São Paulo e Grêmio marcam em tempos distintos e ficam no empate no Morumbi

Tricolor paulista se despede de sonho pela vaga à Libertadores e Tricolor gaúcho mantém proximidade com G-6 do Campeonato Brasileiro

São Paulo e Grêmio marcam em tempos distintos e ficam no empate no Morumbi
Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC
São Paulo
1 1
Grêmio
São Paulo: Denis, Buffarini, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; João Schmidt, Thiago Mendes e Cueva; David Neres, Luiz Araújo (Carlinhos) e Chavez.
Grêmio: Marcelo Grohe; Edilson (Jailson), Walace Reis, Geromel e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Ramiro, Pedro Rocha (Everton) e Douglas; Luan.
Placar: 1-0, 12', Chávez. 1-1, 21'/2º, Ramiro.
ÁRBITRO: Jailson Macedo Freitas, Alessandro de Matos e Elicarlos de Oliveira (Trio da Bahia)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro, disputada no estádio do Morumbi, em São Paulo.

Na noite desta quinta-feira (17), o São Paulo recebeu o Grêmio no estádio do Morumbi, na capital paulista, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016. Em primeiro tempo em que foi superior, o Tricolor paulista abriu o placar com Chávez. Já no segundo tempo, o Tricolor gaúcho reagiu e igualou em triangulação ofensiva e gol de Ramiro: 1 a 1 em São Paulo.

Com o empate, os paulistas ficam no meio da tabela, estacionados com 46 pontos na 12º colocação. Já o Grêmio está em 8º, com 50 pontos e permanece na briga pelo G-6. Os gaúchos estão dois pontos atrás do sexto colocado Atlético Paranaense e um ponto atrás do sétimo Corinthians. Vale lembrar que, caso não vença a Copa do Brasil, o Grêmio precisa terminar no mínimo em 7º para alcançar vaga à Copa Libertadores 2017.

Na antepenúltima rodada, a 36ª do Brasileirão, o São Paulo encara a Chapecoense fora de casa, no próximo domingo, às 19h30. Mais cedo, o Grêmio, com time misto, recebe o já rebaixado América Mineiro. Após, o compromisso gremista será pela final da Copa do Brasil, no dia 23 de novembro, diante do Atlético-MG, em Belo Horizonte.

São Paulo abre placar com Chávez e controla primeiro tempo

O Grêmio foi a campo sem o zagueiro Kannemann, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Walace Reis, ex-Flamengo, ficou com a vaga para atuar ao lado de Pedro Geromel. Com exceção desta mudança, o Tricolor gaúcho de Renato Portaluppi foi com força máxima. Mesmo atuante diante da Seleção Brasileira pelo Peru, Cueva regressou ao Brasil e recompôs a titularidade no Tricolor paulista, a exemplo do zagueiro brasileiro Rodrigo Caio. Ambos não passaram por treinamentos com o grupo antes da partida.

O jogo começou com movimentação amena. O São Paulo mais com a posse e o Grêmio preenchendo os espaços na defesa. Os primeiros 10 minutos foram sem ocasiões de gol. O torcedor que chegou atrasado ao Morumbi não perdeu grandes emoções. Mas aos 11 minutos, Chávez foi lançado por João Schmidt entre a defesa, aproveitou a indefinição e tocou sobre o goleiro Marcelo Grohe, de cobertura: 1 a 0 ao São Paulo.

Aos 17 minutos, Luiz Araújo bateu firme da intermediária e Marcelo Grohe se recuperou do gol sofrido, espalmando do jeito que deu para escanteio. O São Paulo seguia melhor, pressionando a saída e impedindo o Grêmio de respirar no jogo. Os gaúchos cometiam muitas faltas no meio de campo e, nas poucas ocasiões com a bola, não conseguiam abastecer o ataque.

Enquanto o São Paulo lançou-se de uma partida segura, o Grêmio parecia desconcentrado, não encaixando muitas sequências de passes e com Ramiro impedido em escapada pela direita. Em cruzamento do São Paulo pelo lado de campo, a bola procurava Chávez, Wallace Reis desviou e a bola foi aos braços de Grohe. Em nova chegada são-paulina, Buffarini disparou o chute direto pela linha de fundo.

Aos 41 minutos, em saída precisa, Grohe fechou o espaço de chute de Cueva e evitou o segundo tento. Era nova roubada de bola são-paulina no campo ofensivo. Com pouca incisão no setor ofensivo, a defesa dos mandantes não teve problema para anular as chegadas gremistas. Primeiro tempo controlado no Morumbi.

Grêmio reage, empata com Ramiro e garante ponto importante fora de casa

Os times não mudaram suas formações para a etapa final. O Grêmio se mostrou mais interessado em reverter a desvantagem. O ataque, todavia, sofre pelo baixo aproveitamento no returno. São apenas nove gols em 15 jogos disputados. Já o jogo ficou parado por mais de minuto por conta dos proibidos sinalizadores na torcida do São Paulo. O árbitro baiano Jailson Macedo esperou até que os mesmos instrumentos fossem apagados.

A exemplo do primeiro tempo, os 10 minutos foram sem chances de gol. O último passe do Grêmio permanecia deficitário. Já o São Paulo foi na velocidade. Chávez novamente foi acionado, apostou corrida com Wallace Reis, chutou de canhota e Grohe espalmou para escanteio. O lance foi mais casual e o Grêmio tinha mais a bola. Renato Gaúcho sacou Pedro Rocha e colocou Everton, como de costume.

Na primeira boa chegada com Everton em campo, foi o volante Walace quem arriscou e a bola passou próxima da meta de Dênis, pela linha de fundo. No lance seguinte, Luan tocou para Douglas e Ramiro bateu cruzado para acertar o canto, na lateral da rede: 1 a 1, em bela criação gremista.

Passada a marca da metade da etapa final, o Grêmio buscava infiltrar pela virada e o jogo ganhou em espaços no centro do campo, com o São Paulo também não interessado na igualdade. Pelo meio, a zaga gremista cochilou, a bola chegou em David Neres e por pouco ele não recolou o São Paulo em vantagem, finalizando para fora.

O tempo passou no final da etapa, os paulistas buscaram maior pressão com a bola, o Grêmio se defendeu, gastou um pouco de tempo, ouviu vaias quando recuperava a posse, mas garantiu o ponto importante de empate. Placar de 1 a 1 na noite no estádio do Morumbi.