São Paulo vence confronto direto e deixa Sport perto da zona de rebaixamento

Time pernambucano até foi melhor que o São Paulo, mas esbarrou na falta de criatividade e nas grandes defesas de Sidão

São Paulo vence confronto direto e deixa Sport perto da zona de rebaixamento
Jogadores são-paulinos comemoraram bastante o importante gol (Foto: Rubens Chiri / São Paulo Futebol Clube)
São Paulo
1 0
Sport
São Paulo: Sidão, Militão, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Petros, Hernanes, Marcos Guilherme (Gomez, MIN. 72), Cueva (Shaylon, MIN. 80) e Lucas Fernandes (Marcinho, MIN. 63); Pratto. Técnico: Dorival Júnior
Sport: Magrão, Raul Prata, Henríquez, Ronaldo Alves e Sander (Osvaldo, MIN. 46); Anselmo (Rogério, MIN. 68), Rithely, Wesley e Mena; Rogério (Thallyson, MIN.68) e André. Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Placar: 1-0, Marcos Guilherme, MIN. 35;
ÁRBITRO: Anderson Daronco (RS). Cartões Amarelos: Sander, Rithely
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A, sendo realizado nesse domingo (1º), no Morumbi, em São Paulo.

Pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A, São Paulo e Sport se enfrentaram na tarde desse domingo (1º), buscando se distanciar da zona de rebaixamento. E quem saiu melhor nessa parada foi o time paulista, que venceu um jogo muito equilibrado pelo placar mínimo, com gol de Marcos Guilherme ainda no primeiro tempo.

Mesmo com esse resultado, o São Paulo não se acomoda, visto que ainda continua perto da zona de rebaixamento e só tem o campeonato nacional para disputar. O time agora vai até Minas Gerais enfrentar o Atlético-MG. O tricolor ocupa nesse momento, a 13ª posição, com 31 pontos, dois à frente do Z4.

O time rubro-negro, que amargou mais uma derrota e somou seu nono jogo sem vencer, terá um novo confronto direto, dessa vez com o Vitória, em Salvador. O time ocupa a 16º posição, mas ainda pode ser ultrapassado pela Ponte Preta, que enfrenta o Flamengo, nessa segunda (2), deixando assim o Leão na zona de rebaixamento.

Jogo equilibrado, mas São Paulo sai na frente

Como já era esperado pela situação das duas equipes, o jogo começou nervoso, com os dois times errando muitos passes no meio campo. Buscando exercer o fator casa, o São Paulo procurava explorar os lados, mas a forte marcação leonina por aquele setor, impedia os avanços tricolores. Como prometido por Luxemburgo nos treinos, o Sport jogava num 442 clássico.

Mas foi num erro de passe, que Lucas Fernandes desperdiçou a primeira chance paulista. Cueva puxou contra-ataque depois do erro de Rithely e passou para Lucas Fernandes no bico da área. O meia levou para o meio e bateu forte. Magrão, bem colocado, encaixou a bola sem dificuldades, evitando o primeiro gol do jogo.

Diferente de outros jogos fora de casa, o Sport não ficou recuado, esperando o adversário em seu campo. Se não conseguia infiltrar, as alternativas eram as bolas paradas e os chutes de fora da área. Como aos 20', em que Anselmo avançou do campo de defesa e arriscou de muito longe, Sidão fez grande defesa e a bola bateu na trave, antes de sair para escanteio.

Se os volantes do Sport tinham facilidade de chegar na frente, atrás davam muito espaço na frente da área, o que fazia com que Lucas Fernandes e Hernanes, responsáveis pela armação de jogadas, tivessem muito espaço. Tanto que Lucas Fernandes achou Marcos Guilherme sozinho, ele bateu, mas o arqueiro rubro-negro fez grande defesa.

Com os dois times jogando ofensivamente, já era esperado que o gol saísse de um dos lados. Rithely saiu mal e perdeu a bola para Hernanes, o meia viu Edimar livre e passou pra ele, que cruzou e viu Henríquez cabecear em cima de Ronaldo Alves. No rebote, Marcos Guilherme, sozinho, bateu sem chances para Magrão, abrindo o placar no Morumbi.

Emoção só nos minutos finais

No intervalo para o segundo tempo, Luxemburgo decidiu colocar o time mais à frente com a entrada de Osvaldo no lugar de Sander. A tentativa só deu resultado na obtenção de posse de bola, porque ofensivamente, o Sport pouco conseguiu fazer. O time não conseguia dar o último passe e mostrava pouca criatividade para furar a marcação são-paulina.

Uma das poucas chegadas do time rubro-negro foi pela lateral. Rogério fez boa jogada pela esquerda, se livrou do marcador e cruzou bola rasante, buscando André. O atacante rubro-negro já estava pronto para empatar o jogo, quando Rodrigo Caio foi mais rápido e desviou a bola, tirando do alcance de André e evitando o gol dos visitantes.

Ainda deu tempo para os dois times terem chances ao final do jogo. Primeiro com Shaylon, que após grande jogada de Pratto, parou em grande defesa de Magrão. Depois com Thomás, que recebeu cruzamento e cabeceou. Sidão mais uma vez salvou o time. No lance seguinte, Rithely cabeceou e a bola sobrou para Henríquez, na pequena área, perder gol incrível de cabeça. Após o lance, Daronco apitou o final do jogo, decretando a vitória paulista.