A convocação dos jogadores para ambos os jogos deve ser anunciada já no próximo dia 15.