Chávez marca duas vezes, Dênis pega pênalti e São Paulo bate Santa Cruz no Arruda

Tricolor Paulista segura pressão final dos mandantes e volta a vencer após quatro jogos; Santa segue na zona de rebaixamento

Chávez marca duas vezes, Dênis pega pênalti e São Paulo bate Santa Cruz no Arruda
Foto: Rubens Chiri/SPFC
Santa Cruz
1 2
São Paulo
Santa Cruz: Tiago Cardoso; Léo Moura (Renatinho), Danny Morais, Neris, Tiago Costa; Derley, Jadson (Artur), Danilo Pires (Bruno Moraes), João Paulo; Keno, Grafite. Técnico: Milton Mendes
São Paulo: Dênis; Buffarini, Maicon, Lyanco, Mena; João Schimidt, Hudson, Thiago Mendes (Wesley); Cueva (Luiz Araújo), Kelvin, Chávez (Gilberto). Técnico: André Jardine
Placar: 0-1, min. 38, Chávez. 0-2, min. 19/ 2ºT, Chávez. 1-2, min. 38/ 2ºT, Keno.
ÁRBITRO: Bruno Arleu de Araújo (RJ). Cartões amarelos: J. Schimidt (min. 9), Mena (min. 3/ 2ºT), Luiz Araújo (min. 34/ 2ºT), Derley (min. 45/ 2ºT)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, disputada no Arruda, em Pernambuco.

No duelo de tricolores desta tarde (7), o Tricolor Paulista levou a melhor. No Arruda, em Pernambuco, na primeira partida sem Edgardo Bauza, o São Paulo bateu o Santa Cruz por 2 a 1 e voltou a vencer após quatro rodadas. Os dois gols da vitória foram marcados por Chávez, principal destaque do jogo ao lado de Dênis, que defendeu um pênalti. Keno descontou para os mandantes.

Com a vitória, o São Paulo finalmente voltou a subir na tabela e chegou à 9ª posição, com 26 pontos, sete de diferença para o G-4. A equipe ultrapassou o Fluminense, que empatou na rodada, e a Chapecoense, que ainda joga. Agora, o Tricolor tem uma semana para treinar com André Jardine ou algum outro treinador que a diretoria escolha até voltar a campo no próximo domingo (14), quando recebe o Botafogo, no Morumbi, às 16h15.

Já o Santa Cruz segue em uma situação muito desconfortável. Com a derrota, o time do técnico Milton Mendes caiu para a 18ª colocação, com 18 pontos, e pode ainda ser o penúltimo caso o Cruzeiro vença na rodada. O próximo jogo da equipe pernambucana é na segunda-feira (15), no Barradão, contra o Vitória, que também está na parte de baixo da tabela.

Chávez marca e São Paulo sai na frente

O primeiro tempo começou muito nervoso no Arruda, talvez pelas situações complicadas na tabela e os recentes resultados ruins de ambas as equipes. O São Paulo, com três volantes, começou fazendo muitas faltas, algumas até mais duras. Prova disso, foi o cartão amarelo dado para João Schimidt, com apenas nove minutos de jogo. Já o Santa Cruz, tentava colocar a bola no chão e manter a posse de bola, mas errava muitos passes.

Depois dos primeiros dez minutos, nos quais normalmente o mandante começa melhor e busca ir ao ataque, o jogo se equilibrou, mas ficou truncado no meio de campo, tanto pela forte marcação dos times quanto pelos inúmeros erros de passe de ambos os lados. A primeira chance de gol foi dos paulistas. Cueva, aberto pela esquerda, diferentemente das últimas partidas, em que atuou como meia centralizado, cortou para o meio e bateu, mas o bola não chegou a assustar o goleiro Tiago Cardoso.

Aos 22 minutos, a primeira oportunidade real de gol foi do lado dos visitantes. Hudson recebeu boa bola de Chávez, avançou e, mesmo desequilibrado pela marcação, chutou firme, obrigado Tiago Cardoso a fazer uma boa defesa. Três minutos depois, o atacante são-paulino aproveitou erro da defesa coral, seguiu livre e bateu para fora, levando muito perigo.

Depois de algum tempo sem chances para ambos os lados, o São Paulo conseguiu marcar. Cueva recebeu pela esquerda, segurou a bola aguardando a movimentação de Mena e tocou. O lateral, livre, cruzou na medida para Chávez, que cabeceou sem chances para o goleiro e abriu o placar. O Santa Cruz ainda tentou criar outras oportunidades de gol, mas os passes errados atrapalharam e o time do Morumbi saiu com a vitória parcial.

Santa pressiona mas São Paulo vence

Na segunda etapa o jogo foi melhor, tanto tecnicamente quanto na parte da emoção. Sendo derrotado dentro de casa, o Santa voltou pressionando o São Paulo em busca do gol de empate, que, vendo o adversário melhor, nada pôde fazer senão se defender e segurar a vantagem. João Paulo, aos nove minutos, cobrou falta com perigo e assustou o goleiro Dênis. Pouco tempo depois, Derley recebeu belo passe de Grafite, mas chutou para fora.

No momento em que o Coral mais pressionava, o time do Morumbi aproveitou um contra-ataque para marcar outro gol. Kelvin encontrou Cueva livre pela esquerda. O peruano avançou, levantou a cabeça e tocou para Chávez, que, mesmo sendo atrapalhado pela defesa, conseguiu empurrar a bola para o fundo das redes e fazer o segundo dele e de sua equipe no jogo.

Após o gol, o São Paulo ainda chegou perto de marcar com Cueva e Mena, mas, em ambas as oportunidades, Tiago Cardoso apareceu bem e manteve o Santa no jogo. Aos 36 minutos, o Coral ainda chegou perto de diminuir com Grafite, de pênalti, mas o goleiro Dênis fez a defesa e impediu a reação momentânea dos mandantes, entretanto, apenas dois minutos depois, Keno recebeu e bateu de esquerda para descontar.

A apenas um gol do empate, o Santa Cruz foi para cima e começou a abusar dos cruzamentos na área, sem sucesso. Em uma das poucas jogadas diferentes, Renatinho, que entrou no lugar de Léo Moura, bateu cruzado e obrigou Dênis a fazer outra boa defesa. Wesley teve a última grande chance da partida. Após erro da defesa, o volante passou por dois, tentou driblar o goleiro e adiantou demais. Aos 49 minutos, o árbitro apitou pela última vez e encerrou o jogo.